Varejo e fundos imobiliários lideraram rentabilidade em 2012

16 de janeiro de 2013 | Por admin

Carteiras que englobam empresas ligadas ao varejo, ao setor de educação e aos fundos imobiliários foram os mais rentáveis de 2012.

Foto: Shutterstock

Investidores que aplicaram nas carteiras dos índices de Consumo (ICON), de Fundos de Investimentos Imobiliários (IFIX) e de Small Cap (SMLL) tiveram ganhos bastante promissores em 2012. Segundo a BM&F Bovespa, esses foram os mais rentáveis do ano passado, com taxas de 40,44%, 35,04% e 28,66%, respectivamente. O bom momento vivido pelo mercado imobiliário e o impacto da crise econômica nas commodities são as principais razões para a alta lucratividade desses índices.

O desempenho do IFIX nos últimos anos já era de crescimento significativo. O cenário atual traduz não só a expansão de um mercado até então desconhecido no Brasil, mas também da própria economia do País, com aumento de renda e baixo nível de desemprego. “A demanda cresceu muito de uns anos para cá”, avalia o analista de investimento da SLW Corretora, Pedro Galdi. Com o boom do crédito imobiliário e a segurança jurídica oferecida a quem concede o financiamento (por meio da alienação fiduciária), shoppings, condomínios e casas foram levantados, houve escassez de grandes terrenos em grandes centros, e esses fundos passaram a arrecadar mais, como pontua o analista Richard Rytenband, diretor do Instituto de Formação Profissional (Infopro Brasil). Uma das vantagens desse índice, segundo ele, é a distribuição mensal dos lucros. A vacância dos imóveis e a retração do mercado são alguns dos riscos.

Já o ICON e o Small Cap entram na lógica da rotação de setores. Com o processo de desaceleração das economias desde 2010 e o agravamento da crise, o setor de commodities foi um dos abalados, observa Galdi. Investidores migraram para carteiras consideradas defensivas, que concentram empresas voltadas para o consumo não cíclico, menos sensíveis ao momento de baixa. “Esses setores ganham dinheiro mesmo quando a economia não vai muito bem. As pessoas são obrigadas a continuar consumindo”, explica Rytenband. O varejo foi um dos mais beneficiados, com elevação do valor das ações, além do setor educacional, considerado estratégico pelo analista.

Para os próximos anos, ICON e Small Cap não devem repetir o desempenho com essa magnitude. Com a economia em processo de recuperação, Rytenband aposta que os grandes investidores optarão novamente pela rotação da carteira, transferindo suas apostas para setores de consumo cíclico. “Nos próximos meses, será muito interessante investir em commodities”, prevê o analista. Já o IFIX deve continuar valorizado. O mercado imobiliário no País, segundo Rytenband, está na infância e ainda tem muito espaço para crescer. “Se for comparar o tamanho dos mercados, é covardia. Nos Estados Unidos, ele existe há mais de 40 anos”, frisa. Com o juro em queda, esse produto ainda deve ser um atrativo para investidores.

Fonte: Terra

Certificados e Prêmios



Realizações Cemara
Realizações Cemara
Realizações Cemara
Realizações Cemara