Mostrando posts da categoria: Qualidade de vida


Onze dicas para evitar a contaminação dos alimentos

20 de março de 2014 | Por admin

Essa é para você que se preocupa com a qualidade dos alimentos que estão à mesa. A contaminação é comum e pode ocorrer em várias etapas de produção até chegar à sua casa. Os tipos são: a contaminação biológica, ocasionada pela presença de bactérias, vírus, fungos, ou parasitas e a contaminação química, por agrotóxicos, fertilizantes e uso de medicamentos para tratar ou prevenir doenças em animais que fornecem carnes, ovos e leite.

Os remédios usados para prevenir doenças em animais fornecedores de alimentos já preocupam e são temas de pesquisas, pois, de fato, estão relacionados com vários problemas de saúde. Outro tipo que vale ressaltar é a contaminação causada pela presença de aditivos alimentares, como os corantes e conservantes. Além disso, tem a contaminação pela presença de objetos como pedras, madeiras, pregos, entre outros.

Para evitar, é preciso levar em conta que os microrganismos sobrevivem e se multiplicam. Para isso, eles necessitam de calor, água, umidade e nutrientes para sobreviver.

Muitos casos de contaminação ocorrem justamente no momento do preparo ou da conservação dos alimentos. A Gastrônoma Carina Pioli, Coordenadora do Curso de Gastronomia do Centro Universitário São Camilo, em São Paulo, dá 11 dicas especiais para fugir do problema:

1 . Lave sempre as mãos antes de preparar qualquer alimento.

2 . Lave os vegetais, em especial, se for consumi-los crus.

3 . Mantenha o local de preparo sempre limpo.

4 . Separe sempre os alimentos crus dos cozidos.

5 . Mantenha os alimentos em temperaturas adequadas, refrigerando o que é preciso e aquecendo o suficiente, quando necessário.

6 . Use matérias-primas confiáveis. Que tal optar pelos orgânicos?

7 . Limpe a geladeira periodicamente verificando sempre a data de validade dos produtos armazenados.

8 . Não descongele os alimentos em temperatura ambiente.

9 . Nunca utilize alimentos após a data de validade. Preste atenção ao rótulo.

10 . Mantenha peixes, carnes, ovos e laticínios na geladeira até o momento do preparo.

11 . Alimentos fora do refrigerador, principalmente no verão, têm o risco de apresentar a bactéria da Salmonella.

Fonte: Universo Jatobá



Entenda a importância do café da manhã

17 de março de 2014 | Por admin

Você tem o hábito de tomar café da manhã? A refeição, tão importante para a manutenção da saúde, é ignorada por até 30% dos brasileiros adultos. Esta refeição auxilia na manutenção de um peso saudável e na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares.

O café da manhã é ainda mais importante, pois é a primeira refeição do dia após 7 a 8 horas de jejum. Se a pessoa não come no início da manhã, corre o risco de ter uma ingestão excessiva de alimentos bem maior, como um processo de compulsão no final da manhã ou mesmo no almoço, consumindo alimentos altamente energéticos. O fracionamento adequado da alimentação, o que inclui a realização do café da manhã, é um ponto chave para o controle da fome e da saciedade no decorrer do dia.

Crianças que não fazem a refeição apresentam ingestão reduzida de nutrientes como, por exemplo, vitaminas A, E, C, B6, B12, folato, ferro, cálcio, fósforo, magnésio, potássio e fibra alimentar. Os especialistas recomendam que o dia seja composto de quatro a seis refeições diárias, distribuídas em três refeições principais (café da manhã, almoço e jantar), com 15% a 35% das recomendações diárias de energia, e em até três lanches intermediários (manhã, tarde e noite), com 5% a 15% das recomendações diárias de energia.

Mesmo com a escassez de tempo, é possível incluir alimentos de alto valor nutritivo no café da manhã, como o iogurte, por exemplo. O iogurte é um alimento fonte de cálcio (em média 120mg de cálcio a cada 100g), nutriente que exerce papel fundamental na saúde óssea. O consumo de uma porção de iogurte natural por dia oferece 29% da recomendação diária de cálcio. Ele contém proteínas de alto valor biológico e probióticos. Além disso, no iogurte a lactose (açúcar do leite) é parcialmente fermentada pelas bactérias, podendo ser uma alternativa de consumo de um alimento fonte de cálcio por indivíduos com intolerância à lactose.

Segundo a nutricionista, Marcia Vitolo, além do iogurte, outros alimentos como frutas, biscoitos integrais, queijos pasteurizados, bolos simples, mix de castanhas e frutas secas, são ótimas opções no café da manhã.

Fonte: Universo Jatobá



Espante a sonolência que ataca durante o dia

5 de março de 2014 | Por admin

A sensação de sono é comum, mas pode ser controlada

POR FERNANDO MENEZES

A sonolência durante o dia é um problema que afeta mais de sete milhões de brasileiros segundo um levantamento feito pelo IBGE em 2009. De acordo com a instituição, esse problema traz malefícios para o bem-estar e saúde dos indivíduos, já que o desânimo prejudica, e muito, a execução de tarefas diárias.

Segundo o coordenador do setor de ritmos biológicos Sílvio Júnior, do Centro de Estudos em Sonolência e Acidentes da Unifesp, os jovens sofrem ainda mais com a sonolência. Isso acontece porque entre 14 e 22 anos, o ciclo do sono tende a ser mais vespertino. “O corpo do jovem está mais disposto a dormir tarde e acordar tarde. Quando uma pessoa de até 22 anos passa a conviver com a rotina de trabalho, ela passa a ter um déficit de sono”.

Além disso, como a vida social é muito comum nessa faixa etária, e o jovem não quer gastar o tempo livre dormindo, é comum que ele durma apenas cinco horas por noite. Com tão poucas horas de sono, o resultado é você caindo pelas tabelas em plena luz do dia. Mas dá para vencer a batalha contra a sonolência. Logo abaixo, você confere algumas dicas, mas a regra número 1, e mais eficiente, e tentar passar melhorar a qualidade do seu sono.

Prato saudável

De acordo com Sílvio Júnior, uma vida mais regrada diminui a fadiga durante o dia. “Estabelecer um horário para fazer as refeições, atividades físicas, leitura e, principalmente, uma hora para dormir, regula o ritmo hormonal e faz com que o sono chegue na hora certa”, explica.

No entanto, o isso não é o bastante para acabar com a sonolência. Outro fator importante é a alimentação. Fazer as refeições em um horário pré-determinado é uma das principais aliadas contra a sonolência. É ela que vai regular o ritmo da produção de hormônios no organismo. “Além disso, exagerar na comida pode levar a um quadro de obesidade, que prejudica ainda mais a sensação de sonolência, já que pessoas com sobrepeso têm mais dificuldade para dormir”, aponta Silvio.

Vale o cuidado para o consumo de alimentos ricos em carboidratos complexos, como pães, massas e doces. O nosso organismo leva muito mais tempo para digeri-los, o que significa que o corpo irá gastar mais energia no processo digestivo, muito menos nas outras funções. Isso deixará a pessoa mais cansada. Invista em alimentos como nozes, legumes e frutas ricas em vitamina C, como laranja, limão, tangerina e caju, que deixam o corpo com mais energia durante o dia.

Efeito rebote

Café, refrigerantes do tipo cola e alguns chás: eles são ricos em cafeína, um poderoso estimulante que faz o corpo reagir assim: o sistema nervoso é acionado, glândulas liberam adrenalina, o coração bate mais rápido e o sangue ganha mais glicose. Por isso, a cafeína é conhecida como uma grande aliada para aumentar a disposição, melhorar a concentração e aplacar o sono.

Mas, quando é consumida em exagero, ela acelera o ritmo cardíaco, faz a pressão subir e os rins trabalharem mais, aumentando a vontade de urinar. O ideal é consumir, no máximo, 300 mg de cafeína por dia, o que equivale a três xícaras de café. Porém, esse limite pode variar (para menos ou para mais), já que cada pessoa tem um grau diferente de sensibilidade à cafeína.

Principalmente as bebidas que contém cafeína na composição agem como um estimulante, deixando a pessoa mais disposta por algumas horas e pronta para realizar tarefas. No entanto, uma vez que o efeito passa, o problema da sonolência pode permanecer e até piorar. Tomar bebidas estimulantes causa um efeito cumulativo, ou seja, no dia seguinte é bem provável que a pessoa sinta mais sono e cansaço do que antes.

Na hora de dormir

A qualidade do sono é essencial para evitar a sonolência no dia seguinte. “Dormir em um lugar escuro, com temperatura amena e sem muito barulho é um ótimo método de evitar a sonolência no dia seguinte”, diz Silvio. Essa dica é importante, principalmente para as pessoas que não podem aumentar o número de horas dormidas.

“O que importa nem sempre é a quantidade, e sim a qualidade do sono.” Uma medida simples que ajuda a acabar com a insônia e previne a sonolência no dia seguinte é uma das mais populares: tomar leite quente. “O leite não faz diferença, o que ajuda a pessoa a dormir é elevar a temperatura do corpo. Quando o corpo está “morno” há uma série de reações que servem como sinais para que o organismo diminua o ritmo e sua temperatura. Por isso que bebidas como leite, chá ou qualquer outra com a temperatura mais elevada, ou até mesmo um banho quente, ajudam a pegar no sono por causar uma resposta termorreguladora”, explica Silvio.

Terapias

Existem alguns tratamentos que podem ajudar a controlar o sono e diminuir a sonolência durante o dia. Dois delas são a ioga e a aromaterapia. Segundo um estudo feito TriHealth Sleep Center, em Cincinatti, a ioga pode auxiliar nos problemas do sono relaxando músculos tensos, liberando a tensão e colocando o corpo em um profundo estado de relaxamento.

Os exercícios de respiração e alongamento são feitos para diminuir a ansiedade e o estresse. Fazer esse exercício um pouco antes de dormir melhora o sono e a disposição no dia seguinte. Depois de um tempo, as aulas de ioga servem como estimulantes e ajudam a regular o metabolismo.

A aromoterapia também pode atenuar e até acabar com a sonolência e regular a produção de hormônios que regulam o sono. Pesquisadores da American Herb Association Quarterly constataram que o aroma de canela reduz a sonolência, a irritabilidade e a frequência de dores de cabeça. Além da canela, aromas de limão e menta são usados para reduzir a sonolência no meio do expediente de trabalho.

Mesmo que essas terapias consigam resultados satisfatórios a maioria das vezes, o paciente que procurar esse tipo de tratamento deve ficar atento a alguns detalhes. Existem dois tipos de classificação para as pessoas em relação ao sono: as pessoas de sono longo, que precisam dormir aproximadamente 10 horas para recuperar as energias, e as pessoas de sono curto, que ficam satisfeitas e revigoradas depois de cinco horas de sono. “O tratamento contra a sonolência deve levar em conta o perfil de cada pessoa. Por isso, indicar receitas para tirar ou aumentar as horas de sono antes de saber qual é o tipo de sono de cada paciente é pouco eficiente e pode até piorar a vida da pessoa”, diz Sílvio.

Se a pessoa tiver algum tempo livre durante o dia, uma boa dica que é recomendada por todos os terapeutas é praticar algum tipo de exercício físico. Além de regular a produção de hormônios e deixar o metabolismo funcionando de um modo mais acelerado, a prática de atividades físicas faz o corpo gastar muito energia, que precisa ser recuperada durante o sono. E, depois de uma boa noite de sono, não há quem não fique mais disposto.

Outros dois maus hábitos grandes causadores da sonolência são o tabagismo e o consumo de bebida alcoólica. O álcool e o cigarro alteram o funcionamento de nosso corpo, deixando-o mais ativo, quando deveríamos estar dormindo, e sem energia, enquanto deveríamos estar alerta.

Fonte: R7 Minha Vida



Evitar a solidão e se exercitar ajuda a viver mais e melhor

3 de março de 2014 | Por admin

Praticar exercícios regularmente e evitar viver sozinho permite viver mais e melhor,garantem pesquisadores americanos. “Sentir-se extremamente sozinho pode aumentar em 14% o risco de morte precoce em uma pessoa idosa. O impacto é tão nefasto quanto o fato de ser socialmente desfavorecido”, diz John Cacioppo, professor de Psicologia na Universidade de Chicago, citando uma análise de vários estudos científicos publicada em 2010.

Esses trabalhos, feitos com base em uma pesquisa com 20 mil pessoas, revelam que a sensação de solidão profunda está acompanhada de perturbações do sono, hipertensão arterial, alteração do sistema imunológico e um aumento dos estados depressivos. A decisão de muitos aposentados americanos de se mudar para a Flórida (sudeste), onde o custo de vida é mais baixo, e viver “em um clima mais benigno, mas em um meio desconhecido, não é necessariamente uma boa ideia, se isto significa se afastar das pessoas às quais se está ligado afetivamente”, adverte o psicólogo, que apresentou neste domingo seus trabalhos durante conferência anual da Associação Americana para o Avanço da Ciência, celebrada em Chicago (Illinois).

Com frequência, a solidão é acompanhada de vida sedentária, um fator que contribui para debilitar a saúde, acrescenta. O exercício, mesmo que seja caminhar regularmente com algum ritmo, pode diminuir pela metade os riscos de doenças cardiovasculares e de desenvolver Mal de Alzheimer. A atividade física também detém o envelhecimento normal do cérebro em pessoas idosas, explicou à AFP durante a conferência Kirk Erickson, professor de Psicologia da Universidade de Pittsburgh (Pensilvânia, leste).

Com a idade, o cérebro diminui e a atividade física permite melhorar o funcionamento geral e aumentar o volume do hipocampo em 2%, retardando, com isso, o envelhecimento, afirma Erickson, baseando-se principalmente em um estudo feito com 120 pessoas de 65 anos ou mais.

Fonte: Saúde Terra



Nutrientes fundamentais: confira 5 dicas

27 de fevereiro de 2014 | Por admin

Repare no seu prato. Será que você se alimenta com todos os nutrientes necessários? Para isso, todos os grupos de alimentos precisam ser consumidos ao longo do dia, pois isso confere mais disposição e qualidade de vida. Hoje o Universo Jatobá traz cinco dicas fundamentais para que equilibrar o seu cardápio.

Entre os micronutrientes, que são os componentes necessários em quantias extremamente pequenas à manutenção das funções do organismo, as vitaminas do complexo B são fundamentais para a produção de energia, assim como o zinco, mineral importante para o metabolismo energético. O óleo de linhaça é uma boa opção.

Já no grupo de macronutrientes, componentes de fundamental importância para o organismo e responsáveis por fornecer 90% do peso seco da dieta e 100% de sua energia, a proteína representa grande importância. Ela exerce funções importantes no mecanismo de defesa, colabora com a produção de insulina, fortalece o colágeno da pele, das unhas e dos cabelos, e é fonte de energia.

A proteína é o principal componente funcional e estrutural de todas as células do corpo e seu consumo é essencial para manter a integridade e a função celular. Para que a atuação da proteína seja eficiente e adequada, ela deve ser consumida diversas vezes ao dia. “O ideal é que porções de proteína sejam divididas durante as refeições do dia. Isso contribui para o equilíbrio da alimentação, maior saciedade e melhor aproveitamento do nutriente pelo organismo”, explica Gisele Pavin, coordenadora de Saúde e Nutrição da Unilever.

Um dos alimentos mais eficientes para o consumo de proteína é a soja. Considerada um dos mais completos alimentos de origem vegetal, a soja apresenta proteína de alto valor biológico, e contém todos os aminoácidos essenciais e em quantidades suficientes para a digestibilidade.

Veja as dicas da nutricionista:

1 . Fracione a alimentação. Comer várias vezes ao dia, em pequenas porções, ajuda a manter a energia constante, acelera o metabolismo e evita a hipoglicemia (falta de açúcar no sangue), que pode causar fraqueza.

2 . O café da manhã é fundamental para proporcionar energia para o começo do dia! Durante a noite o corpo usa os estoques de energia para manter o organismo funcionado e esta energia precisa ser reposta. Que tal uma opção orgânica?

3 . Coma o mínimo de alimentos ricos em gordura possível para não ficar com aquela sensação de desânimo. Retire a gordura aparente das carnes, troque a manteiga pelo creme vegetal, evite frituras e massas folhadas.

4 . Os carboidratos complexos, como cereais integrais, arroz integral e farelo de trigo, proporcionam a liberação de energia de forma mais gradativa, pois contêm mais fibras. Portanto, seu consumo proporciona mais disposição ao longo do dia.

5 . Inclua soja na dieta. A soja pode ser facilmente incorporada a uma alimentação saudável de diferentes formas, como grãos cozidos, em saladas ou refogados, como hambúrguer, legumes recheados, estrogonofe, lasanha e bebidas à base de soja, que também são fonte de vitaminas e minerais, importantes para o fornecimento de energia.

Não sabe por onde começar? Consulte o seu nutricionista.

Fonte: Universo Jatobá



Aprenda 5 técnicas incríveis de automassagem

21 de fevereiro de 2014 | Por admin

O alívio para a tensão nos pés, pernas, pescoço, costas e cabeça estão ao alcance da ponta dos seus dedos.

Beatriz Prieto

Conteúdo VIVA!MAIS

O pescoço geralmente é uma das regiões mais tensas
Foto: Getty Images

Garrafinha de água, tubo de PVC e bolinhas de tênis podem ser aliados práticos na hora do relaxamento. Quem garante é a massoterapeuta Karina Vilhena, que ensina, abaixo, cinco técnicas simples de automassagem, com movimentos espertos para fazer na cabeça, no pescoço, na coluna, nos pés e até nas pernas usando esses objetos. “Algumas manobras diárias ajudam a ter uma noite de sono melhor e um dia mais produtivo no trabalho”, diz a profissional. E leva só alguns minutinhos!

Cabeça

Quem vai ao cabeleireiro sabe como é gostoso receber massagem na cabeça. Mas você mesma pode acariciá-la durante o banho, ativando a circulação do couro cabeludo. “Faça círculos com a ponta dos cinco dedos, do topo da cabeça até a base do crânio. Depois, dê leves puxões no cabelo entrelaçando os dedos nos fios”, ensina a massoterapeuta Karina Vilhena.

Pescoço

“É uma unanimidade: todos são tensos!”, afirma a massoterapeuta. A boa notícia é que movimentos simples podem aliviar o rei do desconforto! “Com as mãos espalmadas, vá descendo lateralmente, do topo da cabeça até os ombros. Repita quantas vezes achar necessário. Depois, finalize fazendo pressão com a ponta dos dedos em cima das vértebras do pescoço”, ensina a profissional.

Pés

“Enquanto massageamos a sola dos pés, cuidamos de todos os órgãos do corpo”, diz Karina. Incrível, não? E temos uma técnica bem legal de automassagem que pega boa parte dos pontos do pé. Você coloca uma garrafinha de água gelada na planta do pé, que funciona como um massageador, e a move para frente e para trás. Faça sentada numa cadeira por dois minutos em cada pé.

Pernas

Um tubo de PVC pode aliviar a tensão dos músculos das coxas, sabia? Compre o produto numa loja de material de construção e sente-se sobre ele com as pernas esticadas. Vá deslizando o corpo para frente e para trás, massageando a parte de trás das pernas. “O efeito é drenante”, diz Karina. Faça por cinco minutos e, depois, alongue uma perna de cada vez para relaxar a coluna.

Coluna

Você vai adorar esse truque bacana para aliviar as dores nas costas, usando apenas duas bolinhas. Anote aí, é simples: deite-se sobre o chão de barriga para cima, mantendo os joelhos flexionados e os pés apoiados na superfície. Depois, flexione levemente a coluna e posicione duas bolinhas de tênis bem no finalzinho dela. Daí, deslize as costas sobre elas, fazendo um leve movimento de vaivém. Faça por cerca de cinco minutos.

Fonte: M de Mulher



11 alimentos proibidos na lancheira das crianças

18 de fevereiro de 2014 | Por admin

Por Danielle Nordi

“Os lanches devem ser escolhidos com a preocupação de serem saudáveis, e não pela praticidade”, alerta médica. Veja itens que não devem fazer parte da alimentação na escola

Em muitos casos, são cinco opções durante a semana. E esse número pode chegar a uma dezena. Tudo depende se a criança faz um ou dois lanches durante o período que fica na escola. É preciso muita criatividade para manter a lancheira escolar abastecida com opções atrativas para as crianças e, acima de tudo, saudáveis.

Veja, na galeria abaixo, alimentos que não devem fazer parte da lancheira:

“Os lanches devem ser escolhidos com a preocupação de serem saudáveis para o bom desenvolvimento das crianças. Os pais não devem optar por determinados alimentos apenas pela praticidade”, observa Sonia Liston, pediatra do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcellos.

“A preocupação maior dos pais deve ser oferecer uma refeição balanceada aos filhos, principalmente observando a oferta energética das opções escolhidas”, alerta Ana Luisa Vilela, nutróloga da clínica SlimForm.

De acordo com Sonia, a lancheira ideal não precisa conter muitos itens. A médica sugere dois alimentos por lanche: “Uma fruta e um suco ou uma fatia de pão integral com algum tipo de queijo e uma água de coco são boas opções”. Ofertar menos itens também é uma boa estratégia para evitar muitas repetições durante a semana. Ana Luisa concorda: “Se o lanche for monótono, sem variação, a criança perderá o interesse e pode se recusar a comê-lo”.

Escolhas corretas

No caso das frutas, prefira as que podem ser consumidas com casca ou que ela possa ser retirada com facilidade, ensina a nutróloga. Para hidratar, sucos naturais são uma boa opção. Se a escola não oferecer condições ideias de armazenamento, como uma geladeira para as lancheiras, os pais devem optar por água de coco de garrafinha ou sucos de caixinha sem adição de conservantes e açúcar. Os sucos de caixinha, aliás, merecem atenção redobrada. Fuja de bebidas industrializadas ricas em açúcar e sem valor nutricional.

Ana Luisa alerta ainda para a necessidade de ofertar carboidrato e proteína diariamente na lancheira escolar. “O carboidrato, preferencialmente integral, é importante para manter a energia e a proteína é indispensável para o crescimento e desenvolvimento da criança”, explica.

Fonte: Delas IG



10 dicas para reduzir a vontade de comer doces e emagrecer

14 de fevereiro de 2014 | Por admin

Você pegou firme na dieta, deixou pães e massas de lado, mas não consegue emagrecer por causa dos doces? Confira as dicas, aprenda a controlar a vontade e descubra que parar de cometer deslizes é possível.

Fernanda Cury

Conteúdo ANAMARIA

1. Tenha sempre chicletes sem açúcar na bolsa.

“Eles vão fazer com que a serotonina, substância relacionada ao prazer, seja liberada e reduzirão a vontade exagerada de comer doce”, ensina a nutricionista Vivian Goldberger, do Portal Cartilha Cor de Rosa.

2. Se bater aquela vontade desesperada por um docinho… cheire um pedaço de chocolate!

Os receptores do seu cérebro responsáveis pelas sensações de prazer serão enganados e a compulsão por doces, controlada.

3. Consuma alimentos ricos em triptofano.

A substância que age na produção de serotonina, ajuda a diminuir o estresse e a ansiedade e ainda controla a vontade de açúcar. “Aposte em aveia, banana, maçã, canela, grãos em geral e castanha-dopará”, ensina a nutricionista.

4. Mexa-se!

A prática de exercícios estimula a liberação de hormônios responsáveis pela sensação de bem-estar, o mesmo efeito causado pelos doces.

5. Olhe para outro lado!

Evite ter doces à vista em casa e fuja dos programas de culinária da TV que convidam para ataques noturnos à geladeira.

6. Coma de três em três horas.

Quando a fome dispara, você sente uma vontade incontrolável por doces e carboidratos.

7. Tome café da manhã, sim!

Pular essa refeição aumenta o desejo por guloseimas. Ela garante disposição para as atividades do dia, evitando que seu organismo busque energia em outras fontes, como nos doces.

8. Modere nos carboidratos.

A ingestão de massas e pães libera insulina no sangue. E esse hormônio ativa a região cerebral responsável pelo apetite.

9. Vá de frutas!

Os doces contêm um açúcar chamado sacarose, que tem absorção rápida. Já as frutas contêm frutose, que demora para ser absorvida pelo organismo e, por isso, prolonga a sensação de saciedade.

10. Evite a ansiedade e o estresse.

Procure fontes de prazer que sejam isentas de açúcar. Sexo, por exemplo! Bem-feitinho, ele pode até queimar algumas calorias, que tal?

E se cair em tentação?

Controle a quantidade! Procure comer doce em pequenas porções e somente uma vez ao dia. Os que têm castanhas ou frutas são ricos em fibras e gorduras boas, que fazem com que o açúcar seja absorvido lentamente, controlando o desejo e evitando ataques. “Comer como sobremesa também ajuda, já que as fibras de alimentos como verduras e legumes absorvem o açúcar, levando-o para fora do organismo e evitando os picos de insulina, que podem provocar acúmulo de gordura abdominal”, alerta Vivian. Já se você pratica atividade física regularmente, deixe para comer um docinho uma hora antes do treino. As calorias serão queimadas sem dificuldade.

Fonte: M de Mulher



O que está por trás da dieta do glúten

13 de fevereiro de 2014 | Por admin

salgadinhos e batatas chips

Shutterstock/Igor Dutina

Trigo, centeio e cevada. Falando mais diretamente, pizza, pão, bolachas, salgados, cerveja e bolos. O glúten está presente em tudo isso e quando se fala em montar um cardápio sem glúten, automaticamente todos esses alimentos, além de muitos outros congelados, massas, fast foods e alimentos industrializados ficam de fora. E, com eles, uma grande porção de carboidratos  e gorduras deixam de fazer parte da alimentação cotidiana.

Embora possa em alguns casos afetar o equilíbrio do organismo e a capacidade de perder peso das pessoas, o glúten não é a chave da boa forma, mas pode ser considerado o fio condutor para uma mudança de hábitos alimentares e para a retomada de antigos costumes gastronômicos que vem a um bom tempo sendo defendida por médicos, nutricionistas e profissionais de saúde.

Um exemplo é a hora do jantar. A nutricionista e professora da Faculdade de Medicina da Unesp Sílvia Papini Berto explica que, adotando a dieta do glúten, o tão comum sanduíche de pão integral pode ser substituído, por exemplo, pelo tradicional arroz e feijão. Além disso, as bolachas da hora do lanche dão lugar a porções de frutas, castanhas ou nozes.

farinha de trigo

Shutterstock/kiboka

O glúten é uma proteína  presente no trigo, no centeio, na aveia e na cevada que o nosso organismo não consegue digerir por completo. “Quando comemos uma proteína da carne, do feijão ou do arroz, a gente degrada ela em unidades bem pequenas que favorecem o transporte para dentro do nosso organismo e o glúten não se degrada totalmente, formando macromoléculas”, explica a nutricionista Sílvia Papini Berto.

Por ser de difícil digestão, a proteína do glúten produz fermentação maior durante a passagem pelo sistema digestivo do que as proteínas  originárias da farinha de mandioca, de arroz ou da fécula de batata, por exemplo, que são os substitutos para a farinha de trigo. A má digestão do glúten promove a formação de gases, aumenta a quantidade de alimento para as bactérias e fungos do intestino e pode até alterar o ph do estômago.

Isso não significa que o glúten faça mal para a saúde, a maior parte das pessoas não chega nem ao menos a sentir sintomas durante a vida. Algumas, no entanto, se mostram mais sensíveis e desenvolvem até quadros inflamatórios no intestino. Veja na página a seguir, como essas pessoas podem se beneficiar com a diminuição do consumo de glúten.

mulher com dor de barriga

Shutterstock/Piotr Marcinski

Pessoas com síndrome de cólon irritável podem sofrer alterações intestinais por causa do glúten, assim como outras podem se mostrar mais sensíveis aos efeitos daproteína. E a inflamação no intestino pode ser responsável pela má absorção de nutrientes e dificuldade em perder peso. Por isso, essas pessoas, ao aderirem uma dieta com restrições ao consumo de glúten podem reequilibrar o organismo e em conjunto com a alimentação mais saudável e maior ingestão de água alcançar o emagrecimento.

Existem várias pessoas com algum grau de doença celíaca e que desconhecem esse fato e, ao remover o glúten do cardápio, sentem uma melhora na digestão com um efeito adicional de perda de peso“, observa a nutricionista clínica do Hospital Sírio-Libanês, Juliana Ruas Dalmas.

Ao contrário da doença celíaca, que pode ser detectada por exame de sangue, não existem exames que determinem a condição de sensibilidade ao glúten. O diagnóstico, explica Natália Dourado, nutricionista e coordenadora do evento Gluten Free, depende da consulta com um nutricionista e das restrições de alimentos que ele vai indicando para verificar a melhora ou não do quadro.

mulher segurança sanduíche e fruta

Shutterstock/vgstudio

Pessoas saudáveis, porém, não se beneficiam quando deixam de ingerir glúten e a perda de peso, neste caso, se deve mais ao fato de se cortar os salgadinhos, biscoitos, pizzas e fast foods da alimentação, ricos em carboidratos refinados e gorduras, do que pela ausência da proteína. E essas guloseimas, na verdade, ficam de fora de qualquer dieta.

Além disso, existem alimentos que contém glúten e não deveriam ficar de fora de nenhum cardápio. A aveia é um deles, pois os benefícios da quantidade de fibras e nutrientes superam os problemas que a dificuldade de digestão do glúten poderia trazer.

Outra questão é que, quem troca a farinha de trigo por farinha de mandioca, inhame, fécula de batata e farinha de arroz, acaba optando por alimentos que, independe do valor calórico, apresentam maior qualidade nutricional, inclusive com menores índices glicêmicos.

Fonte: BBEL



Atividade Física na Terceira Idade

5 de fevereiro de 2014 | Por admin

Só traz benefícios!

A prática de atividade física na terceira idade está se tornando um fenômeno cada vez mais comum. Isso porque praticar atividade física melhora a qualidade de vida das pessoas em idade avançada.Segundo estudos, o aumento da resistência e da força muscular são alguns dos benefícios da prática de atividade física, pois pode trazer resposta muscular rápida e eficiente. Por isso centros especializados em reumatologia estão investindo em espaços destinados ao condicionamento físico e exercícios físicos para na terceira idade.

Algumas mudanças são comuns com o envelhecimento, como o aumento na quantidade de gordura no organismo, diminuição da força muscular e diminuição da massa muscular, osteoporose (diminuição da massa óssea), ligamentos e tendões mais fracos, diminuição dos reflexos de ação e reação, diminuição da coordenação, habilidade motora e da aptidão física.De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, aproximadamente 5% de quedas que acometem idosos levam a fraturas, sendo que as mulheres fraturam mais que os homens. Quando não ocorre fratura, a dor e a redução dos movimentos podem causar isolamento pela diminuição da autoestima, tanto pela queda quanto pelo aumento da dependência.

Os benefícios de exercícios físicos na terceira idade são vários

Praticar exercícios na terceira idade ajuda a combater a obesidade, pode evitar e retardar o surgimento de diabetes, melhorar a capacidade aeróbica e reduzir a perda da massa óssea (osteoporose), inclusive recuperá-las em alguns casos. Junto a isso, músculos e ossos fortes diminuem os riscos de quedas e de fraturas de fêmur e de quadril, tão temidas após os sessenta anos.
Segundo Evelin Goldemberg, doutora em reumatologia da Escola Paulista de medicina em São Paulo (UNIFESP), o fortalecimento muscular reduz dores existentes provenientes de doenças como artrite, tendinite, bursite, artrose (bico de papagaio) e problemas de coluna.

Por um envelhecimento saudável

Há cada vez mais evidências científicas apontando o efeito benéfico de um estilo de vida ativo na manutenção da capacidade funcional e da autonomia física durante o processo de envelhecimento. Podemos acrescentar que melhora a coordenação motora, o equilíbrio, o ganho de flexibilidade, a velocidade ao andar, diminui o risco de doenças cardiovasculares, promove melhor controle do diabetes e sensação de bem estar.

Dados científicos relacionam longevidade a exercícios físicos na terceira idade

Segundo dados científicos a participação em um programa de exercícios físicos na terceira idade leva à redução de 25% nos casos de doenças cardiovasculares, 10% nos casos de acidente vascular cerebral, doença respiratória crônica e distúrbios mentais. Talvez o mais importante: reduz de 30% para 10% o número de indivíduos incapazes de cuidar de si mesmos, além de desempenhar papel fundamental para facilitar a adaptação à aposentadoria.
A qualidade de vida na terceira idade é aliada principal para ter longevidade e a prática de atividade física resgata características de saúde juvenil para população de idade avançada, isto tem um valor inestimável. Portanto todo idoso deve procurar um programa de atividade física de acordo com suas características e restrições, se possível, acompanhado de um profissional gabaritado.

Fonte: BBEL



Corrida é para todos?

27 de janeiro de 2014 | Por admin

Traz benefícios no condicionamento, na composição corporal e no humor.

Correr é uma moda que se iniciou na década de 70 e hoje em dia está em alta. É uma verdadeira febre, talvez pela facilidade, afinal; basta ter um par de tênis. Outros acreditam que a corrida é algo natural que não exige prática nem habilidade, tem um alto gasto energético e, sendo assim, é muito bom para emagrecer.

Realmente a corrida é um esporte considerado “natural”, trás muitos benefícios não somente relacionados ao condicionamento cardio-respiratório e perda de peso, mas também à manutenção da massa óssea, melhora de humor e outros.

Porém, ao contrário do que se acredita não é qualquer um que pode calçar um tênis e sair correndo, a corrida de fundo é um esporte árduo que exige muito do sistema cardio-respiratório, alguém descondicionado, acima do peso que descida correr sem consultar um médico e um educador físico corre um potencial risco cardíaco. Além disso, problemas ortopédicos são mais comuns nos que praticam corrida sem orientação. Correr também pode levar a desidratação, náuseas, tontura, e acelerar problemas com insolação.

Para se evitar tais riscos é imprescindível se consultar um médico e um profissional de educação física antes de se começar a correr. Por mais natural que seja, a corrida de rua é um esporte que causa grande estresse no organismo. Se este estiver preparado todos os benefícios da corrida poderão ser desfrutados.

Tomados os cuidados a corrida é um dos esportes mais práticos e fáceis de se fazer, em qualquer lugar e a qualquer hora, basta ter um par de tênis adequado, gozar de boa saúde, se hidratar e correr!

Fonte: BBEL 



Como atenuar a sensação de calor em casa?

16 de janeiro de 2014 | Por admin

Não sei de vocês, mas eu só consigo pensar isso: “Nossa, que calor!!!!!!!!”. Então, selecionei algumas dicas (além de ligar ar condicionado e ventilador) que podem atenuar esta sensação quente demais da conta dentro de nossas casas e apartamentos, seja agora, seja na construção, seja na reforma para suportar melhor o verão do ano que vem, porque as previsões dizem, vocês sabem, que VAI FICAR PIOR !

1) Cobertura ou telhados e paredes externas em branco diminuem a temperatura do interior das construções, assim como azulejos e pedras – Atualmente há, inclusive, tintas isolantes térmicas para pintura externa e interna. Telhados que refletem a luz (por serem brancos, pintados de cores claras ou de alumínio polido, por exemplo) podem refletir até 90% da energia do sol, diminuindo assim, o que deixam passar para o interior da casa. Isolamento térmico, com forros ventilados e telhados vivos (com plantas) também reduzem o calor interno.

teto_branco

Esta foto foi retirada deste post:http://www.gritodascinco.com.br/blog/archives/tag/aquecimento-global

2) Na construção é necessário observar a posição da casa em relação ao Sol:Paredes que recebem o sol diretamente ficam quentes e levam o calor para dentro de casa – se for possível acrescentar coberturas na área externa, não deixando o Sol bater diretamente nas paredes é uma boa ideia. Leia este post onde falo sobre a melhor posição da casa, janelas, ambientes, vidros, etc. e consulte – sempre – um arquiteto ou engenheiro, inclusive para construção de área de lazer, piscina, churrasqueiras.

trajetoria03

(Esta foto foi retirada deste post:http://www.ebanataw.com.br/roberto/conforto/CS07trajetoria.htm )

3) Mantenha as cortinas fechadas nos horários mais quentes – Assim você diminui a entrada do calor. E no verão, use cortinas em tecidos leves, claros e vazados (para ventilar melhor). Os vidros refletivos, duplos ou filtros para janelas que atenuam o calor são um ótimo investimento. E se possível, abra as janelas à noite para que o ar mais fresco entre na sua casa e feche-as bem cedinho para manter este ar frio dentro de casa o máximo possível – se conseguir, né?.

wunderweibDOTde6

4) Plantas dentro de casa sempre ajudam (não esqueça de molhá-las bastante, nos horários mais frios – manhã e/ou noite).

10-varandas-e-quintais-aconchegantes-para-curtir-a-primavera

5) Se você tem ventilador e umidificador de ar, teste usá-los juntos: O vapor frio do umidificador vai ser espalhado pelo ventilador. Outra dica é o uso de recipientes com boca grande (como bacias) com água para umidificar os ambientes.

cc-refresque-03

6) Lâmpadas incandescentes são fonte de calor. Troque-as por fluorescentes ou de led.

11-apartamento-sessentao-de-85-m2-parece-novo-apos-a-reforma

Então, vamos melhorar este verão ???

Fonte: Simples Decoração



50 dicas para a grávida viver melhor

3 de dezembro de 2013 | Por admin

Azia, enjoo, dores nas costas: veja como driblar os desconfortos mais comuns

Por Áurea Lopes

Gravidez não é doença. Provavelmente, essa foi uma das primeiras coisas que você ouviu do seu obstetra, no início do pré-natal. Mas como acreditar nele se lhe doem as costas, seu estômago vira do avesso a cada manhã, sua boca não tem mais onde colocar tanta saliva e sua bexiga parece ter diminuído pela metade? Sem falar no calor intenso do verão, que parece tornar os desconfortos ainda mais cômodos…

Assim, à primeira vista, as perspectivas para os próximos nove meses não são nada animadoras. Felizmente, porém, existem muitas formas de evitar ou amenizar os efeitos das alterações que estão mexendo com o seu corpo. Antes de mais nada, assuma sua condição especial de grávida e não tente dar uma de supermulher. Se não está se sentindo bem, faça uma pausa e cuide-se. Colocar as pernas para cima alguns momentos por dia, usar uma almofada para apoiar as costas ao dirigir são pequenos luxos que você pode ser dar. Há sempre um jeitinho de driblar os principais desconfortos da gestação.

Enjoo

Os primeiros três meses são os piores. E raramente nas náuseas continuam depois. Mas fique atenta: embora os médicos identifiquem causas físicas para os enjoos, sabe-se que os fatores emocionais também têm muito a ver com essa história. (mais…)



Alfarroba é mais saudável e tem menos gordura que o chocolate

18 de novembro de 2013 | Por admin

Alimento naturalmente doce pode substituir o cacau

Se você é chocólatra, mas anda precisando dar um tempo no consumo da guloseima experimente a alfarroba.

O produto tem cara e gosto de chocolate, mas é mais nutritivo e não contém lactose, glúten e açúcar.

Apesar de não ter a fama do cacau, a alfarroba já era usada pelos egípcios há mais de 5.000 anos.

Fruto da alfarrobeira, árvore nativa do mediterrâneo, a alfarroba é uma vagem da qual se extrai a polpa que é torrada e moída para se obter o pó usado em substituição do cacau.

Por ser naturalmente doce, ela dispensa o uso de açúcar na fabricação e no consumo dos produtos. Sem falar que também não possui os estimulantes cafeína e teobromina e é rica em vitaminas e minerais.

Enquanto o cacau possui até 23% de gordura e 5% de açúcar, a alfarroba tem 0,7% de gordura e alto teor de açucares naturais (glucose, sucrose e frutose) de 38% a 45%.

A alfarroba é encontrada em casas de produtos naturais, na forma de pó, bombons e barras semelhante as de chocolate.

Fonte: Notícias R7



Praticar exercícios durante a gravidez pode deixar o bebê mais inteligente

14 de novembro de 2013 | Por admin

De acordo com pesquisa, fazer atividade física moderada durante a gestação pode aumentar o desenvolvimento do cérebro da criança

Para o estudo, os pesquisadores definiram aleatoriamente 10 mulheres grávidas que fariam parte de um grupo praticante de exercícios e oito para um grupo que não faria atividade física. O período para o início da prática de exercício foi o começo do segundo trimestre de gestação. Foi pedido ao grupo ativo para se envolver em pelo menos 20 minutos de exercício cardiovascular três vezes por semana em intensidade moderada – o que significa que as gestantes teriam pelo menos uma ligeira falta de ar.

Entre os exercícios adotados pelas mulheres estavam caminhada, corrida, natação e andar de bicicleta, segundo a pesquisadora Elise Labonte-Lemoyne, da Universidade de Montreal. O estudo canadense constatou que “com 10 dias de vida, bebês já apresentam um cérebro mais maduro quando suas mães se exercitam durante a gravidez”, segundo Elise.

Outros estudos já tinham descoberto benefícios para a saúde de recém-nascidos e crianças mais velhas quando as mães praticavam exercícios durante a gravidez, disse a pesquisadora. E, embora estudos em animais tenham mostrado que a prática de atividade física na gestação altere o cérebro fetal, Elise acredita que este é o primeiro estudo a examinar o efeito do exercício no desenvolvimento do cérebro humano.

Cérebro mais eficiente

Em média, o grupo de treino cronometrou 117 minutos de exercícios por semana e no grupo sedentário foram 12 minutos semanais. Usando um aparelho que registra a atividade elétrica do cérebro, os pesquisadores mediram a atividade cerebral dos recém-nascidos durante o sono dos bebês, que tinham entre oito e 12 dias de vida. Eles se concentraram na capacidade do cérebro em reconhecer um novo som, esclareceu Elise Labonte – LeMoyne. Ela ainda ressaltou que essa habilidade reflete a maturidade do cérebro.

Os pesquisadores descobriram que os bebês cujas mães se exercitaram mostraram uma ligeira vantagem. “O cérebro é mais eficiente, pode reconhecer o som com menos esforço”, explicou a pesquisadora.

As diferenças podem ser refletidas em uma vantagem de linguagem mais tarde na vida, especula Elise. Os pesquisadores continuam acompanhando o desenvolvimento das crianças até um ano de idade para ver se a vantagem permanece.

É possível que o exercício acelere um processo conhecido como poda sináptica, através do qual as células nervosas extras e conexões são eliminadas, ajudando o desenvolvimento do cérebro.

Os resultados do estudo não surpreenderam Raul Artal, professor de obstetrícia e ginecologia e saúde da mulher na Saint Louis University School of Medicine. Ele, por muito tempo, vem elogiando o valor do exercício para mulheres grávidas saudáveis.

“É conhecido que os bebês respondem a estímulos no útero”, disse ele. A nova pesquisa reforça a crença de que “gravidez não é um estado de confinamento ou um período para a mulher se ‘poupar’”, Artal acrescentou.

“É documentado que as mulheres grávidas que levam uma vida normal, praticam atividade física e têm uma dieta balanceada passam por gestações mais tranquilas”, disse Artal, enquanto um estilo de vida sedentária, obesidade e algumas doenças podem prejudicar o feto.

Segundo diretrizes do Congresso Americano de Obstetras e Ginecologistas, mulheres com gestações que não apresentam complicações e são atletas recreativas ou profissionais podem permanecer ativas durante a gravidez, alterando sua rotina, se necessário, segundo orientação médica. As mulheres que estavam inativas antes de engravidar ou que têm complicações médicas relacionadas à gravidez devem ser avaliadas por seus médicos para dar início à prática de exercícios físicos.

A pesquisa era prevista para ser apresentada no último domingo, durante a reunião anual da Sociedade de Neurociência, em San Diego, nos Estados Unidos. Estudos presentados em reuniões são considerados preliminares até serem divulgados em publicações da área médica.

Fonte: Delas IG



Páginas:«12345»

Certificados e Prêmios



Realizações Cemara
Realizações Cemara
Realizações Cemara
Realizações Cemara