Pequenos espaços, grandes dicas

13 de janeiro de 2012 | Por cemara

Na hora de aproveitar um espaço reduzido, decoradores e arquitetos recomendam: “menos é mais”. Mas optar por uma arrumação enxuta não significa pensar pequeno. É possível manter seu próprio estilo e objetos de estimação num ambiente com pouco espaço seguindo dicas práticas. A arquiteta Ivia Bencke sugere optar por poucos móveis, mas sem abrir mão do conforto. “Quanto mais móveis e objetos tiver, menos confortável será o dia-a-dia e mais pesado ficará o ambiente. A prioridade seria pouca mobília, mas confortável e não muito grande. O móvel deve ser clean, com linhas retas e sem muitos adornos. Porém, se a pessoa escolher uma peça mais rebuscada, a mobília deve estar livre de enfeites”, indica.

Para a decoradora Sônia Marcondes, é importante dar atenção às cores. Tons escuros e papéis de parede com ilustrações grandes dão a sensação de que o ambiente é menor. “Em pequenos espaços nunca devemos usar cores escuras ou muito fortes. É preciso ter cuidado também com papéis de parede com desenhos impactantes. Essas figuras poluem um espaço pequeno, diminuindo-o drasticamente”, explica Sônia.

Ivia esclarece que não é preciso se desfazer das peças com valor sentimental. Basta evitar exageros e fazer uma seleção do que realmente vale a pena deixar em evidência na decoração. “As pessoas costumam escolher uma parede ou um único móvel e colocar todas as suas fotos e quadros no mesmo lugar. É melhor organizá-los pela casa, sem sobrecarregar um único canto”. Segundo ela, uma boa opção é fazer nichos nas paredes para organizar vasos e outros objetos importantes, dando destaque a eles e deixando tudo no seu devido lugar.

Uma maneira simples de ampliar um espaço pequeno é valorizar a iluminação. Uma luminária bem posicionada pode fazer milagres. “Um ambiente bem iluminado sempre dá a sensação de ser maior”, diz Ivia, que ainda propõe a integração para aproveitar espaços. “Indico também a junção de cômodos. Deixar a cozinha integrada com a sala de jantar, por exemplo”.

Sônia dá uma sugestão para iluminar com charme uma sala. “Em pequenos ambientes não poderemos usar nada que pareça tomar todo o espaço mas, por vezes, um lustre grande, na cor certa, colocado sobre uma pequena mesa de jantar pode dar a impressão de aumentar o lugar”, recomenda.

As arquitetas Sônia Marcondes e Ivia Bencke dão dicas simples para aproveitar melhor os espaços pequenos:

Piso: Os pisos com menos juntas ampliam o ambiente. Peças grandes e com acabamento retificado (que permitem assentar uma peça quase colada nas outras, com pouquíssimo ou nenhum rejunte entre elas) são ótima opção. Os porcelanatos polidos, em cores claras, também são uma boa escolha, pois têm um acabamento espelhado. Quando se usa paredes brancas, pode-se optar por um piso de madeira ou flutuante mais escuro.

Móveis 2 em 1: Normalmente, o uso desses móveis no dia-a-dia não é muito prático. Por exemplo: beliches que se transformam em mesa de estudo. Este móvel requer que a cama seja desfeita (tirar travesseiros, colcha etc.) para que se possa usar a mesa. E esta não pode ficar com material de escritório, já que também precisará ser desfeita na hora de dormir. Por outro lado, pufes que podem servir de mesa de centro são muito práticos e funcionais.

Cores: Texturas e madeira na parede podem diminuir o ambiente. Tons pastel permitem realçar um cômodo ou parede sem comprometer a sensação de espaço.

Teto: Sancas de gesso e iluminação indireta valorizam os pequenos espaços. Pintar o fundo das sancas com tons pastel faz o teto parecer mais alto.

Medidas: As circulações, para ficarem confortáveis, devem ter aproximadamente 80 centímetros, e os espaços entre os móveis devem permitir passagem fácil.

Cozinha: Móveis planejados para receber forninho, microondas e outros equipamentos otimizam o espaço.

Quarto: Se for muito pequeno, não adianta optar por camas queen ou king size e comprometer a circulação. É melhor uma cama de casal padrão com mesinhas de cabeceira suspensas.

Quarto de criança: Crianças precisam ter espaço para brincar. Cores alegres e um baú para brinquedos, que também sirva de banquinho, dão ao ambiente um ar descontraído.

Banheiros ou lavabos: Cubas de apoio ou semi-encaixe são ótimas opções, pois não precisam de bancadas muito grandes. Espelhos e boa iluminação são fundamentais. Cerâmicas claras refletem mais luz e ampliam o espaço.

Sala: Dê preferência a móveis baixos. Evite estantes. Cortinas pesadas com muitos tecidos também devem ser evitadas. O ideal é optar por rolôs.

Fonte: Bolsa de Mulher

Certificados e Prêmios



Realizações Cemara
Realizações Cemara
Realizações Cemara
Realizações Cemara