Mostrando posts da categoria: Infraestrutura


Passo a passo para construir lajes e telhados

12 de setembro de 2019 | Por cemara

A construção ou reforma do imóvel exige muita preparação e conhecimento. São diversos os detalhes a se atentar. Afinal de contas, impacta diretamente no orçamento e na segurança da obra. Com laje e telhado, não é diferente.

É possível construir laje e telhado sozinho?

É imprescindível a contratação de mão de obra especializada. O profissional é quem vai planejar a divisão do peso e projetar como será toda a estrutura, incluindo vigas, pilares e/ou paredes que irão sustentar a laje e/ou telhado. Porém, é importante que o proprietário saiba o passo a passo para participar ativamente de todo o processo.

PASSO 1: PLANEJAMENTO E ESTRUTURAÇÃO DA LAJE

A principal etapa de todo o processo é o planejamento. Ele é fundamental para estimar custo e tempo da obra. O profissional responsável irá entender a necessidade específica do imóvel e apresentar a melhor forma para construção da laje.

Cada projeto é único, mas todos seguem as mesmas etapas de estruturação. Conheça cada uma delas:

  • Inclusão de escoramento – é a estrutura provisória para suportar o peso da laje enquanto o concreto dos pilares não estiver forte o suficiente.
  • Remoção do escoramento – ocorre somente após finalizar a obra, quando o concreto já estiver forte o suficiente para remover a estrutura provisória.
  • Instalação de circuitos – distribuição elétrica, hidráulica e redes de água e esgoto, caso o projeto preveja a passagem desses sistemas na laje.
  • Enchimento – processo de preenchimento, com concreto, dos espaços vazios e de toda a estrutura e sistema que deve ficar embutido na laje.

 

PASSO 2: IMPERMEABILIZAÇÃO

Trincas, rachaduras e infiltrações são problemas que podem causar dor de cabeça no futuro. Por isso, a impermeabilização é parte fundamental na construção de lajes e telhados. O processo é simples: basta aplicar impermeabilizante após a construção da estrutura.

PASSO 3: CONTRAPISO E ASSENTAMENTO

O contrapiso é indicado apenas para lajes com passagem de pessoas. Neste caso, é necessário fazer a regularização e, posteriormente, escolher o piso desejado para fazer o assentamento e selamento.

PASSO 4: PLANEJAMENTO DO TELHADO

Não são todos os imóveis que possuem telhados. Alguns profissionais excluem o telhado do projeto para alcançar um design diferenciado, com traços retos. Contudo, há outro benefício associado: menor investimento em material e mão de obra.

A criação do telhado depende de uma complexa estrutura com sistema de encaixe de telhas. Confira as etapas:

  • Definição do projeto – além da proteção ao imóvel, o que mais você deseja? Um recorte para design diferenciado? Estrutura para captação da água pluvial? Seja qual for o objetivo final, tenha ele detalhado no projeto.
  • Procura de profissional – altíssimo conhecimento técnico é necessário na construção do telhado. Busque profissionais especializados.
  • Material de qualidade – faça uma ampla pesquisa de produtos que atendam ao projeto com o melhor custo x benefício.
  • Dica bônus: para economizar, aprenda como evitar o desperdício em construções.

VISITE SEMPRE O BLOG DA CEMARA!

Pretende construir ou reformar? A Cemara pode ajudar! Toda semana nós publicamos conteúdo novo e de qualidade para você, aqui em nosso blog. Não deixe de nos visitar!

Até a próxima semana!

Fontes: Pra Construir < http://blogpraconstruir.com.br > e Weber < https://www.quartzolit.weber >



Quais as diferenças entre alvenaria convencional e estrutural?

5 de setembro de 2019 | Por cemara

A construção da alvenaria é um passo importante na hora da obra, pois a estrutura será responsável por sustentar o peso da casa e definir o que pode ou não ser feito futuramente. Por isso, é essencial entender as diferenças entre os modelos: convencional e estrutural.

Qual o tipo de alvenaria é a melhor para a minha construção?

A decisão deve partir após análise técnica feita por profissional. Ele avaliará a topografia, projeto de arquitetura, tipo de solo, dentre outros, para entender qual modelo é o melhor para a construção. Porém, é importante que o proprietário saiba as diferenças para participar ativamente de todo o processo de construção e entender a escolha.

Alvenaria convencional

Nesta estrutura, o peso da construção é sustentado por pilares, vigas e lajes. Indicada para projetos criativos, com menos paredes. Não há restrições de medidas e possibilita obras e reformas, sem prejuízos.

Comparado ao outro modelo, a alvenaria convencional demanda mais tempo e tem custo elevado.

Alvenaria estrutural

Apesar de gerar economia de dinheiro e tempo, quando comparado a outra estrutura, este modelo exige o planejamento exato da planta, pois não permite obras ou reformas futuramente, isto porque o peso da casa é dividido entre todas as paredes. O modelo limita a criatividade e personalização da casa, pois não permite portas e janelas fora do padrão.

 

Fonte: Fórum da Construção < http://www.forumdaconstrucao.com.br



4 dicas para evitar o desperdício em construções

22 de agosto de 2019 | Por cemara

O desperdício de materiais nas reformas e construções é uma realidade no Brasil. Esse fato gera naturalmente gastos desnecessários, aumentando os custos nas obras e o consequente impacto negativo no meio ambiente, pois a maior quantidade de entulho gerada reflete diretamente nesse caso.

Evitar esse cenário é totalmente possível com algumas práticas simples que permitirão redução significativa nos custos da obra, além de uma atitude mais sustentável durante seu processo!

Confira a seguir 4 dicas para evitar o desperdício em construções:

  • Planejamento é a chave do sucesso

Antes de qualquer coisa, ter a certeza do que será feito é essencial. Seja em reformas ou construções, é necessário um bom planejamento em longo prazo, definindo não só o que será feito, mas quem será o responsável.

Ao iniciar, tenha em mãos o projeto de arquitetura explicando cada detalhe da obra. Um projeto bem elaborado e com orçamento detalhado determina, bem próximo da exatidão, a quantidade de materiais que será utilizada, além de reduzir a quantidade de imprevistos do que uma obra sem projeto.

  • Opte por profissionais especializados e materiais de qualidade

Com o projeto em mãos, é necessário buscar a equipe especializada para dar andamento. Mão de obra barata ou sem o conhecimento necessário pode gerar desperdício, pois o profissional pode cometer muitos erros, exigindo que etapas sejam refeitas.

Outro mito na construção é o de “economizar dinheiro com materiais de má qualidade”. Nesse caso, o barato pode sair caro. A princípio eles parecem gerar economia, mas por renderem menos, é necessário adquiri-los em maior quantidade.

  • Cuidado com o transporte de materiais

É muito comum durante construções que diversos materiais quebrem e sejam descartados devido ao transporte indevido. Por isso, é importante tomar cuidado na hora de manuseá-los, armazenando-os perto do local onde serão utilizados, para que o deslocamento seja mais fácil e envolva menos risco. Outra dica é evitar o uso de carrinhos arredondados para transportar blocos retos, por exemplo, pois isso pode quebrar as quinas.

  • Procure alternativa à alvenaria

Existem no mercado diversos sistemas construtivos além da alvenaria. A maioria deles evita o desperdício, normalmente, pela ausência de pilares e vigas (que exigem moldes que são jogados fora após a obra e também por não ser necessário quebrar as paredes para passar as tubulações).

Fonte: https://dicasdearquitetura.com.br/como-evitar-o-desperdicio-na-obra/#more-18978



Que tal construir uma casa acessível?

20 de agosto de 2019 | Por cemara

Você conhece o conceito de uma casa acessível? A senadora Mara Gabrilli declarou que “o conceito de design universal é tornar não só a casa, mas também as cidades ideais para as pessoas em todas as situações ao longo da vida”.

Uma casa construída para pessoas com deficiência (PCD) deve seguir rigorosamente as regras de acessibilidade (NBR 9050) da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

E para que você tenha uma casa acessível para morar e receber visitas de pessoas com deficiências PCD, veja nossas dicas.

Tire os obstáculos

Da porta de entrada da sua casa até o quintal dos fundos, é obrigatório ter espaços de fácil acesso para ir e vir. É preciso deixar um espaço no hall para que o cadeirante consiga fazer uma rotação de 90°. Entre os móveis, deixe uma distância mínima de 80cm e não coloque mesas de centro ou aparadores que fiquem no caminho.

Quais os tipos de piso?

Piso antiderrapante em todos os ambientes, internos e externos. Esse tipo de piso é ideal para manter a circulação segura e sem riscos de acidentes. Livre-se de tapetes, pois eles podem ser obstáculos perigosos para quem utiliza algum tipo de apoio para andar. Deixe também tudo nivelado, para evitar desequilíbrios.

Sofás e cadeiras com medidas especiais

Os assentos precisam ser compatíveis com a altura da cadeira de rodas, aproximadamente 95cm para adultos. Coloque uma das peças sem o braço lateral, que facilita o movimento para sentar. E lembre-se de colocar espumas mais rígidas: elas ajudam muito na hora de levantar.

Térreo ou sobrado?

Não necessariamente uma casa para pessoas com deficiência deve ser térrea. Ela pode também ter pisos superiores e que tenham equipamentos que facilitam o acesso aos outros andares.

Procure saber sobre elevadores, plataformas hidráulicas, cadeiras elevatórias e rampas. São ideais para conseguir explorar novos modelos de casa.

Banheiro

Aqui é preciso muito cuidado e atenção por ser uma área com espaço mais restrito. Veja se a pia está em uma altura inferior a 80cm com um vão livre para aproximação da cadeira de rodas.

Na mesma altura, podendo chegar a até 1,20m, devem estar instalados registros e prateleiras com itens de higiene. E não se esqueça de barras de apoio: elas devem estar nas duas paredes dentro do boxe e nas laterais da pia e da bacia.

Cozinha

Eletrodomésticos e armários não podem estar muito altos, para facilitar o acesso de todos. Em uma altura ideal de até 80cm devem estar as mesas também. E facilite com a instalação de torneiras de alavanca ou monocomando.

Quarto

O quarto deve ser o mais confortável possível, por isso pense em colchões articuláveis movimentados por controle remoto. Mas não se esqueça de calcular o espaço para entrada de cadeira de rodas e outros itens de apoio para movimentação. É preciso evitar que esbarrem em obstáculos que podem causar acidentes.

Para realmente ter uma casa acessível e que atenda essas necessidades, procure um arquiteto e exponha tudo o que precisa para ter um ambiente confortável a todos.



Conheça os tipos de fundação para construir sua casa

16 de agosto de 2019 | Por cemara

Chegou a hora de saber como realizar seu primeiro passo para ter uma casa segura, estável e bem construída, com uma fundação bem feita. Você sabe a importância desse elemento para a sua futura residência? Então fique por dentro.

A fundação, também conhecida como alicerce, é um dos elementos fundamentais para a construção de uma casa. Ela é a estrutura responsável por suportar o peso e manter nivelada a casa no terreno, além de garantir fixação. Seu projeto deve ser bem calculado e realizado por profissionais especializados, pois uma conta errada sobre as cargas que essa fundação precisa suportar pode acarretar graves problemas em toda a estrutura do imóvel.

Tudo deve começar num estudo do solo para conhecer o tipo e a quantidade de carga que ele suporta. Após essas informações, os engenheiros vão definir o tipo de fundação ideal para sua obra. Saiba que o tipo de casa escolhida deve ter um alicerce específico, afinal, um sobrado tem um peso diferente de uma casa térrea. E existem alguns tipos de fundação que devem ser levados em consideração. São eles:

Fundações diretas ou rasas

Muito comum em casas com até dois pavimentos devido ao seu custo benefício. Essas fundações transmitem as cargas diretamente para o solo por suas bases e sua profundidade é igual ou inferior a 3 metros. As escavações deste tipo de fundação são feitas manualmente. Os formatos das fundações mudam conforme o tipo, mas todas são construídas com concreto e aço, conhecida como concreto armado.

Os tipos de fundações diretas mais comuns são:

Sapata Isolada
Viga Baldrame
Radier
Sapata Corrida

Fundações indiretas ou profundas

Em casos de baixa resistência do solo, será necessário utilizar fundações profundas ou indiretas. As fundações profundas que mais utilizam em casas são as estacas tipo broca, cilindros de concreto e aço enterrados que ligam as fundações com solos mais firmes.

Existe também a fundação com estacas. Essa é indicada para solos tipo aterro, com pouca resistência. Essas estacas ficam a mais de três metros de profundidade, já que é preciso cavar muito para achar uma estabilidade no solo.

Leve os profissionais de sua confiança para visitar os locais da obra, para te ajudar com informações mais técnicas e que precisam ser realizadas nos estágios iniciais e durante a obra. E com isso, o seu engenheiro deve ter uma aproximação com a equipe que vai executar a construção, para que nenhuma informação fique para trás.

Veja abaixo como escolher a fundação correta para sua construção:

Conte com a Cemara para tirar dúvidas sobre o seu loteamento e ter uma construção segura.



Por que a cidade de Mirassol merece sua atenção?

28 de junho de 2019 | Por cemara

Você já ouviu falar de Mirassol? Esse município do interior, localizado ao norte do estado de São Paulo, tem muitos motivos para chamar sua atenção. Cultura, economia, infraestrutura, educação, saúde e localização estratégica estão colocando Mirassol em ótimas posições nos principais rankings de qualidade de vida do país.

Para se ter uma ideia: um levantamento feito entre 348 municípios brasileiros com uma população entre 50.000 e 100.000 habitantes mostrou que Mirassol está entre as 100 cidades que dão um show de infraestrutura.

Vamos começar num princípio básico para todos nós: a educação. Em 2017, as escolas municipais de Mirassol atingiram as maiores notas da história da cidade no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). E reforçar o ensino com cultura só fortalece a cidade nos rankings, e os mirassolenses são muito beneficiados pela cultura local. O turismo é movimentado com as visitas à Grota (Parque Natural Municipal), à Casa da Cultura e ao Museu Municipal. E quem for a Mirassol ainda pode aproveitar a tradicional Festa de São Pedro e a Festa do Peão.

A economia local é movimentada pela localização estratégica da cidade e pela facilidade de chegar e sair de Mirassol. Cercada por importantes rodovias, como Washington Luís (SP-310) e a Transbrasiliana (BR-153), morar em Mirassol possibilita que você tenha acesso a outras cidades da região com facilidade. Localizada a apenas 12km de São José do Rio Preto, Mirassol é o destino ideal para quem busca aliar qualidade de vida e oferta de trabalho. Vale ressaltar que Rio Preto é a cidade sede de uma região administrativa composta por 96 municípios.

Todo esse desenvolvimento da cidade também é acompanhado no setor imobiliário. A Cemara acredita que toda essa infraestrutura de Mirassol merece um bairro planejado que potencialize a qualidade de vida dos moradores.

Por isso, está lançando o Jardim Girassol, um bairro planejado para quem quer morar bem. Praças, espaços para atividades físicas, segurança, conexão com o meio ambiente e com uma localização estratégica aos principais pontos de Mirassol.

Quer descansar? Vem pra Mirassol.

De acordo com o Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade, elaborado pelo Instituto de Longevidade Mongeral Aegon, em parceria com a FGV, Mirassol está entre as 40 cidades brasileiras com população entre 50 mil e 100 mil habitantes com as melhores condições de vida para pessoas com mais de 60 anos.

Mirassol vai colocar em prática o “Programa Viver, Envelhecimento Ativo e Saudável”, que proporcionará inclusão digital, educação, saúde preventiva e mobilidade física para terceira idade.

Com tantos benefícios e vantagens de Mirassol, fica difícil não resistir aos encantos da cidade, não é mesmo? Entre em contato com os nossos corretores e descubra o quanto vale a pena investir em Mirassol.

Fonte: https://exame.abril.com.br/brasil/100-cidades-pequenas-que-dao-um-show-em-infraestrutura/



Certificados e Prêmios



Realizações Cemara
Realizações Cemara
Realizações Cemara
Realizações Cemara