Mostrando posts da categoria: Mercado / Setor de Loteamentos


Mercado cresceu demais e teve 'efeito champanhe', dizem empresas

17 de junho de 2011 | Por cemara

Setor teve tamanho multiplicado por 20 em 8 anos, diz sindicato.

Construtoras alegam que não houve preparo para dar conta do crescimento.

Daniel Buarque Do G1, em São Paulo

As empresas de construção civil de São Paulo admitem que houve um aumento no registro de atrasos na entrega de imóveis residenciais, especialmente em São Paulo, nos últimos anos, mas dizem que não houve erros no planejamento. Para o setor imobiliário, o problema é que o mercado cresceu muito rapidamente, e não houve capacidade para dar conta da elevação repentina da demanda.

“O problema é que a indústria vinha muito parada e teve uma aceleração muito rápida. Por mais de duas décadas, a demanda ficou reprimida, e de repente cresceu rapidamente e por muito tempo, sem que a indústria estivesse preparada para suprir ela.Foi como uma garrafa de champanhe, que segura a pressão e de repente estoura”, explicou Eduardo Zaidan, diretor de economia do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP). (mais…)



A maior alta do mundo

8 de junho de 2011 | Por cemara

Notícia | 18/05/2011

Fonte: Revista Exame

Uma pesquisa exclusiva mostra que os preços dos imóveis no país subiram 25% em 12 meses, um recorde global. Em dois anos, o aumento passou de 50%. Ficou caro?

Giuliana Napolitano –

Em Junho de 2010, quando Exame publicou sua primeira pesquisa anual sobre o mercado imobiliário brasileiro, muitos tiveram a impressão de que aquela euforia havia atingido um teto impossível de superar: de acordo com os números, levantados pelo instituto Ibope Inteligência, o Brasil tinha o terceiro mercado mais aquecido do planeta, somente atrás de Hong Kong e Singapura. Um ano depois,eis aqui a constatação: sim, era possível. O mercado imobiliário brasileiro viveu, em 2010, um período de euforia sem paralelo em sua história. Mais de 1milhão de casas e apartamentos foram financiados no ano, duas vezes mais do que em 2008. As vendas nunca foram tão velozes. Em média,um novo prédio leva quatro meses para ser completamente vendido nas principais capitais do país, três vezes mais rápido do que cinco anos atrás – e há dezenas de casos de condomínios que são comercializados num único fim de semana, alguns em poucas horas. O segundo levantamento EXAME/Ibope traduz em números esse aquecimento: os preços dos imóveis novos subiram 26% nos últimos 12 meses em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre. Os usados aumentaram 24% no mesmo período. A alta média, de 25%, foi a maior do mundo, segundo dados de 37 países levantados pela consultoria especializada Global Property Guide. Em dois anos, os imoveis brasileiros valorizaram 52% – apenas o riquíssimo mercado de Hong Kong teve desempenho melhor. (mais…)



Mercado imobiliário está aquecido: é hora de investir

3 de junho de 2011 | Por cemara

[02-06-2011]

Morar bem e investir em imóveis são práticas cada vez mais comuns no dia-a-dia de muitos brasileiros. Com a facilidade da concessão de crédito imobiliário para financiamentos, o mercado de imóveis está bastante aquecido e, por isso, é considerado um dos grandes responsáveis por alavancar a economia do país. Especialistas no assunto afirmam que o momento de crescimento indica que esta é a hora certa para fazer a aquisição de imóveis e investir no setor.

O corretor Carlo Anselmo Domingues Wille – da Carlo Wille Corretor Imóveis – afirma que a procura por unidades residenciais e comerciais é cada dia maior. “Um público que tem movimentado muito este mercado são os jovens que querem morar sozinho e também casais em busca de seu primeiro imóvel. E esses perfis de clientes são cada dia mais exigentes e, em sua maioria, buscam por espaços amplos, ambientes modernos, boa localização e – por mais curioso que seja – sem se preocupar muito com o valor, afinal as condições de pagamento hoje estão muito facilitadas”, afirma Carlo.

Por outro lado, temos também o cliente investidor. “Este já gosta de comprar imóveis ainda na planta ou a preços mais baixos com a certeza de que o empreendimento será valorizado para poder lucrar com a compra. E, para quem quer investir em imóveis, esta é a hora certa”, explica o corretor.

Fonte: http://www.paranashop.com.br/colunas/colunas_n.php?op=compras&id=31971



Número de corretores de imóveis aumenta

| Por cemara

Milton Paes

Campinas – A expansão do mercado imobiliário brasileiro e especialmente em Campinas tem atraído os olhares de investidores que querem aproveitar a fase de constante valorização que o segmento oferece. O crescimento também chama a atenção de profissionais que, atentos à expansão, estão mudando de suas áreas de atuação para a corretagem de imóveis buscando conquistar essa fatia de mercado.

Segundo dados do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo (Creci-SP), o interesse pela atividade é percebido pelo aumento no número de inscritos, que superou os 100 mil em 2010 e também pela migração de profissionais de outras áreas, como engenheiros, jornalistas, advogados e médicos. Atualmente cerca de 78% dos inscritos no Creci-SP têm formação universitária em outras áreas.

O mesmo levantamento feito pelo Conselho revela que em relação a 2008, os anos de 2009 e 2010 apresentaram um aumento de 46% no número de inscritos no Creci-SP. “O crescimento deve-se ao investimento das empresas do mercado imobiliário em profissionais capacitados e também pelo reconhecimento que a atividade de corretor de imóveis tem conquistado”, afirma a delegada regional do Creci-SP, Sandra Catarina. (mais…)



Mercado se articula em busca de fontes alternativas de recursos

| Por cemara

27 05 2011

(Buildings News – 26/05/11)

Em um cenário relativamente confortável, com economia aquecida, ganhos reais e em fase de forte expansão, o mercado brasileiro de crédito imobiliário está se articulando para atrair novas fontes de recursos para a produção e aquisição de imóveis.

Uma das alternativas de funding de longo prazo, em discussão com autoridades monetárias, é o lançamento de covered bonds, um mecanismo de captação de recursos para investimentos no setor imobiliário, com larga experiência na Europa.

“O covered bond talvez seja a alternativa para atrair os fundos de pensão para o financiamento imobiliário e se juntar aos mecanismos já existentes, como a poupança, o FGTS e a securitização, com vistas a manter o ritmo atual de crescimento acelerado no financiamento imobiliário”, diz Felipe Pontual, diretor executivo da Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip). (mais…)



A ética no mercado imobiliário

| Por cemara

Buscando sempre oferecer informações para ajudar os condôminos, a SECOVI lança uma série de dicas sobre Administração, Segurança, Infra-estrutura e manutenção além de questões jurídicas prezando pelo bem comum de todos os moradores.

Sendo assim, começamos a série com 20 dicas sobre Administração:

1 – Assembléia

O síndico deve programar uma pauta objetiva e deixar os assuntos gerais para serem discutidos somente no final da assembléia.

2 – Conselho

Mantenha o Conselho informado sobre os balancetes e convoque-o sempre que tiver uma decisão importante para tomar. (mais…)



Mercado imobiliário no interior de Sao Paulo

| Por cemara

O interior paulista já é um campo urbanizado, ainda com menores custos de produção, e onde cresce a disputa por terrenos entre grandes construtoras e prestadoras de serviços. Não só pela qualidade de vida, o interior atrai investimentos variados, de acordo com as peculiaridades de cada cidade. A indústria imobiliária, sem dúvida, aproveitou esse potencial, e diversificou seus produtos de acordo com as diferentes demandas, desde a habitação de interesse social até aquela de alto padrão.

É preciso que nosso setor procure e estabeleça parcerias, para absorver com produtividade e lucratividade esse bom momento. A perspectiva é excelente. O grande problema, que não é exclusividade do interior paulista, mas é do Brasil, chama-se burocracia. Lamentavelmente ainda se vê o excesso desse cancro que prejudica o desenvolvimento.

Em Jundiaí e região, mercado aquecido para classes média e alta, ao longo do ano, o mercado local cresceu cerca de 50%, segundo Célia Benassi, presidente da Proempi, entidade que representa o Secovi-SP regionalmente. De acordo com a dirigente, também se destacam empreendimentos de alto padrão em bairros da cidade. O segmento constituí de pequenos condomínios em terrenos de até 10 mil metros quadrados e também registra desempenho considerável, e deverá continuar a crescer. Segundo estimativas da Caixa Econômica Federal na cidade, o município produzirá mais de dez mil unidades habitacionais nos próximos cinco anos. Mas a região ainda vive um problema grave com trâmites burocráticos, e que não estão aparelhados para acompanhar a velocidade do mercado. (mais…)



Deslocamento para compra de novo imóvel é de 5 quilômetros, em média

11 de maio de 2011 | Por admin

O deslocamento do paulistano para comprar um novo imóvel é de cinco quilômetros de onde morava antes, conforme revela pesquisa realizada pela Lopes Inteligência de Mercado.

De acordo com o estudo, os compradores de imóveis que custam até R$ 250 mil são os que realizam deslocamentos mais longos, em média, de seis quilômetros, enquanto que os compram propriedades acima de R$ 500 mil efetuam deslocamento menor, em média, de quatro quilômetros.

Dentre os motivos para o baixo deslocamento do imóvel anterior para o novo endereço está a vontade de não se distanciar das referências pessoais, conforme explica o diretor da Habitcasa, empresa do grupo Lopes, Maurílio Scachetti.

“O morador de São Paulo procura imóveis em um raio de distância pequeno, porque quer continuar morando próximo de suas referências, família, amigos, escola e até da padaria, isto é, suas referências pessoais (…) O comprador de imóvel de alto padrão, historicamente, se desloca menos, cerca de três quilômetros. Mas, para o público de imóveis de médio padrão ou econômico, a média desses deslocamentos era maior, em torno de sete quilômetros. Com o aumento da oferta de imóveis e facilidade de financiamento, o consumidor tem conseguido a casa dos sonhos mais próximo do bairro desejado”, diz. (mais…)



Após manhã negativa, imobiliárias ficam entre as maiores altas do Ibovespa

| Por admin

Após se destacarem negativamente durante a manhã, as ações do setor imobiliário apresentaram forte recuperação durante a tarde desta terça-feira (10) e fecharam entre as maiores altas do Ibovespa.

A oscilação mais gritante foi da ação da Gafisa (GFSA3) que, após chegar a cair 3,39% no intraday, fecharam com alta de 4,67% – a terceira maior do índice paulista.

Vale lembrar que a empresa divulgou seus resultados trimestrais, os quais vieram abaixo das expectativas dos analistas.

A frente dos papéis GFSA3, ficaram outras duas empresas do setor imobiliário.

A primeira colocação do índice ficou com a ação da MRV (MRVE3), que fechou com alta de 4,39%, cotada a R$ 14,50, seguida logo atrás pelos ativos da Rossi (RSID3), que fecharam a R$ 14,63 – variação positiva de 3,98%. Esses papéis chegaram a recuar 0,94% e 0,64% no intraday, respectivamente.

O Ibovespa também teve um dia favorável e fechou com ganhos de 0,39%, sendo a terceira sessão consecutiva de alta do benchmark. (mais…)



Aluguel em alta força classe “C” a correr atrás da casa própria

3 de maio de 2011 | Por admin

O aumento nos preços dos aluguéis e a expansão do crédito imobiliário ajudaram o brasileiro em 2010 a concretizar o sonho da casa própria.

Os financiamentos com recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e a poupança pelo SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo) bateram recordes sucessivos, com mais de 1,4 milhão de unidades financiadas, sendo 950 mil pelo programa Minha Casa, Minha Vida e 450 mil pela poupança, segundo João Crestana, presidente do Secovi-SP (Sindicato da Habitação de São Paulo).

– Isso é um aumento recorde, tendo em vista que nos anos 80 o financiamento atingia 650 mil unidades e nos anos 90 caiu para pouco mais de 20 mil, com o fim do BNH [Banco Nacional de Habitação]. Estamos agora próximos aos padrões internacionais, mas ainda longe dos países mais ricos, como os Estados Unidos. (mais…)



Curso: comercialização de loteamentos

29 de abril de 2011 | Por admin

O novo curso Comercialização e Administração de Loteamentos, da Universidade Secovi, começa em 9 de maio e termina em 27 de junho. Destina-se a profissionais que trabalham na gerência, administração, promoção de vendas ou em setores administrativos de empresas da área de loteamentos, corretagem de imóveis e proprietários de glebas. Dividida em cinco módulos, os alunos aprenderão sobre os seguintes temas: Viabilidade Comercial, Contratação de Imobiliárias para Vendas, Publicidade e Vendas, Gerenciamento dos Serviços de Intermediação e Administração de Empreendimentos.
As aulas acontecerão sempre as segundas e quartas-feiras, das 8h30 às 12 horas. Com duração de 52 horas/aula, o curso acontece na Universidade Secovi (Av. Brigadeiro Luiz Antonio, 2.344 – 9º andar, junto à Avenida Paulista).
Informações e inscrições poderão ser obtidas pelos telefones (11) 5591-1304 a 1307 ou e-mail universidade@secovi.com.br.
Data: De 9 de maio a 27 de junho de 2011, às segundas e quartas-feiras, das 8:30 às 12:00 (mais…)



Orientação aos compradores de lotes

| Por admin

Como entidade empresarial, em especial do setor imobiliário, a AELO procura cumprir suas missões básicas junto aos associados: as de somar forças e representá-los em pleitos junto ao poder público como também o de orientá-los diante de qualquer dúvida sobre questões técnicas ou jurídicas. No entanto, a AELO é também representante das empresas no que diz respeito à imagem dos empreendedores de loteamentos junto ao público consumidor. Assim, cabe à direção da entidade, sempre que convocada, participar de seminários específicos e de ações na mídia (jornais, revistas, rádios, TVs e sites), na tentativa de esclarecer aspectos sobre o papel dos loteadores e orientar os compradores em potencial. Faz mais de 10 anos, por exemplo, que a AELO criou o Disque-Denúncia, o telefone (11) 3289-1788, aberto para que as pessoas denunciem casos de loteamentos clandestinos ou irregulares. Além disso, o ano de 2002 ficou marcado na história da AELO como aquele em que passamos a participar de duas iniciativas importantes de defesa do consumidor e de proteção da imagem das empresas loteadoras: o lançamento do Selo de Regularidade de Aprovação (SRA) da AELO e a parceria com o Procon, órgão oficial do governo paulista de apoio aos consumidores. Essas duas iniciativas mostram-se bem-sucedidas, nove anos depois. (mais…)



No mercado imobiliário, classe A busca o exclusivo e a C almeja inclusão

27 de abril de 2011 | Por admin

SÃO PAULO – No mercado imobiliário, uma das principais diferenças entre o comportamento da classe A e da classe média é que a primeira busca o exclusivo, enquanto a segunda procura apenas a inclusão, avaliou o presidente do Secovi-SP (Sindicato da Habitação de São Paulo), João Crestana.

Na edição 2011 do Encontro do Mercado Imobiliário, realizado nesta semana, Crestana afirmou que o segmento imobiliário deve voltar sua atenção ao público que pertence à classe C, já que este terá grande peso na busca de imóveis nos próximos anos.


Esta classe, hoje, já atinge metade da população brasileira com idade entre 12 e 64 anos. (mais…)



Mercado de Imóveis

19 de abril de 2011 | Por admin

SP: Residências de até 130 metros quadrados foram as mais vendidas em fevereiro
SÃO PAULO – As unidades residenciais de até 130 metros quadrados na cidade de São Paulo atingiram 89,1% das vendas imobiliárias em dezembro passado, de acordo com levantamento feito pelo Secovi-SP (Sindicato da Habitação).

Dentro deste segmento, os imóveis com área útil entre 46m2 e 65m2 se destacaram, representando 38,8% dos negócios efetuados na cidade. Foram 725 unidades vendidas no último mês do ano, o que levou a um índice de 15,2% de VSO (Venda sobre Oferta).
Na seguência, estão os imóveis entre 66m2 e 85m2, cuja participação nas comercializações atingiu 25,7%. Ao todo, 481 unidades foram negociadas em fevereiro e o VSO foi de 13,2%.
Imóveis entre 86 e 130 metros quadrados (14,6%) e com área inferior a 45m2 (10%) registraram as menores representatividades no grupo. No primeiro caso, 273 unidades foram comercializadas, enquanto no segundo foram 187 unidades. (mais…)



A importância do lote popular – AELO

24 de fevereiro de 2011 | Por admin

“Sob o título acima, o jornal “O Estado de S. Paulo” publicou na edição de ontem, dia 23, artigo de Caio Portugal, vice-presidente da AELO e vice-presidente de Desenvolvimento Urbano Sustentável do Secovi-SP, com sugestões para aprimoramento do programa Minha Casa, Minha Vida. O boletim da AELO no mais tradicional jornal de São Paulo, com tiragem de 220 mil exemplares às quartas-feiras, acabou saindo na véspera do 30.º aniversário de nossa entidade. Eis o texto do artigo:


O programa Minha Casa, Minha Vida, que em março completa dois anos, já avançou bastante e, sem dúvida, tem contribuído para atenuar o déficit de moradias no Brasil. Esse programa, uma iniciativa do governo federal, conta com apoio de governos estaduais e municipais e também de empresas do setor da construção, levando famílias de baixa renda a realizar o sonho de conquistar a casa própria. No entanto, algo ainda pode e deve ser feito para reforçar a atual luta do País contra a falta de moradias e contra o favelamento das cidades. (mais…)



Páginas:«12345»

Certificados e Prêmios



Realizações Cemara
Realizações Cemara
Realizações Cemara
Realizações Cemara