Mostrando posts da categoria: Saúde


Linda na gravidez: saiba como se cuidar durante a gestação

28 de abril de 2014 | Por admin

Por Tariana Hackradt

Uma série de cuidados com cabelo, corpo e rosto é necessária nesse período; dermatologistas e ginecologistas e obstetras ensinam o que pode e não pode fazer durante a gravidez

Junto à descoberta de uma gravidez, uma série de dúvidas relacionadas à beleza costuma surgir. Pode pintar o cabelo? E fazer luzes? Como prevenir estrias? Os seios vão ficar flácidos? Essas são apenas algumas das mais comuns. “A gestação é um período único, com características próprias, por isso, nem sempre é possível seguir a mesma rotina e usar os mesmos produtos, que podem causar alergia”, explica Natalia Castro, ginecologista e obstetra do Hospital São Luiz.

Cabelo, corpo, rosto e unhas precisam de cuidados especiais. Descubra o que é permitido durante a gestação e o que deve ficar de fora da sua rotina segundo especialistas.

Thinkstock/Getty Images
Cuidar-se, sem descuidar do bebê que vem aí: é possível manter a beleza durante a gravidez, sem riscos para o bebê

Cabelo

Quando a questão é a coloração dos fios, o melhor a fazer é deixar o hábito de pintá-los de lado. De acordo com Mariana Lautenschlager, ginecologista e obstetra da Clínica Mãe, várias das substâncias contidas em tinturas podem não ser seguras para o bebê, principalmente no primeiro e segundo trimestres da gravidez. “Evite tinturas até a 20ª semana de gestação e, após esse período, escolha produtos sem amônia nem chumbo para voltar o seu cabelo ao tom natural, evitando retoques”.

No caso das luzes, a regra é mais maleável, como ensina Natalia. “Depois do primeiro trimestre, a gestante pode retocar, desde que passe o produto com uma distância de, ao menos, dois centímetros da raiz”, fala. A médica recomenda ainda que a gestante peça uma cartinha de seu médico explicando como as luzes devem ser feitas para levar ao cabeleireiro.

Procedimentos que alteram a estrutura e a conformação dos fios, como escova progressiva e permanentes, não são permitidos. “Esses tratamentos contêm produtos proibidos durante a gestação, como formol, que, mesmo em quantidades mínimas e autorizadas para o uso em não gravidas, poderão causar danos ao bebê”, afirma Mariana.

Os cuidados do dia a dia não mudam tanto, só é preciso atenção redobrada à formulação dos produtos: utilize xampus suaves, de boa procedência e hipoalergênicos e evite secadores e chapinhas, que facilitam a quebra dos fios. Flávia Ravelli, dermatologista da maternidade Pro Matre Paulista, afirma que, durante a gestação, observa-se um aumento nos níveis de progesterona, hormônio que deixa os fios sedosos, brilhantes, volumosos e muito bonitos. “Por isso, em geral, é necessário fazer pouco em relação aos fios. Hidratação em casa ou em salões está liberada. Evite apenas aqueles xampus e condicionadores para tratamento de seborreia e que contenham o conservante parabeno”, defende.

Rosto

Se os produtos anti-idade já fazem parte da sua rotina, esqueça. Durante a gestação, menos é mais quando o assunto é cuidados com o rosto. “Muitos desses produtos são potencialmente causadores de má-formação, como os que levam ácido retinóico. O ideal é que a mulher faça a higiene com sabonete específico para a sua pele, de preferência um indicado pelo seu médico, e use vitamina C, que não tem contraindicações e ajuda a prevenir melasma gestacional e rugas”, diz Natalia. Flávia ressalta que nem todos os ácidos estão proibidos. “Após o terceiro mês, ácido ascórbico, ácido láctico, ácido glicólico, ácido kójico e ácido azeláico podem ser usados, desde que em concentrações adequadas.”

O protetor solar é mandatório, segundo as especialistas. “Intensificar a proteção contra os raios do sol é fundamental. A mudança hormonal propicia o aparecimento de manchas, principalmente no rosto, e o sol piora muito o quadro. Se for necessário, use, além de cremes, roupas com proteção solar”, afirma Mariana.

Limpezas de pele e peeling também devem, preferencialmente, ser deixados de lado no período. “Se realmente for necessário alguma intervenção, deve ser feita de modo direcionado para grávidas, com produtos adequados para ela”, indica Samantha Kelmann, dermatologista do Hospital 9 de Julho. A médica ainda afirma que, caso a pele se torne acneica, o correto é procurar um dermatologista para indicar as medicações e cuidados individuais mais adequados à paciente.

Corpo

A maior preocupação das mulheres durante a gestação tende a ser o surgimento de estrias, e a melhor maneira de preveni-las é manter a pele sempre hidratada. “É como se a pele fosse um monte de células de mãos dadas, todas bem juntinhas. Há um certo espaço para que seus braços estiquem e, quando esse estiramento é maior do que se pode suportar, surgem as estrias. A maior arma contra elas é uma hidratação potente desde os primeiros meses”, explica a ginecologista e obstetra Natalia.

Flavia lista os ingredientes que são permitidos nas formulações de hidratantes: glicerina, ceramidas, aquaporinas, pantenol, manteiga de karité, óleos (amêndoas doces, framboesa, semente de uva, rosa mosqueta), silicone, polipeptídeos botânicos e lactato de amônia. “Esses ingredientes auxiliam não só na hidratação da pele como também o aumento da elasticidade. Deve-se evitar hidratantes contendo ureia, chumbo e cânfora, pois a ureia aumenta a absorção de outras substâncias, e o chumbo e a cânfora podem causar alterações fetais”. É importante ressaltar que escolher produtos com um cheiro mais suave ajuda a evitar enjoos.

Os tratamentos estéticos com lasers, luz intensa pulsada, peelings químicos, toxina botulínica e preenchedores são contraindicados na gestação. Já drenagem linfática pode ser incluída à rotina. “Ela auxilia a circulação, evitando edemas incômodos e melhorando o conforto da gestante. Movimentos delicados poderão trazer benefícios da drenagem sem piorar varizes. Cuide apenas para manter a barriga de lado, quando a gravidez já estiver avançada, para minimizar risco de mal-estar e hipotensão”, afirma a ginecologista e obstetra Mariana.

O cuidado com as mamas segue a linha do com o resto do corpo. “Já as aréolas mamárias deverão ser preparadas para a amamentação ao final da gestação. Isso pode ser conseguido através de exposição solar por dez minutos ao dia, antes das 10h ou após às 16h, deixando-as mais resistentes e menos susceptíveis às rachaduras. Portanto, não aplique hidratantes nos mamilos”, diz Flavia.

Unhas

Escolher esmaltes hipoalergênicos é a principal recomendação das especialistas. No entanto, Natalia alerta para o fato de que ter o seu próprio kit para fazer as unhas ajuda a evitar infecções perigosas. “Isso vale para todas as mulheres: é melhor ter o seu alicate sempre higienizado em mãos.”

Fonte: Delas IG



20 DICAS PARA MANTER A POSTURA ERETA

10 de abril de 2014 | Por admin

No final do dia você sente aquela dor insuportável nas costas? Tem a sensação de formigamento na região lombar? Os ombros ficam mais duros do que uma pedra? Você sabia que muitas dores nas costas estão relacionadas à má postura? Por isso, o Universo Jatobá traz dicas para você manter a postura ereta em ações frequentes do seu cotidiano.

1. Não cruze as pernas ao se sentar. Prefira manter os pés no chão, com as plantas completamente apoiadas.

2. Ajuste a altura da cadeira, fazendo com que o ângulo entre sua coxa e sua panturrilha seja de 90°.

3. Opte por cadeiras com apoio para as costas e com descanso para os braços.

4. Deixe as costas relaxadas apoiadas no encosto da cadeira. Evite ficar curvado ou forçar os ombros para trás.

5. Se você só tiver como opção um puff ou cadeiras sem apoio para as costas, não arqueie as costas. Sente-se sempre sobre os ísquios (ossos que ficam na transição entre os glúteos e o púbis).

6. Não deixe o pescoço curvado. Quando estiver lendo no computador, não incline a cabeça para frente. Já quando estiver lendo no celular ou tablets, evite dobrar o pescoço para baixo. Leve sempre os objetos para a altura dos olhos.

7. Ajuste a posição da tela do computador para a altura dos seus olhos. O mouse e o teclado devem ficar na mesma altura do antebraço.

8. Repare qual a posição em que você dorme com mais frequência e adapte o travesseiro.

9. Evite dormir de bruços. Pode ser uma posição muito gostosa para você, mas certamente não é para sua lombar e cervical.

10.Se você dorme de barriga para cima, cuidado para não optar por um travesseiro muito alto.

11.Não durma na posição fetal, em que suas costas ficam arqueadas e as pernas dobradas.

12.A posição mais indicada para dormir é a de lado. Se você estiver colocando o braço para apoiar a cabeça, provavelmente seu travesseiro está baixo demais. Não deve haver nenhum vão entre seu travesseiro e seu pescoço.

13.Melhor ainda se você conseguir dormir de lado e com um travesseiro entre as pernas, para evitar sobrecarregar os quadris e a coluna.

14.Evite bolsas muito pesadas e grandes. Quanto maior for a sua bolsa, mais objetos você vai, inevitavelmente, querer levar.

15.Não carregue a bolsa no ombro, porque você o pressionará para cima e o deixará torto.

16.Prefira carregar a bolsa na mão ou no antebraço.

17.Ao dirigir, a cabeça tem que ficar reta e os braços levemente dobrados.

18.Nas tarefas domésticas, segure o cabo da vassoura com as duas mãos, mas mantenha distância entre elas. Uma deve ficar na extremidade e a outra na altura da sua cintura.

19.Ao lavar pratos, não incline o tronco. O ideal é que a pia esteja na altura dos cotovelos.

20.Não se curve ao abaixar para pegar alguma coisa no chão, por exemplo. Melhor flexionar os joelhos ou então apoiar os joelhos no chão, sempre mantendo o tronco retinho.

Fonte: Universo Jatobá



Cálcio

4 de abril de 2014 | Por admin

Tatiana Zanin (Nutricionista)

Cálcio é um mineral essencial para a construção e manutenção dos ossos e dos dentes, e é muito importante que seja ingerido em quantidades adequadas especialmente durante a infância, pois é nesta fase da vida que se cria as reservas de cálcio no organismo para o resto da vida.

Criar bons hábitos alimentares incluindo alimentos ricos em cálcio ajuda a manter o “patrimônio” de cálcio intacto, pois na ausência de cálcio no sangue para executar funções vitais, o mineral é retirado dos ossos e dentes enfraquecendo-os podendo iniciar um processo de osteopenia e osteoporose.

Alimentos fonte de cálcio

Alguns alimentos fontes de cálcio são:

– 100g de iogurte natural desnatado – 450mg de cálcio
– 1 copo (200ml) de leite desnatado – 302 mg de cálcio
– 1 fatia média de queijo prato – 260 mg de cálcio
– 20 g de queijo minas – 207 mg de cálcio
– 1/2 xícara de amêndoas – 189 mg
– 150 g de brócolis cozidos – 130 mg

Para alcançar uma quantidade boa de cálcio no organismo basta ingerir num dia, dois iogurtes desnatados, um pão com duas fatias de queijo por exemplo ao lanche e um vegetal verde escuro ao almoço como o brócolis ou a couve manteiga.

Funções do cálcio

O cálcio no organismo está distribuído entre os ossos, dentes e sangue estando envolvido no metabolismo de todas as células do corpo como no mecanismo de contração muscular dos membros ou do coração, na transmissão de impulsos nervosos entre o cérebro e o resto do corpo até no equilíbrio do Ph do sangue.

O cálcio no organismo participa da:

– Força óssea;
– Estrutura de ossos e dentes;
– Impulsos nervosos;
– Contrações musculares;
– Coagulação do sangue;
– Permeabilidade celular
– Absorção do cálcio

Para que o cálcio seja absorvido de forma eficiente é importante que seja ingerido sem alimentos que contenham cafeína ou ferro, pois estes nutrientes impedem a fixação do cálcio nos ossos. Os fitatos e oxalatos presente em muitos vegetais como o feijão ou o espinafre, daí a importancia em ingerir alimentos fonte de cálcio o mais variado possível.

Outro fator essencial para a absorção do cálcio é a presença da Vitamina D, que estimula o intestino a absorver o cálcio ingerido. Mas além do leite, poucos alimentos são ricos em Vitamina D, porém quando a pele é exposta ao sol a luz ultravioleta converte o ergosterol, precursor da vit.D nos vegetais e o calciferol, precursor da vit.D nos animais, em vitamina D, que permite a absorção e cálcio pelo organismo.

A absorção do cálcio é muito importante para garantir que o cálcio ingerido na alimentação é de fato utilizado na prevenção e tratamento da osteoporose, e garantir a constituição dos ossos e contração muscular e sua presença em todas as funções em que é requisitado.

Além da alimentação, a atividade física, especialmente aquelas que envolvem impacto como corridas ou caminhadas aumentam também indiretamente a eficácia da absorção do cálcio e estimulam o acumulo da massa óssea.

Recomendação de cálcio para criança e adolescentes

A recomendação de cálcio por dia varia de acordo com a idade, sendo necessária para crianças de:

– 1 a 3 anos é de 500 miligramas
– 4 a 8 anos 800 miligramas
– 9 a 18 anos 1.300 miligramas

A infância é uma fase da vida em que o cálcio é importante para formar ossos fortes e firmes e crescerem mais longos e largos além de ajudar os dentes a se desenvolver de forma apropriada. Caso falte cálcio, os ossos poderão não crescer em todo o seu potencial de altura.

Recomendação do cálcio para adultos

A recomendação de cálcio por dia para adultos:

– entre 19 e 50 anos é 1000 miligramas
– a partir dos 50 anos é de 1.200 miligramas

Após os 25 anos, os ossos não crescem mais, mas ainda é possível se adicionar cálcio nos ossos consumindo alimentos fonte de cálcio, para que fiquem mais fortes e densos, pois na meia idade os osso começam natural e lentamente a perder cálcio, porém isso não é sinal de ossos fracos e quebradiços se durante a vida houve um consumo adequado de cálcio na alimentação.

Recomendação de cálcio na gravidez

A recomendação de cálcio para a gestante por dia também varia por idade, por isso:

– até 18 anos – 1,300 miligramas
– após os 18 anos- 1.000 miligramas

Durante a gravidez e amamentação a mulher fica mais carente do cálcio, mas caso o mineral não seja ingerido na alimentação, o corpo irá retirar dos ossos o cálcio necessário para suprir a necessidade do bebê e da produção de leite, deixando o ossos e outras estruturas mais fracas.

Fonte: Tua Saúde



Onze dicas para evitar a contaminação dos alimentos

20 de março de 2014 | Por admin

Essa é para você que se preocupa com a qualidade dos alimentos que estão à mesa. A contaminação é comum e pode ocorrer em várias etapas de produção até chegar à sua casa. Os tipos são: a contaminação biológica, ocasionada pela presença de bactérias, vírus, fungos, ou parasitas e a contaminação química, por agrotóxicos, fertilizantes e uso de medicamentos para tratar ou prevenir doenças em animais que fornecem carnes, ovos e leite.

Os remédios usados para prevenir doenças em animais fornecedores de alimentos já preocupam e são temas de pesquisas, pois, de fato, estão relacionados com vários problemas de saúde. Outro tipo que vale ressaltar é a contaminação causada pela presença de aditivos alimentares, como os corantes e conservantes. Além disso, tem a contaminação pela presença de objetos como pedras, madeiras, pregos, entre outros.

Para evitar, é preciso levar em conta que os microrganismos sobrevivem e se multiplicam. Para isso, eles necessitam de calor, água, umidade e nutrientes para sobreviver.

Muitos casos de contaminação ocorrem justamente no momento do preparo ou da conservação dos alimentos. A Gastrônoma Carina Pioli, Coordenadora do Curso de Gastronomia do Centro Universitário São Camilo, em São Paulo, dá 11 dicas especiais para fugir do problema:

1 . Lave sempre as mãos antes de preparar qualquer alimento.

2 . Lave os vegetais, em especial, se for consumi-los crus.

3 . Mantenha o local de preparo sempre limpo.

4 . Separe sempre os alimentos crus dos cozidos.

5 . Mantenha os alimentos em temperaturas adequadas, refrigerando o que é preciso e aquecendo o suficiente, quando necessário.

6 . Use matérias-primas confiáveis. Que tal optar pelos orgânicos?

7 . Limpe a geladeira periodicamente verificando sempre a data de validade dos produtos armazenados.

8 . Não descongele os alimentos em temperatura ambiente.

9 . Nunca utilize alimentos após a data de validade. Preste atenção ao rótulo.

10 . Mantenha peixes, carnes, ovos e laticínios na geladeira até o momento do preparo.

11 . Alimentos fora do refrigerador, principalmente no verão, têm o risco de apresentar a bactéria da Salmonella.

Fonte: Universo Jatobá



Entenda a importância do café da manhã

17 de março de 2014 | Por admin

Você tem o hábito de tomar café da manhã? A refeição, tão importante para a manutenção da saúde, é ignorada por até 30% dos brasileiros adultos. Esta refeição auxilia na manutenção de um peso saudável e na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares.

O café da manhã é ainda mais importante, pois é a primeira refeição do dia após 7 a 8 horas de jejum. Se a pessoa não come no início da manhã, corre o risco de ter uma ingestão excessiva de alimentos bem maior, como um processo de compulsão no final da manhã ou mesmo no almoço, consumindo alimentos altamente energéticos. O fracionamento adequado da alimentação, o que inclui a realização do café da manhã, é um ponto chave para o controle da fome e da saciedade no decorrer do dia.

Crianças que não fazem a refeição apresentam ingestão reduzida de nutrientes como, por exemplo, vitaminas A, E, C, B6, B12, folato, ferro, cálcio, fósforo, magnésio, potássio e fibra alimentar. Os especialistas recomendam que o dia seja composto de quatro a seis refeições diárias, distribuídas em três refeições principais (café da manhã, almoço e jantar), com 15% a 35% das recomendações diárias de energia, e em até três lanches intermediários (manhã, tarde e noite), com 5% a 15% das recomendações diárias de energia.

Mesmo com a escassez de tempo, é possível incluir alimentos de alto valor nutritivo no café da manhã, como o iogurte, por exemplo. O iogurte é um alimento fonte de cálcio (em média 120mg de cálcio a cada 100g), nutriente que exerce papel fundamental na saúde óssea. O consumo de uma porção de iogurte natural por dia oferece 29% da recomendação diária de cálcio. Ele contém proteínas de alto valor biológico e probióticos. Além disso, no iogurte a lactose (açúcar do leite) é parcialmente fermentada pelas bactérias, podendo ser uma alternativa de consumo de um alimento fonte de cálcio por indivíduos com intolerância à lactose.

Segundo a nutricionista, Marcia Vitolo, além do iogurte, outros alimentos como frutas, biscoitos integrais, queijos pasteurizados, bolos simples, mix de castanhas e frutas secas, são ótimas opções no café da manhã.

Fonte: Universo Jatobá



Espante a sonolência que ataca durante o dia

5 de março de 2014 | Por admin

A sensação de sono é comum, mas pode ser controlada

POR FERNANDO MENEZES

A sonolência durante o dia é um problema que afeta mais de sete milhões de brasileiros segundo um levantamento feito pelo IBGE em 2009. De acordo com a instituição, esse problema traz malefícios para o bem-estar e saúde dos indivíduos, já que o desânimo prejudica, e muito, a execução de tarefas diárias.

Segundo o coordenador do setor de ritmos biológicos Sílvio Júnior, do Centro de Estudos em Sonolência e Acidentes da Unifesp, os jovens sofrem ainda mais com a sonolência. Isso acontece porque entre 14 e 22 anos, o ciclo do sono tende a ser mais vespertino. “O corpo do jovem está mais disposto a dormir tarde e acordar tarde. Quando uma pessoa de até 22 anos passa a conviver com a rotina de trabalho, ela passa a ter um déficit de sono”.

Além disso, como a vida social é muito comum nessa faixa etária, e o jovem não quer gastar o tempo livre dormindo, é comum que ele durma apenas cinco horas por noite. Com tão poucas horas de sono, o resultado é você caindo pelas tabelas em plena luz do dia. Mas dá para vencer a batalha contra a sonolência. Logo abaixo, você confere algumas dicas, mas a regra número 1, e mais eficiente, e tentar passar melhorar a qualidade do seu sono.

Prato saudável

De acordo com Sílvio Júnior, uma vida mais regrada diminui a fadiga durante o dia. “Estabelecer um horário para fazer as refeições, atividades físicas, leitura e, principalmente, uma hora para dormir, regula o ritmo hormonal e faz com que o sono chegue na hora certa”, explica.

No entanto, o isso não é o bastante para acabar com a sonolência. Outro fator importante é a alimentação. Fazer as refeições em um horário pré-determinado é uma das principais aliadas contra a sonolência. É ela que vai regular o ritmo da produção de hormônios no organismo. “Além disso, exagerar na comida pode levar a um quadro de obesidade, que prejudica ainda mais a sensação de sonolência, já que pessoas com sobrepeso têm mais dificuldade para dormir”, aponta Silvio.

Vale o cuidado para o consumo de alimentos ricos em carboidratos complexos, como pães, massas e doces. O nosso organismo leva muito mais tempo para digeri-los, o que significa que o corpo irá gastar mais energia no processo digestivo, muito menos nas outras funções. Isso deixará a pessoa mais cansada. Invista em alimentos como nozes, legumes e frutas ricas em vitamina C, como laranja, limão, tangerina e caju, que deixam o corpo com mais energia durante o dia.

Efeito rebote

Café, refrigerantes do tipo cola e alguns chás: eles são ricos em cafeína, um poderoso estimulante que faz o corpo reagir assim: o sistema nervoso é acionado, glândulas liberam adrenalina, o coração bate mais rápido e o sangue ganha mais glicose. Por isso, a cafeína é conhecida como uma grande aliada para aumentar a disposição, melhorar a concentração e aplacar o sono.

Mas, quando é consumida em exagero, ela acelera o ritmo cardíaco, faz a pressão subir e os rins trabalharem mais, aumentando a vontade de urinar. O ideal é consumir, no máximo, 300 mg de cafeína por dia, o que equivale a três xícaras de café. Porém, esse limite pode variar (para menos ou para mais), já que cada pessoa tem um grau diferente de sensibilidade à cafeína.

Principalmente as bebidas que contém cafeína na composição agem como um estimulante, deixando a pessoa mais disposta por algumas horas e pronta para realizar tarefas. No entanto, uma vez que o efeito passa, o problema da sonolência pode permanecer e até piorar. Tomar bebidas estimulantes causa um efeito cumulativo, ou seja, no dia seguinte é bem provável que a pessoa sinta mais sono e cansaço do que antes.

Na hora de dormir

A qualidade do sono é essencial para evitar a sonolência no dia seguinte. “Dormir em um lugar escuro, com temperatura amena e sem muito barulho é um ótimo método de evitar a sonolência no dia seguinte”, diz Silvio. Essa dica é importante, principalmente para as pessoas que não podem aumentar o número de horas dormidas.

“O que importa nem sempre é a quantidade, e sim a qualidade do sono.” Uma medida simples que ajuda a acabar com a insônia e previne a sonolência no dia seguinte é uma das mais populares: tomar leite quente. “O leite não faz diferença, o que ajuda a pessoa a dormir é elevar a temperatura do corpo. Quando o corpo está “morno” há uma série de reações que servem como sinais para que o organismo diminua o ritmo e sua temperatura. Por isso que bebidas como leite, chá ou qualquer outra com a temperatura mais elevada, ou até mesmo um banho quente, ajudam a pegar no sono por causar uma resposta termorreguladora”, explica Silvio.

Terapias

Existem alguns tratamentos que podem ajudar a controlar o sono e diminuir a sonolência durante o dia. Dois delas são a ioga e a aromaterapia. Segundo um estudo feito TriHealth Sleep Center, em Cincinatti, a ioga pode auxiliar nos problemas do sono relaxando músculos tensos, liberando a tensão e colocando o corpo em um profundo estado de relaxamento.

Os exercícios de respiração e alongamento são feitos para diminuir a ansiedade e o estresse. Fazer esse exercício um pouco antes de dormir melhora o sono e a disposição no dia seguinte. Depois de um tempo, as aulas de ioga servem como estimulantes e ajudam a regular o metabolismo.

A aromoterapia também pode atenuar e até acabar com a sonolência e regular a produção de hormônios que regulam o sono. Pesquisadores da American Herb Association Quarterly constataram que o aroma de canela reduz a sonolência, a irritabilidade e a frequência de dores de cabeça. Além da canela, aromas de limão e menta são usados para reduzir a sonolência no meio do expediente de trabalho.

Mesmo que essas terapias consigam resultados satisfatórios a maioria das vezes, o paciente que procurar esse tipo de tratamento deve ficar atento a alguns detalhes. Existem dois tipos de classificação para as pessoas em relação ao sono: as pessoas de sono longo, que precisam dormir aproximadamente 10 horas para recuperar as energias, e as pessoas de sono curto, que ficam satisfeitas e revigoradas depois de cinco horas de sono. “O tratamento contra a sonolência deve levar em conta o perfil de cada pessoa. Por isso, indicar receitas para tirar ou aumentar as horas de sono antes de saber qual é o tipo de sono de cada paciente é pouco eficiente e pode até piorar a vida da pessoa”, diz Sílvio.

Se a pessoa tiver algum tempo livre durante o dia, uma boa dica que é recomendada por todos os terapeutas é praticar algum tipo de exercício físico. Além de regular a produção de hormônios e deixar o metabolismo funcionando de um modo mais acelerado, a prática de atividades físicas faz o corpo gastar muito energia, que precisa ser recuperada durante o sono. E, depois de uma boa noite de sono, não há quem não fique mais disposto.

Outros dois maus hábitos grandes causadores da sonolência são o tabagismo e o consumo de bebida alcoólica. O álcool e o cigarro alteram o funcionamento de nosso corpo, deixando-o mais ativo, quando deveríamos estar dormindo, e sem energia, enquanto deveríamos estar alerta.

Fonte: R7 Minha Vida



Evitar a solidão e se exercitar ajuda a viver mais e melhor

3 de março de 2014 | Por admin

Praticar exercícios regularmente e evitar viver sozinho permite viver mais e melhor,garantem pesquisadores americanos. “Sentir-se extremamente sozinho pode aumentar em 14% o risco de morte precoce em uma pessoa idosa. O impacto é tão nefasto quanto o fato de ser socialmente desfavorecido”, diz John Cacioppo, professor de Psicologia na Universidade de Chicago, citando uma análise de vários estudos científicos publicada em 2010.

Esses trabalhos, feitos com base em uma pesquisa com 20 mil pessoas, revelam que a sensação de solidão profunda está acompanhada de perturbações do sono, hipertensão arterial, alteração do sistema imunológico e um aumento dos estados depressivos. A decisão de muitos aposentados americanos de se mudar para a Flórida (sudeste), onde o custo de vida é mais baixo, e viver “em um clima mais benigno, mas em um meio desconhecido, não é necessariamente uma boa ideia, se isto significa se afastar das pessoas às quais se está ligado afetivamente”, adverte o psicólogo, que apresentou neste domingo seus trabalhos durante conferência anual da Associação Americana para o Avanço da Ciência, celebrada em Chicago (Illinois).

Com frequência, a solidão é acompanhada de vida sedentária, um fator que contribui para debilitar a saúde, acrescenta. O exercício, mesmo que seja caminhar regularmente com algum ritmo, pode diminuir pela metade os riscos de doenças cardiovasculares e de desenvolver Mal de Alzheimer. A atividade física também detém o envelhecimento normal do cérebro em pessoas idosas, explicou à AFP durante a conferência Kirk Erickson, professor de Psicologia da Universidade de Pittsburgh (Pensilvânia, leste).

Com a idade, o cérebro diminui e a atividade física permite melhorar o funcionamento geral e aumentar o volume do hipocampo em 2%, retardando, com isso, o envelhecimento, afirma Erickson, baseando-se principalmente em um estudo feito com 120 pessoas de 65 anos ou mais.

Fonte: Saúde Terra



Nutrientes fundamentais: confira 5 dicas

27 de fevereiro de 2014 | Por admin

Repare no seu prato. Será que você se alimenta com todos os nutrientes necessários? Para isso, todos os grupos de alimentos precisam ser consumidos ao longo do dia, pois isso confere mais disposição e qualidade de vida. Hoje o Universo Jatobá traz cinco dicas fundamentais para que equilibrar o seu cardápio.

Entre os micronutrientes, que são os componentes necessários em quantias extremamente pequenas à manutenção das funções do organismo, as vitaminas do complexo B são fundamentais para a produção de energia, assim como o zinco, mineral importante para o metabolismo energético. O óleo de linhaça é uma boa opção.

Já no grupo de macronutrientes, componentes de fundamental importância para o organismo e responsáveis por fornecer 90% do peso seco da dieta e 100% de sua energia, a proteína representa grande importância. Ela exerce funções importantes no mecanismo de defesa, colabora com a produção de insulina, fortalece o colágeno da pele, das unhas e dos cabelos, e é fonte de energia.

A proteína é o principal componente funcional e estrutural de todas as células do corpo e seu consumo é essencial para manter a integridade e a função celular. Para que a atuação da proteína seja eficiente e adequada, ela deve ser consumida diversas vezes ao dia. “O ideal é que porções de proteína sejam divididas durante as refeições do dia. Isso contribui para o equilíbrio da alimentação, maior saciedade e melhor aproveitamento do nutriente pelo organismo”, explica Gisele Pavin, coordenadora de Saúde e Nutrição da Unilever.

Um dos alimentos mais eficientes para o consumo de proteína é a soja. Considerada um dos mais completos alimentos de origem vegetal, a soja apresenta proteína de alto valor biológico, e contém todos os aminoácidos essenciais e em quantidades suficientes para a digestibilidade.

Veja as dicas da nutricionista:

1 . Fracione a alimentação. Comer várias vezes ao dia, em pequenas porções, ajuda a manter a energia constante, acelera o metabolismo e evita a hipoglicemia (falta de açúcar no sangue), que pode causar fraqueza.

2 . O café da manhã é fundamental para proporcionar energia para o começo do dia! Durante a noite o corpo usa os estoques de energia para manter o organismo funcionado e esta energia precisa ser reposta. Que tal uma opção orgânica?

3 . Coma o mínimo de alimentos ricos em gordura possível para não ficar com aquela sensação de desânimo. Retire a gordura aparente das carnes, troque a manteiga pelo creme vegetal, evite frituras e massas folhadas.

4 . Os carboidratos complexos, como cereais integrais, arroz integral e farelo de trigo, proporcionam a liberação de energia de forma mais gradativa, pois contêm mais fibras. Portanto, seu consumo proporciona mais disposição ao longo do dia.

5 . Inclua soja na dieta. A soja pode ser facilmente incorporada a uma alimentação saudável de diferentes formas, como grãos cozidos, em saladas ou refogados, como hambúrguer, legumes recheados, estrogonofe, lasanha e bebidas à base de soja, que também são fonte de vitaminas e minerais, importantes para o fornecimento de energia.

Não sabe por onde começar? Consulte o seu nutricionista.

Fonte: Universo Jatobá



11 alimentos proibidos na lancheira das crianças

18 de fevereiro de 2014 | Por admin

Por Danielle Nordi

“Os lanches devem ser escolhidos com a preocupação de serem saudáveis, e não pela praticidade”, alerta médica. Veja itens que não devem fazer parte da alimentação na escola

Em muitos casos, são cinco opções durante a semana. E esse número pode chegar a uma dezena. Tudo depende se a criança faz um ou dois lanches durante o período que fica na escola. É preciso muita criatividade para manter a lancheira escolar abastecida com opções atrativas para as crianças e, acima de tudo, saudáveis.

Veja, na galeria abaixo, alimentos que não devem fazer parte da lancheira:

“Os lanches devem ser escolhidos com a preocupação de serem saudáveis para o bom desenvolvimento das crianças. Os pais não devem optar por determinados alimentos apenas pela praticidade”, observa Sonia Liston, pediatra do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcellos.

“A preocupação maior dos pais deve ser oferecer uma refeição balanceada aos filhos, principalmente observando a oferta energética das opções escolhidas”, alerta Ana Luisa Vilela, nutróloga da clínica SlimForm.

De acordo com Sonia, a lancheira ideal não precisa conter muitos itens. A médica sugere dois alimentos por lanche: “Uma fruta e um suco ou uma fatia de pão integral com algum tipo de queijo e uma água de coco são boas opções”. Ofertar menos itens também é uma boa estratégia para evitar muitas repetições durante a semana. Ana Luisa concorda: “Se o lanche for monótono, sem variação, a criança perderá o interesse e pode se recusar a comê-lo”.

Escolhas corretas

No caso das frutas, prefira as que podem ser consumidas com casca ou que ela possa ser retirada com facilidade, ensina a nutróloga. Para hidratar, sucos naturais são uma boa opção. Se a escola não oferecer condições ideias de armazenamento, como uma geladeira para as lancheiras, os pais devem optar por água de coco de garrafinha ou sucos de caixinha sem adição de conservantes e açúcar. Os sucos de caixinha, aliás, merecem atenção redobrada. Fuja de bebidas industrializadas ricas em açúcar e sem valor nutricional.

Ana Luisa alerta ainda para a necessidade de ofertar carboidrato e proteína diariamente na lancheira escolar. “O carboidrato, preferencialmente integral, é importante para manter a energia e a proteína é indispensável para o crescimento e desenvolvimento da criança”, explica.

Fonte: Delas IG



10 dicas para reduzir a vontade de comer doces e emagrecer

14 de fevereiro de 2014 | Por admin

Você pegou firme na dieta, deixou pães e massas de lado, mas não consegue emagrecer por causa dos doces? Confira as dicas, aprenda a controlar a vontade e descubra que parar de cometer deslizes é possível.

Fernanda Cury

Conteúdo ANAMARIA

1. Tenha sempre chicletes sem açúcar na bolsa.

“Eles vão fazer com que a serotonina, substância relacionada ao prazer, seja liberada e reduzirão a vontade exagerada de comer doce”, ensina a nutricionista Vivian Goldberger, do Portal Cartilha Cor de Rosa.

2. Se bater aquela vontade desesperada por um docinho… cheire um pedaço de chocolate!

Os receptores do seu cérebro responsáveis pelas sensações de prazer serão enganados e a compulsão por doces, controlada.

3. Consuma alimentos ricos em triptofano.

A substância que age na produção de serotonina, ajuda a diminuir o estresse e a ansiedade e ainda controla a vontade de açúcar. “Aposte em aveia, banana, maçã, canela, grãos em geral e castanha-dopará”, ensina a nutricionista.

4. Mexa-se!

A prática de exercícios estimula a liberação de hormônios responsáveis pela sensação de bem-estar, o mesmo efeito causado pelos doces.

5. Olhe para outro lado!

Evite ter doces à vista em casa e fuja dos programas de culinária da TV que convidam para ataques noturnos à geladeira.

6. Coma de três em três horas.

Quando a fome dispara, você sente uma vontade incontrolável por doces e carboidratos.

7. Tome café da manhã, sim!

Pular essa refeição aumenta o desejo por guloseimas. Ela garante disposição para as atividades do dia, evitando que seu organismo busque energia em outras fontes, como nos doces.

8. Modere nos carboidratos.

A ingestão de massas e pães libera insulina no sangue. E esse hormônio ativa a região cerebral responsável pelo apetite.

9. Vá de frutas!

Os doces contêm um açúcar chamado sacarose, que tem absorção rápida. Já as frutas contêm frutose, que demora para ser absorvida pelo organismo e, por isso, prolonga a sensação de saciedade.

10. Evite a ansiedade e o estresse.

Procure fontes de prazer que sejam isentas de açúcar. Sexo, por exemplo! Bem-feitinho, ele pode até queimar algumas calorias, que tal?

E se cair em tentação?

Controle a quantidade! Procure comer doce em pequenas porções e somente uma vez ao dia. Os que têm castanhas ou frutas são ricos em fibras e gorduras boas, que fazem com que o açúcar seja absorvido lentamente, controlando o desejo e evitando ataques. “Comer como sobremesa também ajuda, já que as fibras de alimentos como verduras e legumes absorvem o açúcar, levando-o para fora do organismo e evitando os picos de insulina, que podem provocar acúmulo de gordura abdominal”, alerta Vivian. Já se você pratica atividade física regularmente, deixe para comer um docinho uma hora antes do treino. As calorias serão queimadas sem dificuldade.

Fonte: M de Mulher



Corrida é para todos?

27 de janeiro de 2014 | Por admin

Traz benefícios no condicionamento, na composição corporal e no humor.

Correr é uma moda que se iniciou na década de 70 e hoje em dia está em alta. É uma verdadeira febre, talvez pela facilidade, afinal; basta ter um par de tênis. Outros acreditam que a corrida é algo natural que não exige prática nem habilidade, tem um alto gasto energético e, sendo assim, é muito bom para emagrecer.

Realmente a corrida é um esporte considerado “natural”, trás muitos benefícios não somente relacionados ao condicionamento cardio-respiratório e perda de peso, mas também à manutenção da massa óssea, melhora de humor e outros.

Porém, ao contrário do que se acredita não é qualquer um que pode calçar um tênis e sair correndo, a corrida de fundo é um esporte árduo que exige muito do sistema cardio-respiratório, alguém descondicionado, acima do peso que descida correr sem consultar um médico e um educador físico corre um potencial risco cardíaco. Além disso, problemas ortopédicos são mais comuns nos que praticam corrida sem orientação. Correr também pode levar a desidratação, náuseas, tontura, e acelerar problemas com insolação.

Para se evitar tais riscos é imprescindível se consultar um médico e um profissional de educação física antes de se começar a correr. Por mais natural que seja, a corrida de rua é um esporte que causa grande estresse no organismo. Se este estiver preparado todos os benefícios da corrida poderão ser desfrutados.

Tomados os cuidados a corrida é um dos esportes mais práticos e fáceis de se fazer, em qualquer lugar e a qualquer hora, basta ter um par de tênis adequado, gozar de boa saúde, se hidratar e correr!

Fonte: BBEL 



Páginas:«123456

Certificados e Prêmios



Realizações Cemara
Realizações Cemara
Realizações Cemara
Realizações Cemara