Mostrando posts da categoria: Economia


Dicas simples para preservar o meio ambiente

4 de junho de 2020 | Por cemara

Cada ação, por menos que pareça, conta! Medidas simples, práticas e fáceis podem ser tomadas para contribuir com o meio-ambiente por cada um de nós. Confira dicas para você começar hoje mesmo!

 

  • Preserve as árvores!

Uma dica essencial e que deve ser passado de pai para filho, é a atenção e cuidado com a natureza. Medidas simples fazem toda a diferença. Não suba em árvores! Embora possa parecer uma brincadeira saudável e atrativa, pode ocorrer a quebra de galhos mais finos e comprometer a saúde da árvore.

Sabe aquela árvore linda, com grandes galhos e flores que está na calçada da sua casa? Está pensando em podar ela? Não o faça! Há restrições legais quanto a poda irregular. Existem formas corretas para a manutenção ser realizada e, para isso, existe a Secretaria do Meio Ambiente da sua cidade. Caso há necessidade de poda, entre em contato com eles!

Dicas para preservar o meio ambiente

Foto: Lucas Allmann – Pexels / Divulgação

 

  • Plante uma árvore!

Uma iniciativa legal e que aproxima pais e filhos é o plantio de uma árvore. Caso você tenha espaço no seu quintal ou um pequeno jardim na residência, escolha um local com espaço suficiente e peça ajuda aos pequenos para realizar o plantio. Dê nome à árvore e veja-a crescer e florir ao passar dos anos, assim como seu filho. É uma boa memória em família!

Caso você more em apartamento ou não tenha espaço para plantar uma árvore, que tal elaborar um jardim com os pequenos? Ou então plantar temperos que possam ser utilizados na cozinha? Nós já ensinamos aqui formas de criar um jardim vertical, ótimo para espaços pequenos.

Quanto mais verde no mundo, melhor!

  • Separe o lixo!

Diversas cidades fazem a coleta seletiva. Seja capital ou cidades do interior, há formas de contribuir na separação do lixo, para realizar o descarte correto. Piracicaba, por exemplo, que é uma cidade com todos atrativos da capital, mas com benefícios do interior, realiza a coleta seletiva.

Outras cidades, como Bragança Paulista, fazem a coleta algumas vezes durante a semana, em bairros estratégicos. Contudo, há locais públicos com as lixeiras separadas para receber o descarte correto.

Caso a sua cidade não faça a coleta seletiva e nem forneça locais para distribuição correta, ainda assim é possível contribuir: separe os materiais de plástico, metais e papel do lixo orgânico. Há diversos coletores de lixo recicláveis em todas as cidades – e também empresas destinadas a reciclagem. Doe esses materiais – essa simples ação contribui, e muito, para preservar o meio ambiente!

  • Nunca jogue lixo no chão!

Não é raro ver pessoas falando que jogam o lixo no chão para preservar o emprego das pessoas que fazem a limpeza do município. Essa atitude é errada e demonstra falta de caráter. Imagine a seguinte situação: você recebe um amigo em sua casa e, ao oferecer algo para ele comer, a pessoa joga a embalagem e restos no chão, pois sabe que haverá alguém que irá limpar depois (você, no caso). Errado, não é mesmo?

Além de ser falta de educação, o descarte irregular pode levar os dejetos até bueiros e obstruir a passagem de águas pluviais – que é exatamente o responsável pela causa de alagamentos em diversos bairros.

  • Evite o desperdício de água e energia

Aquela torneira aberta enquanto escova os dentes? A luz da sala ligada por horas, sendo que ninguém está no cômodo? Tudo isso deve acabar. Á água, que também é responsável pela energia através de hidrelétrica, é um recurso natural não infinito. Ou seja, uma hora irá acabar. Apesar de termos milhões de litros cúbicos através do globo terrestre, poucos são aqueles possíveis de ser tratados e consumidos pelos humanos – exatamente essa água que descartamos, um dia irá faltar.

  • Jogue o lixo no lixo correto!

Em ambientes públicos, como shopping e parques, existem as lixeiras sinalizadas por cores diferentes e com a indicação do que é cada uma delas. Respeite essa diferença. Ao consumir na praça de alimentação, por exemplo, leve o seu lixo até o local indicado e faça o descarte correto em cada uma das lixeiras.

 

Essas são medidas simples que todos podem tomar, sem necessidade de fazer investimento monetário. Não há impedimentos, basta querer! Vamos juntos fazer do mundo um lugar melhor? 😉

GOSTOU DESSA MATÉRIA?

Compartilhe com os amigos! Acompanhe-nos no Facebook para receber mais dicas e novidades. E não se esqueça de sempre visitar o nosso blog, que está em constante atualização.

 

Até a próxima!



Como trocar o chuveiro sozinho e com segurança?

8 de abril de 2020 | Por cemara

O isolamento social nos obriga a manter o distanciamento de outras pessoas. Nesses momentos refletimos o quanto somos dependentes dos outros, não é mesmo? Essa é a oportunidade de você aprender novas habilidades e colocar a mão na massa! Que tal começar com a instalação do chuveiro? Confira o passo a passo!

PRIMEIRO PASSO:

Antes de iniciar, é necessário ir às compras. É isso mesmo. Tenha em mãos tudo que você vai precisar: chave de fenda, fita isolante e fita veda-rosca. Além de, é claro, a peça nova.

Para uma boa instalação de chuveiro é preciso comprar aquela peça que melhor atende as necessidades da sua casa. São vários os tipos e modelos que variam de acordo com vazão da água, pressão, gasto de energia e qualidade do material. Essas questões estão relacionadas ao relaxamento e conforto na hora do banho, então vale colocar na ponta do lápis para saber o quanto você quer gastar. Chuveiros com mais vazão e pressão, são aqueles que oferecem mais água em menos tempo – normalmente são usados também para relaxar após um dia longo.

A única questão que você não pode ir contra é a da voltagem. É necessário ter conhecimento prévio de qual a voltagem correta do seu chuveiro. Caso tenha dúvidas, cheque a peça antiga, essa informação normalmente está gravada na parte inferior do equipamento.

Lembre-se: não é possível fazer instalação de um chuveiro 110v em uma fiação 220v – ou vice-versa. Tenha cuidado e atenção aos detalhes!

SEGUNDO PASSO:

Antes de iniciar a retirada do chuveiro antigo, tome providências de segurança. Ou seja, desligue o registro e a energia – isso impedirá o fornecimento de água e eletricidade para o equipamento e manterá você livre de acidentes.

TERCEIRO PASSO:

Retire o equipamento antigo. Inicie pelos fios acima da peça, que estão conectados por fita isolante. Retire-as. Use a chave de fenda para desconectar todas as ligações elétrica de cabos e fios. Ao total, são três fios: dois para a rede elétrica e um para frio terra (que é fácil ser identificado, pois obrigatoriamente é da cor verde).

Após soltar todos os fios, puxe o chuveiro com delicadeza (alguns são necessários desrosquear). Evite aplicar muita força, pois pode danificar o cano.

Ao terminar de mover o equipamento velho, utilize a fita veda-rosca para isolar o cano que sai da parede. Especialistas indicam que é necessário de 7 a 10 voltas da fita no sentido horário, para evitar que ocorram vazamentos.

QUARTO PASSO:

Chegou a hora de instalar o novo chuveiro! Com a chave de venda, parafuse todos os fios no conector, apertando-os para certificar de que estão bem apertados. É necessário tomar o devido cuidado, caso fique “frouxo”, o frio pode apresentar problemas de conexão, o que acarreta o desligamento do disjuntor e, consequentemente, a queda de energia da casa toda.

Após apertar os fios, vede todas as conexões com fita isolante. Coloque o chuveiro na parede, tomando o devido cuidado para não danificar o cano – que você já vedou no passo anterior, ou seja, está preparado para receber a nova peça.

Depois de terminar toda a ligação, plugue a mangueirinha na base do chuveiro. Cada marca possui uma especificação correta e uma forma única de fazer fixar corretamente a mangueira, por isso consulte o manual de instruções que veio junto com o chuveiro.

QUINTO PASSO:

Abra o registro e deixe a água correndo por alguns minutos. Observe, com cuidado, toda a extensão do chuveiro e mangueira, para notar se há vazamentos. Em caso positivo, volte a fechar o registro, remova o chuveiro e refaça os procedimentos acima, dando atenção especial à vedação – aplicando mais força nos conectores e mais fita veda-rosca no cano.

Caso não tenha vazamentos, aguarde mais alguns minutos da água correndo, para garantir a passagem de água por toda a extensão do equipamento. Isso é necessário para evitar que a resistência queime assim que a energia for religada.

Desligue o chuveiro. Religue a chave da energia elétrica e volte a ligar o chuveiro – agora ele estará funcionando perfeitamente, tanto no modo “inverno” quanto no “verão”.

Parabéns, você instalou sozinho – e com segurança – um chuveiro!

GOSTOU DESSA MATÉRIA?

Compartilhe com os amigos! Acompanhe-nos no Facebook para receber mais dicas e novidades. E não se esqueça de sempre visitar o nosso blog, que está em constante atualização.

Até a próxima!



Dicas práticas para manter a casa limpa

29 de março de 2020 | Por cemara

Manter uma boa limpeza da residência exige tempo e dedicação. A higiene, tão importante para o bem-estar e conforto de toda a família, ficou ainda mais essencial nos dias atuais, devido à proliferação do COVID-19. Por isso, a Cemara Loteamentos separou algumas dicas para ajudar você neste processo, de forma prática e organizada. Confira!

ORGANIZAÇÃO É O PRINCIPAL PONTO

Não adianta iniciar a limpeza em todos os cômodos de uma só vez – ou iniciar o processo em um, não terminar, e passar para outro local. Tenha organização e limpe um espaço por vez. O planejamento fará com que você tenha mais eficácia.

MELHORES AMIGOS

Água, sabão e água sanitária são os melhores amigos nesse momento. Todos são eficazes no combate do vírus e na higienização da residência. Utilize água sanitária em ambientes como banheiros, áreas externas e espaço para pets. Água e sabão (que pode ser feito com sabão em pedra, detergente líquido ou até mesmo com sabonete) são indicados para todos os cômodos. Esfregue bem e enxague em abundância.

TÁTICA DOS 3 PANOS

Em móveis, utilize três panos: o primeiro seco para retirar a poeira. O segundo, com álcool, para desinfetar. E, por fim, o terceiro apenas para secar o ambiente e evitar que cause manchas.

Garantindo que um pano tenha apenas uma utilidade, você evita espalhar poeira e garante que a unidade separada para a limpeza tenha maior eficácia na higienização.

DICA PARA LIMPAR TELAS

Eletrodomésticos também acumulam pó e devem ser higienizados. Telas, como televisão, monitor e celular, também precisam de limpeza. Utilize um pano seco para limpar a superfície – o ideal é optar por um pano de microfibra, pois não deixa resquícios que depois incomodam.

Álcool comum não é indicado para telas! Por isso, utilize o isopropílico – ele é o único que não mancha e nem risca. Caso não tenha, utilize algodão e água para fazer a limpeza e evitar danos.

ABRA AS JANELAS E DEIXE O SOL ENTRAR

Manter um ambiente bem arejado e com iluminação natural garante a limpeza do ar e evita que fungos e bactérias se proliferem. Por isso, deixe a luz do sol entrar. Outra dica é colocar as almofadas e travesseiros pendurados na janela para serem atingidos pelos raios solares – o que ajuda na eliminação de ácaros, por exemplo.

COVID-19

O coronavírus é uma realidade que pode ser combatida. Para tanto, são necessárias medidas de cada um de nós. A ação coletiva só tem eficiência se individualmente tomarmos cuidados que irão impactar e preservar a saúde de todos nós.

Por isso, não esqueça: se possível, fique em casa e saia apenas para o essencial; evite aglomerações e contato com outras pessoas. Em casa, lave as mãos com água e sabão diversas vezes ao dia. Importante: mantenha a calma e informe-se apenas por meios oficiais de saúde, como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde (que, recentemente, divulgou outras formas de se prevenir, clique aqui e confira).

GOSTOU DESSA MATÉRIA?

Compartilhe com os amigos! Acompanhe-nos no Facebook para receber mais dicas e novidades. E não se esqueça de sempre visitar o nosso blog, que está em constante atualização.

Até a próxima!



Empresa em bairro residencial? Chegou a hora de mudar!

25 de março de 2020 | Por cemara

Diga adeus aos bairros residenciais, sua empresa precisa – e merece – um loteamento criado especificamente para atender as necessidades empresariais e industriais.

 

Para alcançar o sucesso empresarial são necessárias algumas medidas. Entre elas: ter estrutura, fazer planejamento detalhado e aumentar a logística de atuação. Contudo, nada disso pode ser realizado se a empresa está localizada em um bairro residencial. Entenda o motivo.

Com residências e prédios ao redor, as instalações seguem rigorosas regras que limitam o funcionamento. Algumas delas são: horário de produção; problema com vizinhos devido ao som dos maquinários, considerado poluição sonora; diminuição logística, já que divide o espaço entre moradores, carros e motocicletas que transitam constantemente nas vias públicas; dentre outros.

Acabe com as limitações que impedem a empresa de crescer! Invista em um empreendimento pensado, desde a criação, para atender todas as necessidades empresariais e industriais.

Esses espaços são destinados a empresas que desejam expandir a atuação ou atender melhor os clientes. Por exemplo, no Centro Empresarial e Industrial Vale dos Cedros, localizado em São José do Rio Preto, há espaço suficiente para ampliar a estrutura, além de possibilitar turnos ininterruptos, 24 horas por dia! Além disso, há o conceito de condomínio aplicado ao ambiente, tudo para garantir aos colaboradores que trabalham nas empresas mais conforto, bem-estar e tranquilidade. São praças, bancos, iluminação pública e opções de entretenimento – como quadra de vôlei, minicampo de futebol, playground e redário.

O empreendimento faz parte dos investimentos da Cemara Loteamentos, preocupada em oferecer o melhor para a sua empresa e, juntos, alcançar o sucesso tão almejado!

Pensando nisso, a Cemara oferece a você um ebook completo com dicas e formas de vencer os obstáculos e aumentar a presença, vendas e lucro da sua empresa. É gratuito: clique aqui e baixe agora!

GOSTOU DESSA MATÉRIA?

Compartilhe com os amigos! Acompanhe-nos no Facebook para receber mais dicas e novidades. E não se esqueça de sempre visitar o nosso blog, que está em constante atualização.

Até a próxima!



Tendências do mercado imobiliário para 2020

6 de março de 2020 | Por cemara

O mundo globalizado está em constante mudança. O mesmo ocorre nos negócios. Tecnologia, economia e o comportamento do consumidor são alguns dos exemplos que pautam a variação do mercado ano após ano. 2020 começou com diversas alterações, mudanças no cenário de investimento e reajuste de juros. As pautas do segmento que foram notícias na imprensa determinam as tendências para o mercado imobiliário para este ano.

2020 é a hora de você investir na compra de terrenos. A Cemara Loteamentos explica os motivos e apresenta as tendências para o segmento. Confira!

Juros menores: facilidade para compra

Os últimos meses foram de “queda livre” para a taxa Selic. Isso preocupou investidores de todo o Brasil que possuem aplicações em renda fixa. Este modelo de negócio deixou de ser atrativo no cenário de 2020, pois agora passa a trazer retorno baixíssimo.

Movido pela queda da Selic, os juros de financiamento de imóveis serão reduzidos. Ou seja, é uma ótima oportunidade para aqueles que desejam fazer investimentos que valorizam com o passar do tempo, como a compra de lotes.

Há excelentes oportunidades em diferentes cidades, que estão com benefícios e atrativos imperdíveis, como o Loteamento Sol Nascente em Bragança Paulista ou os terrenos à venda em Piracicaba.

Preferência por ambientes compactos

Uma tendência de mercado que está evoluindo ao passar dos meses é a preferência por projetos otimizados e compartilhamento de áreas. As famílias estão deixando de lado a necessidade de vagas na garagem e muitos cômodos para priorizar ambientes menores e mais aconchegantes.

Prioridade: qualidade de vida

O comportamento do consumidor mudou. Agora, acima de qualquer coisa, eles buscam por qualidade de vida. O grande diferencial em terrenos para construção de residências é a valorização da localização. Atualmente, bairros planejados com opções de entretenimento e com facilidades e serviços próximos são as opções mais procuradas.

Tecnologia como diferencial

O celular deixou de ser item de luxo há muito tempo. Em 2020, essa tendência ganhou ainda mais força com a chegada da internet 5G no Brasil. Por isso, cada vez mais, os condomínios e loteamentos estão investindo em estruturas digitais e aporte em formas atrativas e econômicas de disponibilizar aos moradores internet rápida e de qualidade.

GOSTOU DESSA MATÉRIA?

Compartilhe com os amigos! Acompanhe-nos no Facebook para receber mais dicas e novidades. E não se esqueça de sempre visitar o nosso blog, que está em constante atualização.

Até a próxima!



Bancos cortam juros de segmentos imobiliários

23 de dezembro de 2019 | Por cemara

Recentemente, nós informamos aqui que conseguir um financiamento está mais fácil e prático, devido ao crédito imobiliário liberado pelos bancos. Agora, a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil anunciam outra vantagem para quem está querendo realizar o sonho do primeiro imóvel, ou ainda procura um local seguro para investimento: corte nos jutos de segmentos imobiliários.

A partir de agora, a menor taxa de juros cobrada pela Caixa, por exemplo, passará a ser de 6,75% ao ano. Anteriormente, a taxa cobrada era de 7,50%. De acordo com diretrizes criadas em 1991, esse valor ainda é somado à Taxa Referencial (TR) – fator de correção monetária de empréstimos – que atualmente está zerada, gerando ainda mais economia para o comprador.

“Corte de juros de segmentos imobiliários” Na prática, o que isso significa?

Na prática, quem ganha é o consumidor final. Ao anunciar a diminuição, que já entrou em vigor, os bancos estão garantindo ainda mais facilidade e praticidade para dar início ao financiamento, com crédito e redução de juros. Ou seja, ficou ainda mais barato e prático comprar um terreno para construir ou investir.

Por isso, essa é a hora certa para você garantir as ofertas especiais e condições exclusivas dos clientes Cemara Loteamentos. Quer realizar o sonho da casa própria ou investir o seu dinheiro? Compre um terreno hoje mesmo! Confira as unidades disponíveis em nosso site: www.cemara.com.br

Texto elaborado com informações apuradas nos portais de notícia: Jornal Estadão e Moving.



Dicas para reformar a casa morando nela

19 de dezembro de 2019 | Por cemara

Está pensando em reformar a casa ou aumentar um cômodo? Seja rápida ou intensa, reforma sempre leva tempo e necessita de paciência. Quando continuamos a morar na casa durante o processo, essas necessidades são ainda mais intensas.

Por isso, a Cemara separou algumas dicas para você manter a calma, evitar transtorno e prejuízos ao reformar a casa enquanto ainda mora nela.

CADA PARTE DE UMA VEZ

Organização é a chave do sucesso. Se o projeto prevê reformas em mais de um cômodo, evite começar os dois ao mesmo tempo. Isso manterá a ordem e facilitará a adaptação de toda família.

RETIRE TODOS OS MÓVEIS AO REFORMAR A CASA

Ao selecionar por qual local irá começar, retire todos os móveis e realoque-os em outros cômodos, para evitar que sejam danificados e causem prejuízo. Móveis planejados e portas devem ser embalados com plásticos de proteção, para manter a integridade durante todo o processo.

UTILIZE PAPELÃO E PLÁSTICO PARA PROTEÇÃO

Evite riscos nos pisos: coloque papelão e plástico em cima de toda a superfície do cômodo que será reformado. Não se esqueça de colocar a proteção também em todo o caminho feito pelos profissionais, caso seja necessário passarem por outros locais da casa para chegar até a reforma.

CONTRATE PROFISSIONAIS QUALIFICADOS

Uma equipe de profissionais qualificados fará toda a diferença no tempo e na qualidade do serviço prestado. Por isso, evite economizar na mão de obra. Procure por recomendações de profissionais especializados no tipo de reforma que deseja fazer. Isso garantirá menos dor de cabeça para toda a família.

RETIRE O LIXO TODOS OS DIAS

Por menor que seja, toda reforma causa muita sujeira. Sejam os resquícios dos materiais de construção ou ainda poeira. Não há como evitar, então não deixe acumular. Todos os dias, retire o resto dos materiais e limpe a casa – especialmente o cômodo que está sendo reformado. Isso garantirá mais conforto para toda a família, além de evitar problemas de saúde, como alergias.

ATENÇÃO AOS PETS

Se na sua casa tem um animal de estimação como gato ou cachorro, dê atenção especial. Por natureza, eles são curiosos e certamente irão se aproximar para entender o que está acontecendo. No meio da reforma, eles podem se machucar com ferramentas ou materiais. Por isso, evite deixá-los transitar livremente pelos cômodos em reforma. Trancá-los em cômodos pequenos também não é a solução, isso só estressará mais o animal. Se possível, faça vários passeios ao ar livre durante o tempo que a equipe estiver reformando a casa; ou deixe-o em cômodo amplo e acompanhado de alguém da família, como um quarto ou na sala.

GOSTOU DESSA MATÉRIA?

Compartilhe com os amigos! Acompanhe-nos no Facebook para receber mais dicas e novidades. E não se esqueça de sempre visitar o nosso blog, que está em constante atualização.

Até a próxima!



Aprenda a dar mais vida aos móveis antigos

28 de novembro de 2019 | Por cemara

Sabe aqueles móveis antigos que estão no canto da sala e que você está pensando em jogar fora? Pense duas vezes. Com um pouco de tempo e o material correto, é possível dar mais vida para cada peça, deixando-a com aparência de nova.

Confira dicas para essa prática econômica e sustentável.

Dica 1: Analise o móvel e faça listas

Antes de iniciar, é importante saber quais materiais e ferramentas você irá precisar. Para facilitar o processo, crie listas que ajudarão na organização.

Para iniciar, é simples: separe todos os móveis antigos que você deseja restaurar e faça uma análise minuciosa. Comece identificando todas as imperfeições, como arranhões e manchas, por exemplo.

Por fim, crie a lista de materiais que irá precisar. Itens que não podem ficar de fora, independente do estado do móvel, são: verniz, tinta da cor desejada, lixas, pincéis, panos e lona ou jornal velho para proteger o chão.

Dica 2: Escolha um local para revitalizar os móveis antigos

Leve todo o material e móveis para o local onde irá fazer a restauração. Dê preferência para locais externos com cobertura e entrada de luz natural. Dessa forma, o cheiro forte do verniz e da tinta não ficará por muito tempo no ambiente, ao mesmo tempo em que a iluminação permitirá atenção extra aos detalhes.

Dica 3: Vá com calma e por partes

A pressa é inimiga da perfeição. O ditado popular é uma verdade absoluta nesse quesito. Ao fazer restauração de móveis antigos, tenha calma. Os detalhes precisam de atenção redobrada e, quando feitos com atenção, preservarão a peça por mais tempo.

Confira as etapas:

  • Inicie o processo removendo os acessórios (dobradiças e puxadores, por exemplo).
  • Faça a limpeza de toda a peça com o pano úmido e, logo em seguida, passe um pano seco.
  • Lixe toda a superfície do móvel que deseja reparar.
  • Limpe novamente toda a superfície, para retirar os resquícios após lixar.
  • Escolha a cor da tinta do seu agrado e, com auxílio de pincel, pinte toda superfície.
  • Deixe secar por, no mínimo, 3 horas.
  • Repita o processo de pintura.
  • DICA: Ao pintar, passe o pincel sempre na mesma direção (na horizontal, da direita para esquerda; ou na vertical, de cima para baixo etc.).
  • Após a secagem completa, recoloque os acessórios.

Use sua criatividade!

Confira alguns exemplos de antes e depois de móveis restaurados:

Modelo de móveis antigos

Foto: Reprodução / Pinterest

Antes e depois da revitalização de móveis antigos

Confira o resultado do antes e depois da revitalização dos móveis antigos

Gostou dessa matéria?

Quer conferir mais dicas como essa? Acesse o nosso blog! Semanalmente há conteúdo novo e exclusivo para você, amigo Cemara!



Como instalar rodapé em apenas 3 passos

12 de novembro de 2019 | Por cemara

Instalar o rodapé é essencial. Este acabamento dará vida ao ambiente, além de deixá-lo ainda mais atrativo e diferenciado, suavizando a divisão entre parede e piso. O melhor de tudo isso é que a aplicação é extremamente fácil.

Mas afinal de contas, como instalar rodapé?

Confira!

Passo 1: Escolha o rodapé

O passo mais importante é a escolha do rodapé. Ele será responsável por deixar o ambiente ainda mais alegre e sofisticado. Para isso, é necessário entender cada cômodo com um conceito. Quarto de criança pede rodapé mais neutro, para “quebrar” o colorido da pintura e do papel de parede, por exemplo.

Caso o cômodo já tenha rodapé instalado, o primeiro passo é removê-lo completamente. Para isso, use uma espátula e um martelo. Coloque a espátula na divisão entre o rodapé e a parede. Usando o martelo, force com cuidado a espátula para remover completamente a peça e não danificar o espaço.

Aprenda a como instalar rodapé em sua casa

Foto: Duratex Madeira / Divulgação

Passo 2: Adapte as peças

Antes de iniciar o processo, tire as medidas de todo o ambiente e faça a adaptação, se necessário, das peças. Dê atenção especial aos cantos para garantir o alinhamento correto. Caso seja necessário, faça cortes na diagonal, pois são mais fáceis de alinhar e disfarçam possíveis imperfeições ocorridas durante a instalação.

Como instalar rodapé? Descubra a resposta nesse post!

Foto: Arquiteturainteriores.com / Divulgação

Passo 3: Por fim, descubra como instalar rodapé

Antes de iniciar a fixação, simule a aplicação. Coloque as peças lado a lado para ver se estão preenchendo todo o espaço. Somente após ter certeza dos encaixes, inicie a colagem.

Existem duas opções disponíveis para a fixação de rodapés: utilizar pregos e martelo ou usar cola específica, chamada de “prego líquido”. Se possível, dê preferência para a cola, pois apresenta maior fixação e permite ao acabamento mais sofisticação.

Gostou dessa matéria?

Quer conferir mais dicas como essa? Acesse o nosso blog! Semanalmente há conteúdo novo e exclusivo para você, amigo Cemara!



Como facilitar a instalação de cubas em pias

31 de outubro de 2019 | Por cemara

Pode riscar mais um item da sua lista: colar a cuba da pia não será mais um problema a ser resolvido. Esse guia prático ensinará uma prática solução, em apenas três passos, para concluir essa etapa de acabamento em obras – seja na construção ou na reforma da casa.

Limpeza em primeiro lugar

Para garantir aderência à cuba, é necessário que a área de aplicação esteja livre de poeira ou resto de selante de aplicações anteriores. Faça a limpeza completa sem deixar resíduos antes de iniciar a instalação de pia.

Aplicação de selante sem segredos

O passo mais importante é a aplicação do selante. É ele que irá determinar o acabamento.

Caso a cuba seja de apoio ou de sobrepor, vire-a de ponta cabeça e coloque o selante direto na peça. Tenha o cuidado de fazer a aplicação uniforme, para garantir a aderência correta de todos os lados. Ao terminar de aplicar, vire-a do lado correto e pressione suavemente a cuba na superfície onde ela deverá ficar. Com os dedos, limpe a borda da peça para retirar o excesso de selante.

Atenção aos detalhes: ao fazer a aplicação, tenha certeza de que a superfície está seca. Há no mercado produtos que permitem a aplicação e garantem a aderência em superfície úmida, mas a maioria não possui essa característica. Por precaução, leia a indicação no rótulo do produto.

Instalação de Pia: como fazer?

Foto: ELOISE DONATTI / Adorodecorar.com.br

Já em cubas de embutir ou semiencaixe, o selante deve ser aplicado apenas na borda da peça – local onde haverá o contato da cuba com a superfície. Após a aplicação, não passe pano para retirar o excesso do selante, pois pode deixar resquícios: utilize os dedos.

Para garantir o processo de fixação correto, coloque embaixo da cuba um suporte que dê apoio, como um banquinho, para não forçar a borda.

Instalação de pia?  Saiba como fazer!

Foto: Casoca.com.br

Tempo para a perfeição na instalação de pia

Indiferente ao modelo da cuba da sua pia, é necessário respeitar o prazo para secagem do selante. Para garantir o bom funcionamento, aderência e acabamento, o tempo de espera mínimo exigido é de 24 horas para fazer corretamente a instalação de pia.

Gostou dessa matéria?

Quer ter acesso a mais dicas como essa? Acesse o nosso blog! Semanalmente há conteúdo novo e exclusivo para você, amigo Cemara!



Método infalível para instalar a caixa d’água

18 de outubro de 2019 | Por cemara

Há muito tempo a instalação de caixa d’água deixou de ser item de luxo nas construções e tornou-se essencial. No entanto, ao escolher instalar o reservatório, é necessário estar atento ao modelo ideal que irá atender a necessidade da sua família.

Confira as dicas da Cemara para você!

 

Por que optar por uma caixa d’água?

Ter fornecimento ininterrupto de água é o objetivo principal de quem escolhe instalar o reservatório no imóvel. Às vezes, o fornecimento de água é interrompido momentaneamente pela rede de distribuição e causa problemas para os moradores. Esse imprevisto pode ser contornado ao ter uma instalação de caixa d’água na residência.

Outros motivos para optar pela instalação são:

  • Diminuir a pressão da água que chega da rua
  • Tornar o uso mais econômico
  • Evitar sobrecarga nas tubulações internas

 

Qual é o modelo indicado para a minha casa?

Atualmente, são diversos os tipos, materiais e modelos de reservatórios que existem no mercado. Os mais comuns são de polietileno, mas há grande procura por outros materiais, como fibra de vidro e aço inox.

Contudo, o que fará diferença em sua residência é o tamanho da caixa d’água. Os modelos podem variar de 500 a 15 mil litros de capacidade. É importante saber o tamanho ideal para nunca faltar água – e nem sobrar em abundância.

Para determinar qual comprar, leve em consideração: quantas pessoas moram na residência e quantos dias de reserva a caixa d’água será capaz de armazenar. Faça a conta:

Número de pessoas da casa x média em litros de água utilizado por cada pessoa diariamente (150) x dias de reserva = tamanho ideal.

Em uma casa de duas pessoas, para 3 dias de reserva, a conta ficaria da seguinte maneira:

2 x 150 x 3 = 900 litros.

Com o resultado em mãos, fica mais fácil na hora de optar por qual o tamanho de reservatório escolher.

 

Como instalar a caixa d’água?

Após definir as características essenciais para a escolha do reservatório, inicia o processo de instalação. Não há segredos. A instalação é simples, mas os detalhes são o que compõem o método infalível para aumentar a vida útil e o bom funcionamento da caixa d’água.

Confira, em 3 passos, como fazer a instalação correta para evitar problemas no futuro:

Passo 1: escolha do local

O espaço para assentamento da caixa d’água deve ser plano, liso e nivelado. É necessário que tenha tamanho suficiente para acomodar o reservatório e deixar “respiros” de, no mínimo, 60 cm ao redor, para facilitar a limpeza e a manutenção.

Passo 2: utilização de ferramentas corretas

Leia o manual do produto e respeite as indicações. Utilize a furadeira, a broca e lixa indicadas pelo fabricante. Seguir este detalhe garantirá um bom acabamento estético e evitará rebarba, que pode impedir o encaixe correto da tubulação.

Peça 3: uso correto das tubulações

A caixa d’água conta com quatro tubulações. São elas:

  • Entrada, que alimenta o reservatório
  • Saída, que distribui a água para a residência
  • Extravasor (“ladrão”), que evita que a caixa transborde
  • Limpeza, para escoamento da água depois da manutenção

Cada uma delas deve ser inserida no local correto, de acordo com a indicação no manual do reservatório escolhido. Preze por conexões e registros de alta qualidade, pois são eles que irão garantir o bom funcionamento da instalação.

Ao tomar esses cuidados simples, você evita dor de cabeça no futuro.

Gostou dessa matéria?

Quer ter acesso a mais dicas como essas? Acesse o nosso blog! Semanalmente há conteúdo novo e exclusivo para você, amigo Cemara!

Fonte: Casa do Construtor



Saiba escolher o revestimento de parede

3 de outubro de 2019 | Por cemara

Após concluir a etapa de construção, o acabamento é a parte que mais exige tempo e dedicação. É a partir dela que a casa passará a ter identidade, ou seja, quando a casa se torna lar. Parte importante deste processo é a escolha do revestimento de parede.

São várias as opções disponíveis no mercado. Azulejos, madeiras, pastilhas, cerâmicas ou ainda autoadesivos decorativos. Entre tantas opções, como saber qual é o ideal para cada cômodo? O segredo está nos detalhes.

O melhor revestimento de parede para cada cômodo

Antes de escolher o tipo de revestimento, pense na praticidade e objetivo de cada ambiente. Para não errar na escolha, são necessários alguns cuidados.

Áreas úmidas

Cômodos que possuem maior contato com a água, como cozinha e banheiro, o indicado é a utilização de azulejos, porcelanatos e pastilhas. Estes revestimentos frios são resistentes à umidade e ajudam a evitar o mofo – além de oferecerem mais praticidade na hora da limpeza.

Exemplo de revestimento de parede
Fonte: Arquitetando ideias (
https://www.instagram.com/p/Bo39DAOlQoJ/ )

Exemplo de revestimento de parede
Fonte: Thaisa Bohrer
https://www.instagram.com/p/BpZJ6ALAqad/

Exemplo de revestimento de parede para banheiro
Fonte: PKB (
https://www.instagram.com/p/BkQ3vzTFIY7/ )

Ambientes secos

Quarto e sala possuem maior variedade de opções para aplicação de revestimento – ainda mais com papéis de parede que servem como decoração, mas são frágeis em contato com a água. Estes ambientes permitem apostar em materiais como laminados, madeiras, bambus e autoadesivos decorativos.

Exemplo de revestimento de parede para sala de estar
Fonte: Yanaina Interior Design (
https://www.instagram.com/p/BfifWPSnezf/ )

exemplo de revestimento de parede para sala
Fonte: Marian Linhares ( https://www.instagram.com/p/Bb4W9pAh5Xc )

A aplicação de revestimento transformará a parede branca e sem vida em um espaço agradável aos olhos e aconchegante para os visitantes.

Exemplo de revestimento de parede para quarto
Fonte: Yanaina Design (
https://www.instagram.com/p/BksycxQn2EF/)

Área externa

Já para ambientes externos, invista em materiais que suportem as mudanças climáticas e ações do tempo. São acabamentos mais rústicos, com tijolos ou pedras à mostra, mármore, granito e madeira. A escolha deixará o ambiente da entrada e fachada da casa, bem como jardim, piscina ou varanda, ainda mais charmoso.

revestimento de parede para áreas externas
Foto: Eliane Revestimento (
https://www.instagram.com/p/BgwIGh5D9WN/ )

Exemplo de revestimento de parede para área externa
Fonte: Thais Caiado ( https://www.instagram.com/p/Bk0x_6jlciS  )

 

revestimento de parede para fachada
Fonte: Vendramini Arquitetura (
https://www.instagram.com/p/BpZSZDUlMct/ )

Fonte: Fórum da Construção <http://www.forumdaconstrucao.com.br/conteudo.php?a=5&Cod=1661>



4 dicas essenciais para uma boa instalação elétrica

26 de setembro de 2019 | Por cemara

O que é feito de forma natural, no dia a dia, passa despercebido aos olhos. Do apertar o interruptor ao acender das luzes, um longo caminho é percorrido. Muitas vezes, não damos valor, mas basta ficar um minuto sem eletricidade que percebemos como somos dependentes dela. Por isso, a instalação elétrica é uma das partes que demanda de mais tempo e atenção na construção. Abaixo, destacamos 4 dicas essenciais que não podem ser ignoradas nesta etapa:

Crie uma planta descritiva

Essencial para a elaboração de um plano eficaz e de qualidade, a planta descritiva do projeto elétrico é o primeiro item da lista. Todos os pontos de luz, tomadas e interruptores devem ser previstos para a melhor execução do trabalho.

Procure ajuda profissional para fazer a instalação elétrica

Contar com ajuda especializada não é luxo, é inteligência e segurança. Uma boa execução do projeto e dos processos de instalação dispensa a necessidade de refazer o trabalho e diminui o risco de acidentes.

Escolha material de qualidade

Jantar à luz de velas? Apenas em ocasiões especiais. Toda a estrutura e execução tem que atender às mais altas exigências do mercado, para não “deixar você na mão” quando você mais precisa. Selecione apenas material de qualidade para garantir a durabilidade e funcionamento da instalação.

Dúvidas? Siga os padrões!

Não tem certeza de quantas tomadas colocar na planta descritiva? Utilize os padrões das normas brasileiras relativas ao assunto. O número de tomadas de uso geral deve ser fixado de acordo com o seguinte:

  • Banheiro: no mínimo, uma tomada junto ao lavatório;
  • Cozinhas, área de serviço e lavanderia: uma tomada a cada 3,5 metros;
  • Acima de bancada: uma tomada;
  • Corredor, subsolo, garagem, sótão e varanda: no mínimo, uma tomada.

VISITE SEMPRE O BLOG DA CEMARA!

Pretende construir ou reformar? A Cemara pode ajudar! Toda semana nós publicamos conteúdo novo e de qualidade para você, aqui em nosso blog. Não deixe de nos visitar!

Até a próxima semana!

Fonte: Casa do Construtor < https://info.casadoconstrutor.com.br >.



Regiões de Campinas e Sorocaba crescem em ritmo acelerado

30 de agosto de 2019 | Por cemara

Regiões de Campinas e Sorocaba crescem em ritmo acelerado

A facilidade, a segurança e o conforto das cidades do interior de São Paulo têm motivado empresários a investirem na construção de indústrias e residências na região.

Surfando nessa tendência, cidades como Campinas e Sorocaba têm apresentado aumento representativo em seu PIB e crescimento acelerado. Entre 2002 e 2018, as duas cidades lideraram a lista dos locais que mais evoluíram em todo o estado. O crescimento foi de, aproximadamente, 3% ao ano, enquanto que a cidade de São Paulo teve aumento de 1,8%.

Os números refletem a perda de dinamismo da economia na região metropolitana. O índice da grande São Paulo é inferior ao das demais regiões industrializadas (2,2% ao ano) e abaixo da média estadual (2,3%). No período 2002 a 2018, a cidade sofreu queda de 46 para 35% na participação na indústria; enquanto a região de Campinas consagrou-se como a segunda mais industrializada do país.

Os dados são da Fundação Seade.

Esses números representam, além da evolução de toda a região, a oportunidade de investimento seguro, principalmente nas áreas de construção e compra de terrenos em bairros planejados.

PIB

O Produto Interno Bruto (PIB) é a soma, em valores monetários, de todos os bens produzidos em uma região durante um período determinado. Quanto maior o PIB que um município apresenta, maior será a qualidade de vida e o acesso a serviços proporcionados para toda a população.

Fonte: https://www.valor.com.br/brasil/6389807/regiao-metropolitana-perde-peso-na-industria-de-sao-paulo



Conheça os tipos de fundação para construir sua casa

16 de agosto de 2019 | Por cemara

Chegou a hora de saber como realizar seu primeiro passo para ter uma casa segura, estável e bem construída, com uma fundação bem feita. Você sabe a importância desse elemento para a sua futura residência? Então fique por dentro.

A fundação, também conhecida como alicerce, é um dos elementos fundamentais para a construção de uma casa. Ela é a estrutura responsável por suportar o peso e manter nivelada a casa no terreno, além de garantir fixação. Seu projeto deve ser bem calculado e realizado por profissionais especializados, pois uma conta errada sobre as cargas que essa fundação precisa suportar pode acarretar graves problemas em toda a estrutura do imóvel.

Tudo deve começar num estudo do solo para conhecer o tipo e a quantidade de carga que ele suporta. Após essas informações, os engenheiros vão definir o tipo de fundação ideal para sua obra. Saiba que o tipo de casa escolhida deve ter um alicerce específico, afinal, um sobrado tem um peso diferente de uma casa térrea. E existem alguns tipos de fundação que devem ser levados em consideração. São eles:

Tipos de fundação: diretas ou rasas?

Muito comum em casas com até dois pavimentos devido ao seu custo benefício. Essas fundações transmitem as cargas diretamente para o solo por suas bases e sua profundidade é igual ou inferior a 3 metros. As escavações deste tipo de fundação são feitas manualmente. Os formatos das fundações mudam conforme o tipo, mas todas são construídas com concreto e aço, conhecida como concreto armado.

Os tipos de fundações diretas mais comuns são:

  • Sapata Isolada
  • Viga Baldrame
  • Radier
  • Sapata Corrida

Fundações indiretas ou profundas

Em casos de baixa resistência do solo, será necessário utilizar fundações profundas ou indiretas. As fundações profundas que mais utilizam em casas são as estacas tipo broca, cilindros de concreto e aço enterrados que ligam as fundações com solos mais firmes.

Existe também a fundação com estacas. Essa é indicada para solos tipo aterro, com pouca resistência. Essas estacas ficam a mais de três metros de profundidade, já que é preciso cavar muito para achar uma estabilidade no solo.

Leve os profissionais de sua confiança para visitar os locais da obra, para te ajudar com informações mais técnicas e que precisam ser realizadas nos estágios iniciais e durante a obra. E com isso, o seu engenheiro deve ter uma aproximação com a equipe que vai executar a construção, para que nenhuma informação fique para trás.

Veja abaixo como escolher a fundação correta para sua construção:

Tabela de tipos de fundação

Conte com a Cemara para tirar dúvidas sobre o seu loteamento e ter uma construção segura.



Páginas:1234»

Certificados e Prêmios



Realizações Cemara
Realizações Cemara
Realizações Cemara
Realizações Cemara