Mostrando posts da categoria: Dicas úteis


Home office pode ficar na cozinha e corredor; veja opções

6 de setembro de 2016 | Por admin

O ambiente deve atender às necessidades do morador, com o cuidado de que não pareça algo improvisado

Patricia Zwipp

Precisa de um espaço para trabalhar em casa, mas não tem um cômodo vago para o escritório? Pois saiba que é possível criar um home office em locais não utilizados de outros ambientes, desde que atenda às suas necessidades de maneira confortável e prática.

Foto: J. Vilhora / Divulgação

Normalmente, divide espaço com quarto ou sala , mas há opções até em cantos da cozinha e no corredor. “O ambiente escolhido varia de acordo com o perfil do morador. Em um banheiro , por exemplo, considero pouco habitual, até porque existe a umidade que não combina com equipamentos e papéis. Mas já desenvolvi uma bancada de trabalho dentro de um banheiro a pedido do morador. Não era o local principal de trabalho, mas ele gostava muito de responder os seus e-mails lá. Cozinhas também não são muito usuais, mas é possível que haja um ambiente integrando sala, cozinha e home office”, disse a arquiteta Cristiane Schiavoni.

A preocupação é a de que não pareça algo improvisado. Para isso, as cadeiras e mesas podem e devem ser bonitas, mas o fundamental é que permitam que seus pés fiquem apoiados no chão e o antebraço na mesa, mantendo a coluna reta ao formar um ângulo de 90° com o quadril. Aposte em iluminação direta para não forçar a visão.

Para que o cômodo fique mais leve e organizado, use gavetas, prateleiras e nichos. “Armários fechados com nichos abertos, que possam receber objetos decorativos, são ótimas opções. Armários que escondam impressoras, roteadores deixam o ambiente limpo. Mesas com compartimentos que escondam canetas e lápis organizam o espaço”, listou a arquiteta Cristiane. “Na mesa, deixe apenas adornos e o essencial, como computador/notebook”, completou a arquiteta Andréia Carla Médice.

Na hora de decorar o home office em um cômodo integrado, é importante haver harmonia com o restante. “Se for dentro do quarto, geralmente o mobiliário segue um padrão de cor e material”, comentou Andréia. Cristiane lembrou que é possível escolher um móvel diferenciado, sem ter as mesmas cores e padrões, para dar destaque. Use o bom senso para avaliar o resultado final.

Confira sugestões de locais onde é possível instalar o escritório em casa:

Integrado à sala, mas com possibilidade de ser fechado

01141013homeofficedecoracao

Foto: Adriana Barbosa/Divulgação

Para deixar a sala mais linear e arrumada, é possível fechar o home office integrado com um painel de marcenaria, no projeto da arquiteta Silvana Lara Nogueira. A leveza do branco da porta contrasta com o tom mais escuro dos móveis de nogueira. Informações: (11) 5093-4594.

Na sala, em frente à TV

02141013homeofficedecoracao

Foto: Carlos Piratininga/Divulgação

A televisão pode tirar a atenção de muitas pessoas, mas há quem precise dela no home office. Levando em conta o perfil do morador, que gosta de conferir a programação da TV enquanto trabalha, a arquiteta Cristiane Schiavoni projetou a mesa do home office atrás do sofá, exatamente de frente para o aparelho. Informações: (11) 3649-4900.

Na sala, ao lado da TV

03141013homeofficedecoracao

Foto: Marco Antonio/Divulgação

O cantinho que sobrou ao lado da parede da TV da sala também pode se transformar em um home office. A bancada que faz as vezes de rack também é o apoio do laptop, na proposta de Luciana Penna, do escritório Messa Penna Arquitetura e Interiores. O painel de madeira de demolição caiu bem com as tonalidades predominantes do projeto (cinza, branca e preta), enquanto o toque colorido ficou por conta dos objetos, como a luminária vermelha. Informações: (11) 3062-7999.

No quarto, em frente à cama

04141013homeofficedecoracao

Foto: Divulgação

O professor universitário precisava de um espaço para guardar seus livros e corrigir os trabalhos e provas dos alunos. A opção foi criar um home office em frente à cama, com uma bancada fechada e, em cima, uma minibiblioteca com livros e objetos trazidos de viagens. Que tal? A proposta é do arquiteto Rodrigo Kolton. Informações: (11) 3159- 1030.

No quarto, ao lado da cama

05141013homeofficedecoracao

Foto: Marcos Antonio/Divulgação

O arquiteto Marcelo Rosset dispôs uma mesa com gavetas embutidas, em laca branca, na parede ao lado da cama. O home office segue a decoração predominantemente neutra do restante do cômodo.

No quarto, atrás da cama

06141013homeofficedecoracao

Foto: Divulgação

O ponto alto deste quarto, projetado pelo escritório de arquitetura e design Prado Zogbi Tobar, é a bancada de trabalho instalada atrás da cama, que aproveita melhor o espaço. O home office fica reservado, no fundo do ambiente, junto à janela. Informações: (11) 3815-3843.

No quarto de visitas

07141013homeofficedecoracao

Foto: Divulgação

Até o quarto de hóspedes pode ter um home office. O único inconveniente, é claro, será no dia que alguém for dormir no local. O ambiente, idealizado pela arquiteta Ana Yoshida, conta com uma bancada branca em um canto. O painel de folha de madeira é um fundo falso para esconder a fiação, caso a moradora queira um dia colocar uma TV ali. As prateleiras e as gavetas ajudam na organização. Informações: (11) 3477-7326.

Na cozinha

08141013homeofficedecoracao

Foto: Lucas Possiede/Divulgação

Cozinha também não é um ambiente muito usual para abrigar um home office, devido a detalhes como gordura e cheiro de comida, mas é possível aproveitar uma cantinho dela. A proposta do arquiteto Luis Pedro Scalise agradou a moradora, que considera o cômodo o “coração” da casa. A mesa branca fica ao lado das prateleiras da mesma cor. Informações: (67) 3028-4977.

No corredor

09141013homeofficedecoracao

Foto: Marcos Antonio/Divulgação

Quando se precisa de uma bancada comprida para trabalho, que comporte duas pessoas, até o corredor pode se transformar em um escritório. No projeto do arquiteto Marcelo Rosset, o espaço de circulação que leva aos dormitórios recebeu uma estante, que conta com uma mesa para computador. Entre a mesa e os nichos, há um fundo laqueado na cor vinho, que dá destaque ao ambiente. Informações: (11) 3258-5905.

Com vista para varanda

10141013homeofficedecoracao

Foto: J. Vilhora/Divulgação

O escritório da foto tem um cômodo só para ele, mas o diferencial é a visão do painel verde da varanda. Essa integração deu charme ao ambiente, predominantemente branco. A proposta é da arquiteta Andréia Carla Médice. Informações: (11) 4083-8929.

Fonte: Vida e Estilo



Veja como escolher a bancada de cozinha

2 de setembro de 2016 | Por admin

Descubra alguns cuidados necessários e o material ideal

As bancadas de cozinha são cada vez mais buscadas para integrar os ambientes. No mercado existem os mais diferentes modelos e tamanho.

O balcão de cozinha é uma ótima opção para quem tem pouco espaço e quer deixar ele otimizado. Existem tantos modelos que fica difícil decidir qual bancada de cozinha escolher: é melhor a bancada de cozinha de granito? Ou é melhor optar por outro material?

De acordo com a arquiteta Lavínia Zanardo, os modelos de bancadas de cozinha mais utilizados atualmente é o Slim, que possui uma espessura de 2 cm e alinhada a marcenaria.

A bancada de cozinha pode ser uma ótima opção para ligar ambientes (Foto: Reprodução/Shutterstock)

Além disso, o ZAP em Casa reuniu algumas dicas que ajudam a decidir na hora de escolher a bancada de cozinha ideal:

Qual tipo de material adequado?

Segundo Lavínia, os materiais compostos de quartzo e resina são mais resistentes a riscos e manchas. Além disso, não são porosos como as rochas naturais (granito), e por conta disso diminuem a proliferação de bactérias. Uma outra vantagem é a garantia, que os materiais naturais não possuem.

Um dos materiais mais utilizados é o granito. Porém no mercado existem outros, como madeira, por exemplo (Foto: Reprodução/Shutterstock)

Como cuidar da bancada de cozinha?

De acordo com a arquiteta a manutenção é muito simples. A bancada de cozinha pode ser limpa com detergente neutro e água. Só não indicados produtos com ácido. Um ponto importante que deve ser levado em conta são as altas temperaturas. Segundo Lavínia não é indicado colocar panela quente diretamente no tampo.

A manutenção da bancada de cozinha é bem simples. Com detergente neutro e um pano já possível deixar o local limpo (Foto: Reprodução/Shutterstock)

Quais as vantagens da bancada de cozinha?

As bancadas são muito importantes em uma cozinha, pois são utilizadas como área de trabalho, seja para organizar as compras, limpar ou preparar um alimento, seja para lavar a louça ou até para fazer pequenas refeições.

As bancadas de cozinha ficam ótimas em ambientes pequenos e podem ser utilizadas para as mais diversas funções (Foto: Reprodução/Shutterstock)

Fonte: Zap Imóveis



Saiba qual o melhor tipo de espelho para o banheiro

31 de agosto de 2016 | Por admin

Arquiteta explica também qual é a melhor altura para fixar a peça

Fonte: ZAP em Casa

O espelho é uma peça muito importante na decoração da casa, mas no banheiro ele é ainda mais importante. É para ele que vamos olhar diariamente todas as manhãs! Além disso, ele amplia o espaço e valoriza o ambiente. Por isso, essa peça merece atenção na hora da escolha.

Segundo a arquiteta Vanessa Pasqual, do escritório Vp arquitetura, o melhor formato de espelho para banheiro é o retangular, mas o tamanho do banheiro influencia a escolha do tamanho da peça. A arquiteta explica que a altura ideal para fixar a peça deve seguir um padrão.

O espelho amplia o espaço e valoriza o ambiente (Foto: Shutterstock)

“A base do espelho deve ficar logo acima do frontão da pedra, ou seja, a base do espelho deve ficar a 1,00m do chão”. Outra alternativa é usar espelhos de corpo inteiro fixados na parede.

A arquiteta acredita que, normalmente, os espelhos compõem melhor com alguma coisa em volta, mas isso vai de acordo com a proposta que está sendo criada.

O melhor formato de espelho para banheiro é o retangular, mas o tamanho do banheiro influencia a escolha do tamanho da peça (Foto: Shutterstock)

Vanessa diz que existem numerosos modelos de espelhos para banheiros. “Podemos fazer espelhos em formatos variados, geométricos, sobrepostos, em formato de flores, animais, mandalas, de acordo com o ambiente em que iremos colocá-lo e a proposta de projeto!”, comenta.

O importante é a peça imprimir personalidade ao ambiente e, claro, satisfazer a sua intenção para o espaço!

Fonte: Zap Imóveis



10 Dicas para Organizar Finanças Pessoais

26 de agosto de 2016 | Por nwmidia

dicas para organizar finanças pessoais

A organização das finanças pessoais representa um ponto fundamental na vida de todos nós. Dificuldades financeiras afetam diretamente o aspecto emocional e a produtividade no trabalho, além de acarretar instabilidade no ambiente familiar. Muitos acreditam que basta ter dinheiro para que todos os problemas se resolvam. Na verdade, isso é consequência, não causa.

Ao contrário do que pode parecer, a estabilidade financeira depende de ações relativamente simples –  basicamente de planejamento e disciplina. Organizar as finanças representa o primeiro passo em direção à concretização de sonhos e projetos. A partir de iniciativas implementadas no dia-a-dia, qualquer pessoa pode obter equilíbrio financeiro e se transformar, em uma segunda etapa, em investidor. Eis algumas dicas:

1 – Dia do orçamento

Reserve um dia no mês para organizar a sua vida financeira. Monte uma planilha com despesas fixas, dívidas, pagamentos, gastos eventuais. Insira também todas as suas receitas, tais como salário, recebimento de aluguéis, ganhos eventuais etc. Monte seu orçamento mensal, adequando os gastos às receitas. O ideal é que sempre haja sobra de 10% a 20%.

2 – Defina prioridades

Caso o orçamento esteja em desequilíbrio – gastos maiores que as receitas –, o caminho é reduzir imediatamente as despesas. Defina prioridades e elimine o que não é essencial. Esse período de ajuste requer disciplina. Lembre-se que ele é necessário, porém transitório. Idas ao restaurante, passeios, viagens ou compras supérfluas podem esperar até que o equilíbrio financeiro seja retomado.

3 – Aprenda a usar o dinheiro

A maioria das pessoas se preocupa em aprender como ganhar dinheiro, mas não como usá-lo. Existe uma grande diferença entre as duas situações. Todos conhecem histórias de empresários que acumularam fortunas, mas que terminaram falidos. Nada melhor que aprender com os erros dos outros. Leia, estude, busque informação sobre finanças. Há diversos livros, revistas, jornais e sites que traduzem o “economês” para a linguagem do dia-a-dia.

4 – Estabeleça objetivos financeiros

Determine um valor, um prazo e um objetivo financeiro a ser atingido. Organize-se de forma a criar as condições para que a meta seja cumprida. Exemplo: comprar um carro no valor de R$ 30 mil, dentro de dois anos. Analise seu orçamento e veja como reorganizá-lo de forma a adquirir o automóvel no prazo estabelecido.

5 – Poupar sempre

Não há organização das finanças pessoais sem poupança. É a reserva de capital que permite que a pessoa enfrente situações emergenciais ou crises sazonais. Encare como compromisso a tarefa de guardar de 10% a 20% de sua receita mensal.

6 – Aprenda a investir

A partir de um determinado nível de organização das finanças, a pessoa dispõe de recursos para investimento. As contas estão em dia, não há dívidas pendentes e a meta de gastar menos do que ganha virou lei. Chegou a hora de fazer o dinheiro trabalhar para você. Busque investimentos de acordo com o seu perfil. Para isso, solicite a ajuda do seu gerente do banco, conte com o auxílio empresas especializadas em prestar esse tipo de assessoria ou se capacite para assumir a tarefa de cuidar dos próprios investimentos.

7 – Limite ao máximo o endividamento

Sempre que possível, opte por compras à vista. Controle a ânsia de consumo, junte recursos e adquira o produto ou serviço pagando de uma só vez. Isso aumenta o poder de barganha na hora da compra, permitindo descontos e outras vantagens (brindes, pontos extras em programas de fidelização etc). Use o financiamento apenas para situações específicas, como a compra de um imóvel.

8 – Fuja do crédito fácil (e caro)

Linhas de crédito como a do cheque especial e a dos cartões representam graves ameaças para qualquer planejamento financeiro. As taxas de juros são maiores e a pessoa é seduzida pela facilidade em contrair a dívida. Lembre-se que dinheiro fácil custa muito mais caro.

9 – Use a portabilidade

Quem tem contrato de financiamento ou empréstimo pode aproveitar as vantagens da portabilidade. Com ela, o devedor tem sua dívida “comprada” por outra instituição financeira, que lhe oferece condições de pagamento mais favoráveis. A pessoa troca a dívida cara por uma mais barata.

10 – Disciplina, antes de tudo

Nenhuma das dicas anteriores funcionará, se a pessoa não tiver disciplina para organizar as suas finanças. Seguir o planejamento traçado é fundamental. As tentações do consumo surgem a todo instante e é preciso se manter permanentemente focado no objetivo financeiro.

Comece agora mesmo a organizar as finanças pessoais. Com essas dicas, a tarefa será menos complicada!

FONTE: http://www.coachfinanceiro.com/dez-dicas-para-organizar-financas-pessoais/



DIFERENÇAS ENTRE PISOS DE MADEIRA

24 de agosto de 2016 | Por nwmidia

Os pisos de madeira nunca saem de moda. Eles são aconchegantes e bem parecidos esteticamente, mas possuem grande diferença em sua composição e durabilidade. Por isso, é importante ficar atento para não comprar o modelo errado.

Piso natural de madeira

cemara3333

Os carpetes são pisos compostos de uma lâmina de madeira natural colada e prensada à base de madeira processada

  • Os pisos de madeira natural são feitos a partir de ripas de madeira natural parafusadas (tábuas e assoalhos) no contrapiso ou fixadas com colas asfálticas;
  • Vantagem: São de alta resistência, duram muito e trazem beleza ao ambiente;
  • Desvantagem: Riscam fácil, possui alto custo, maior tempo de instalação e não são recomendados para casas com animais de estimação.

Piso laminado

cemara2222

  • Os laminados são revestimentos que podem ser utilizados no piso ou na parede e sua composição varia conforme o fabricante;
  • São compostos de quatro camadas e as principais podem variar de HDF e HPP;
  • Por ser fabricado em alta tecnologia, possui ótimo encaixe e boa aparência.
  • Vantagem: sua durabilidade é maior do que a dos carpetes de madeira por causa de seu acabamento, que possui um processo chamado overlay, mais durável que o verniz utilizado no carpete de madeira. Porém, ambos possuem menor durabilidade do que a do piso de madeira tratado com sinteco;
  • Desvantagem: a quedas de objetos pode lascar o piso, faz muito barulho ao caminhar e não são adequados para bichos de estimação.

Carpete de madeira

cemara1111

  • Carpetes de madeira são compostos de uma lâmina de madeira natural, colada e prensada a uma base de madeira processada, como compensado, aglomerado, MDF ou similares;
  • Vantagens: são desenvolvidos por meio de alta tecnologia em sua fabricação, fazendo com que tenham um ótimo encaixe e boa aparência;
  • Possui menor durabilidade do que a do piso de madeira tratado com sinteco;
  • Desvantagem: a quedas de objetos pode lascar o piso, faz muito barulho ao caminhar e não são adequados para casas com bichos de estimação.

Custo x benefício

Entre os três pisos, o mais econômico é o laminado e o mais caro é o piso de madeira natural. O usuário deve pensar se quer um piso com aparência de madeira e preço acessível ou se prefere um piso de madeira maciça com alta durabilidade, mas com alto preço.

Ambientes

Os pisos de madeira podem ser utilizados em vários ambientes, mas devemos lembrar que o contato com o sol ou água pode deformá-los e estragá-los.

Fonte: http://bbel.uol.com.br/decoracao/post/elementos/revestimento/diferencas-entre-pisos-de-madeira



Orçamento da família

19 de agosto de 2016 | Por admin

Algumas empresas costumam agir da seguinte maneira: abrem a planilha de despesas e receitas para os funcionários entenderem qual é a realidade financeira dela. Que tal fazer isso em casa?

Você pode chamar os filhos e “abrir a sua planilha”, mostrando qual é a renda de vocês e apontando todos os gastos, desde a mensalidade da escola até o lanche em um passeio. Assim, fica mais fácil para seu filho entender que o dinheiro tem uma fonte, é limitado e que os gastos precisam ter limite, não dá para comprar tudo o que eles querem. A definição de um orçamento da família, com a previsão de receitas e despesas, é um bom exercício para todos.

E não tenha medo de falar abertamente: se você não tem condições de comprar para os filhos os produtos da moda, converse e mostre a realidade. Hoje em dia, existem muitos produtos similares que podem ser adquiridos, caso seja essa uma prioridade.

Fique atento: Planejar o orçamento doméstico é uma atitude muito importante. É necessário definir prioridades, estabelecer metas e fazer escolhas. É uma ação que pode envolver toda a família. Aprender a controlar receitas e despesas ajuda a construir as bases para uma vida financeira saudável, com bem-estar e equilíbrio. Sem planejamento, você e sua família podem enfrentar muitos problemas. Saiba como na sessão “Estou em dia/ Minhas contas“.

Planejamento em conjunto

Planejamento em conjunto

É saudável chamar os filhos para participarem do planejamento financeiro da família. Um bom começo é utilizar as contas do dia a dia – água, luz, telefone, gás, compras do supermercado, lazer etc. – e mostrar que vocês podem economizar para realizar um sonho, como a viagem de férias à praia.

Primeiro, mostre quanto você gasta em cada conta mensal. Em seguida, explique que a viagem terá um custo extra para a família e que será necessário diminuir alguns gastos e priorizar outros. Será necessário, portanto, fazer um planejamento para que a viagem de férias seja possível.

Pergunte o que cada um pode fazer, no dia a dia, para ajudar a tornar real esse sonho da família – é possível economizar cortando gastos, como água, luz, lazer, compras desnecessárias. Veja mais na seção “Ações do dia a dia”.

Limites necessários

Desenvolver com a família um modelo de educação financeira não significa que você vai se tornar um “controlador dos desejos” de todos. Esse processo pode ocorrer de modo tranquilo, com objetivos definidos, metas, diálogo bem aberto, chamando o adolescente para uma atitude de autonomia e responsabilidade, sem cair no sermão e no discurso fácil.

Não há receita pronta, mas há condutas e orientações que você pode adotar para levar seu filho a ter uma relação saudável com o dinheiro.

Você não é cruel por tentar frear o ímpeto consumista do seu filho. Ele não vai ficar traumatizado se não puder ter o último modelo de celular.

Veja o que diz a filósofa Tania Zagury sobre alguns direitos dos pais:

– Fundamente e defina, de preferência sempre através de um diálogo franco e direto, normas e regras de conduta que regerão o dia a dia da família. Se, no entanto, o diálogo não funcionar, cabe aos pais a palavra final sobre qualquer tema, até que os filhos se tornem independentes do ponto de vista físico, emocional e financeiro.

– Proíba comportamentos, atitudes e até alguns tipos de roupas que coloquem em risco a segurança e a dignidade dos filhos. Podem também cortar algumas regalias, como a mesada, por exemplo, se perceberem uso indevido.

– Freie o apetite consumista dos filhos, através de conversas e/ou atos. Uma coisa é comprar um tênis ou uma jaqueta por necessidade; outra bem diferente é aceitar exigências quanto a marcas e grifes por capricho ou influências da sociedade de consumo.

Fonte: Meu Bolso Feliz



8 DICAS DE DECORAÇÃO PARA QUARTOS PEQUENOS

17 de agosto de 2016 | Por admin

Olá, amigas e amigos! Hoje eu trouxe oito dicas de decoração para quartos pequenos. Algumas são mais comuns, outras são bem diferentes do que estamos acostumados a encontrar. Vejam quantas ideias bacanas!

12

Designed by Fitzhugh Karol and Lyndsay Caleo/housebeaultiful.com

Designed by Krista Ewart/housebeaultiful.com

1 – Escolha móveis que aproveitem espaço livre para organização, por exemplo uma cama com gavetões.

2 – Planeje divisórias inteligentes, como na imagem da esquerda. Dessa forma é possível criar dois ambientes num espaço mínimo.

3 – Use móveis retráteis ou que se encaixem em outros quando não estiverem sendo usados, como esse jogo de cabeceiras na foto da direita.

3 4

Designed by Erin Martin/housebeaultiful.com

housebeaultiful.com

4 – Aposte no uso de espelhos, que dão a sensação de espaço ampliado. Nem precisa ser na parede, pode ser na porta dos armários, como no ambiente da esquerda.

5 – Opte por uma cabeceira suspensa na parede e uma cama box, em vez de uma cama com cabeceira embutida, que ocupa mais espaço.

5 6

Designed by David Kaihoi

housebeaultiful.com

6 – Decore com padrões que distraiam os sentidos, tirando o foco do tamanho do quarto. Foi o que fez o designer David Kaihoi com esse papel de parede chinês antigo reutilizado. A ideia foi criar um efeito de caixinha de joias no quarto. #conceitochique

7 8

Designed by Kerry Delrose/housebeaultiful.com

Designed by Moises Esquenazi’s/housebeaultiful.com

7 – Brinque com escalas e ilusão de ótica. Segundo o designer Kerry Delrose, adotar um móvel grande, como essa cama com dossel, pode fazer com que o quarto pareça espaçoso, pois nele coube o tal móvel. Inusitada essa dica né?

8 – Torne o ambiente aconchegante. Se você gosta de cores fortes ou mesmo escuras nas paredes, vá fundo. Geralmente os especialistas indicam cores claras e decoração clean para ambientes pequenos, mas o designer Moises Esquenazi também aposta em cores escuras, além de tapetes e cortinas marcantes, pensando em deixar o quarto aconchegante. Para Esquenazi, não é um problema assumir que o quarto é pequeno.

Hum… mais uma dica diferente do que estamos acostumados a ouvir. O que vocês acham? Deixem seus comentários!

Beijocas estaladas!

Fonte: House Beaultiful



TIPOS DE LÂMPADA PARA CADA AMBIENTE

9 de agosto de 2016 | Por admin

Fluorescentes

Lâmpadas fluorescentes

Divulgação LabLuz

Lâmpadas fluorescentes

Divulgação LabLuz

São as lâmpadas ideias para quem deseja unir qualidade à economia, pois consomem baixa energia comparada às incandescentes e halógenas, economizando até 80%.

Modelos

  • Tubulares: Lâmpadas que produzem luz pela passagem da corrente elétrica através de um gás ou vapor contido em seu interior, disponibilizadas em formato tubular. Destacam-se pela longa vida útil e altas potências e não esquenta proporcionando uma iluminação mais intensa e uniforme.
  • Compactas: Esse formato de lâmpada possui um reator integrado com dimensões reduzidas e, em sua maioria, é desenvolvido em forma de espiral ou tubular de 2 ou 3 voltas para facilitar o uso. Sua aplicação é muito comum em residências por sua praticidade, alta taxa de economia, que pode chegar a até 80%, e longa vida útil.

Vida útil

8000h

Temperatura de cor

Geralmente é branca, mas existem modelos amarelados – 3000 K (tubulares) e 6500 K (compactas).

Ambientes mais usados

Este tipo de lâmpada é indicado para abajures, luminárias, lustres, miniarandelas, além de ambientes residênciais e comerciais, como cozinhas, banheiros, escritórios, garagens, armazéns ou depósitos.

Incandescentes

Lâmpadas incandescentes

Divulgação LabLuz

É o tipo de luz mais comum. Suas vantagens são o baixo custo, boa reprodução de cores e não necessitam de equipamentos auxiliares. Mas, por dissiparem apenas 5% em luz e 95% em calor, consomem muita energia.

Os seus modelos estão em processo de banimento imposto pelo Governo Federal, com previsão para saída total até o final de 2016.

Temperatura de cor

Amarela – 2500 K

Vida útil

1000h

Ambientes mais usados

Utilizados em todos os ambientes no geral, com destaque para quartos, salas e locais que requerem uma iluminação mais dramática.

Halógenas

Lâmpadas Halógenas

Divulgação LabLuz/Philips/Gaya

As lâmpadas halógenas proporcionam uma iluminação difusa e brilhosa, além de possuírem o índice real de cor (IRC) de 100%. Por gastarem até 30% menos do que as lâmpadas incandescentes, possuem maior vida útil e eficiência energética.

Modelos

  • Palito (100w a 300w): conhecido como “lâmpada de duplo contato” por sua estrutura fina e a presença de duas bases, que conferem versatilidade de aplicações. Deve preferencialmente ser utilizada em posição horizontal.
  • PAR (20, 30 e 38w): Embutidas em um vidro que permite maior dispersão luminosa, as lâmpadas PAR possuem foco mais aberto e esquentam menos que os modelos AR.
  • Dicróica (20, 35 e 50w): Este modelo é utilizado quando se quer dar destaque a objetos ou a determinada área, pois possuem uma iluminação direta e focal.
  • AR (48, 70 E 111w): São lâmpadas de spot com foco fechado de 8 a 24 graus. Recomendadas para ambientes grandes, pela forma como esquentam e a amplitude da sua iluminação.

Temperatura de cor

Amarelada – 2.800 K a 3.100 K

Vida útil

1000 a 2000 h

Ambientes mais usados

Utilizados em todos os ambientes no geral, com destaque para quartos, salas e locais que requerem uma iluminação mais dramática.

LED

Lâmpadas LED

Divulgação LabLuz

É um componente eletrônico com a mesma tecnologia dos chips de computadores, pois transforma a energia elétrica em luz. Com as lâmpadas LED, praticamente 100% da energia é transformada em luminosidade, dessa forma, possui baixa emissão de calor.

Sua versatilidade decorativa permite inúmeras possibilidades de iluminação, podendo ser utilizadas como focos de luz.

Custo x Benefício

O investimento inicial das lâmpadas LED são superiores aos modelos incandescentes ou fluorescentes. No entanto, o consumidor terá um rápido retorno, uma vez que o baixo consumo de energia será refletido no valor da conta de luz.

Temperatura de cor

Há variedade de cores, mas a temperatura tradicional é 6.000 K em média.

Vida útil

25.000 horas (em média)

Ambientes mais utilizados

O LED é indicado para praticamente todos os tipos de projetos. Por possuir alta eficiência é indicado para locais que demandam grande gasto energético, como fábricas, shoppings centers e comércios em geral.

Néon

Lâmpadas Néon

Divulgação Nards

São lâmpadas de descarga em gás que contêm néon a baixa pressão. Apesar do nome, as luzes de néon nem sempre precisam conter neônio, outros gases nobres podem ser utilizados para dar tonalidades de cores diferentes, como o hélio, que resulta em uma luz amarela e branca, ou o argônio, que dá um tom azulado ou roxo.

Temperatura de cor

Difere-se das outras tecnologias com variedades de cores (à exceção do LED).

Vida útil

6000h.

Ambientes mais usados

Utilizado para iluminações decorativas, principalmente comerciais.

Fibra ótica

Lâmpadas de fibra ótica

FASA Fibra Ótica e Guido Iluminação & Design

É um filamento flexível e transparente utilizado como condutor elevado de luz. Este tipo de lâmpada é ideal para quem quer dar um efeito de céu estrelado. Seu sistema é capaz de gerar variados pontos de luz com uma única lâmpada, o que representa economia de energia.

Temperatura de cor

Está disponível em grande variedade de cores, mas um modelo tradicional é o de 5.000 K (azul).

Vida útil

Pode chegar a 100 mil horas.

Ambientes mais utilizados

Vitrines, contornos arquitetônicos, piscinas, fachadas e outros ambientes que demandam decoração específica com os efeitos característicos da fibra óptica.

Descarga

Lâmpadas de descaga

Divulgação LabLuz

É um dispositivo eletrônico que transforma energia elétrica em energia luminosa. Apresentam vida útil longa e uma economia de energia considerável.

Modelos

  • Vapor de mercúrio: Possui aparência branco-azulada e é utilizada na iluminação de ruas, jardins públicos, postos de gasolina e campos de futebol.
  • Vapor de sódio: Possui aparência alaranjada e é utilizada aeroportos ou estradas.
  • Mistas: Possui aparência branco-azulada e é a combinação das lâmpadas de mercúrio e incandescentes. Pode ser utilizada em jardins, armazéns, garagens, postos de gasolina e campos de futebol.

Vida útil

3.000 a 20.000 horas.

Temperatura de cor

Geralmente brancas, mas existem modelos amarelados.

Ambientes mais usados

Indicada para lugares onde objetos e produtos são expostos, como vitrines e interiores de grandes lojas, e onde o brilho e a vida longa são importantes, como fábricas, estádios e iluminação de ruas.

 

Fontes: O gerente de produtos da OSRAM, Marcos Santos; a arquiteta da LabLuz, Cristiane Veltri; e as empresas Lorenzetti, Telha Norte, Led Gold, e Gaya. (mais…)



Orçamento doméstico é primeiro passo para estabilidade financeira

20 de julho de 2016 | Por nwmidia

16162301

Em épocas de crise, otimizar os ganhos e ter controle sobre os gastos é ainda mais importante. Uma simples gestão dos recursos da casa pode colocar as contas em dia e trazer a tão sonhada estabilidade financeira.

Na prática, muitas pessoas não sabem efetivamente quanto ganham –depois dos descontos no salário, como INSS e Imposto de Renda, por exemplo– ou gastam por mês. Por isso, montar o orçamento doméstico é o primeiro passo de uma educação financeira que realmente altere o estilo de vida.

“Assim fica mais fácil tomar decisões, segurar o impulso pela compra e ainda nos ajuda a alcançar sonhos”, afirma Cíntia Senna, do Dsop, site de educação financeira.

A contabilidade doméstica deve seguir a receita de qualquer empresa, segundo especialistas: mensurar ganhos e despesas, estudar maneiras de otimizar custos e planejar objetivos, detalhando como conseguirá atingi-los.

Os planejadores financeiros ressaltam que a contabilidade mental é uma pegadinha, já que é praticamente impossível obter um controle dos gastos confiando apenas na memória. Cadernos, programas em computadores, como o excel, ou aplicativos no celular podem ajudar na tarefa.

“Coloque o valor que cai na sua conta-corrente por mês, o chamado ganho líquido. Se não souber, faça um levantamento e procure por uma média, que será sua base.”

O próximo passo é descobrir para onde o dinheiro vai. “Liste todos os gastos fixos, como escola, empregada, aluguel, condomínio. Reserve também 20% para os variáveis, como uma ida ao cinema ou uma necessidade não pensada anteriormente. Com isso, terá um relato aproximado de quanto gastará por mês”, diz Márcio Gabrielli, professor da FGV.

O empresário Fernando Bardusco, 24, começou a fazer um orçamento há um ano e meio, quando percebeu que gastava muito, sem saber como. “Isso me ajuda a mapear onde estou gastando mais e a analisar como posso economizar.” E vale ressaltar que, para ter êxito, isso deve ser feito todos os meses.

Fonte> http://temas.folha.uol.com.br/contas-de-casa/seu-bolso/orcamento-domestico-e-primeiro-passo-para-estabilidade-financeira.shtml



5 dicas para vender itens de mobília e decoração online

15 de julho de 2016 | Por admin
Móveis
Móveis: o Sebrae preparou cinco dicas para quem já possui ou pretende abrir um e-commerce de móveis e artigos para casaGizella Rodrigues, daAgência Sebrae de Notícias
Brasília – Casa e Decoração é o segundo principal segmento de atuação dos empresários virtuais, de acordo com a 2ª Pesquisa do Varejo Online, realizada pelo Sebrae em parceria com o E-commerce Brasil.

A ampla variedade de produtos – alguns com muito peso e volume (móveis e eletrodomésticos) e outros frágeis e delicados (peças de decoração) – , a necessidade de montagem e de assistência técnica, o armazenamento e a distribuição são desafios para os empreendedores que planejam investir no ramo.

Por isso, o Sebrae preparou cinco dicas para quem já possui ou pretende abrir ume-commerce de móveis e artigos para casa. A cartilha fala sobre o cenário do comércio eletrônico no segmento de casa e decoração, os principais desafios, as boas práticas, além da legislação e da tributação.

O material também procura responder, de forma clara e objetiva, como amenizar trocas e devoluções, como facilitar para o consumidor o processo de montagem de móveis, e como proceder nos casos em que os produtos demandam assistência técnica.

“Com base nos termos pesquisados no Google é possível identificar onde está a maior demanda dos consumidores brasileiros nesse segmento. Entre janeiro e julho de 2015, os termos mais pesquisados foram cozinha, cama, ar-condicionado, decoração, geladeira, banheiro”, afirma a coordenadora nacional de Comércio Eletrônico do Sebrae, Hyrla Marianna Oliveira.

“Mesmo que a maior parte das buscas não tenha sido concluída com pedidos, esse dado revela o quanto a internet está incorporada ao processo de compra dos brasileiros, nem que seja para verificar as características de produtos ou fazer comparação de preços”, ressalta.

Abaixo, as cinco principais dicas da cartilha:

Arrepender-se é um direito do consumidor

O direito à devolução por arrependimento e/ou desistência vale para todos os produtos adquiridos on line. O prazo é de até sete dias corridos, contados a partir da data do recebimento. No caso da indústria moveleira, o comum é substituir apenas a peça defeituosa do móvel, e não todo o conjunto. Por exemplo, substituir uma gaveta ao invés do móvel inteiro.

Para a devolução de produtos delicados, como alguns itens de decoração, é importante deixar claro como deve ser o procedimento de embalagem e envio da peça para que ela não sofra danos no caso de arrependimento de compra ou não tenha a avaria aumentada nas peças devolvidas por possuírem algum defeito.

Evite trocas e devoluções

As trocas e devoluções podem ser amenizadas com a adoção de algumas práticas e cuidados, como: fotografias de qualidade, em alta resolução e com fundo branco, capazes de destacar tanto o produto quanto as suas características. Descreva detalhadamente cada item (composição, quantidade/volume etc). Bater foto do produto com uma pessoa no ambiente também é uma boa estratégia para criar desejo e dar referência de como é o produto, qual o tamanho.

Peças delicadas devem ser embaladas de modo que não sofram avarias durante o transporte. No caso dos produtos que são entregues desmontados, deixe essa informação clara desde o princípio do processo de compra. Também deixe nítida a informação de que a montagem é de responsabilidade do cliente, quando for o caso.

Facilite a montagem

Envie juntamente com o produto um manual detalhando como o consumidor deve realizar a montagem. Seja em tutoriais ou em manuais, lembre que, na maioria das vezes, quem vai montar o produto é o próprio cliente. Nesse contexto, cada etapa, por mais simples e óbvia que possa parecer, deve ser detalhadamente explicada. Se for o caso, informe aos consumidores os fornecedores indicados ou uma lista de sites especializados em montadores de móveis.

No Brasil, existem sites especializados que reúnem e oferecem os serviços desses profissionais estratégicos para a cadeia da indústria moveleira. Em geral, eles catalogam montadores de várias regiões, já divididos por cidade, o que facilita o processo de busca para o consumidor final.

Pode sugerir aos compradores que entrem em contato com as lojas físicas, quando elas existirem, para solicitar a indicação de montadores na região. Nesses casos, é interessante que informações como telefone e/ou endereço das lojas físicas sejam disponibilizados de forma fácil e rápida aos usuários.

Atenção ao armazenamento e à distribuição

As áreas de armazenamento devem ser projetadas ou adaptadas para assegurar as condições ideais de estocagem. No caso de móveis, por exemplo, é preciso ter espaço amplo. Já algumas peças de decoração, como quadros, demandam armazenamento em locais com temperatura e humidade controlados. O envio de produtos com grandes volumes geralmente é feito por meio de transportadoras.

O ideal é pesquisar as que oferecem serviços de qualidade e fechar parceria com alguma delas. Lembre-se: danos no produto provocados durante o transporte podem comprometer a credibilidade e o relacionamento entre o consumidor e a loja virtual.

Dê informações sobre a assistência técnica

Um dos principais desafios logísticos relacionados com a venda de móveis e eletrodomésticos pela internet é o oferecimento do serviço de assistência técnica dos produtos. Disponibilize as informações de assistência técnica na loja virtual e oriente o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) para tirar possíveis dúvidas, além do recebimento de reclamações e elogios.

É uma boa prática investir na capacitação de técnicos locais que atuam de forma autônoma ou em assistências multimarcas. Isso é importante para que eles conheçam bem e saibam trabalhar com os produtos da marca.

Além disso, é uma maneira de oferecer um atendimento de qualidade para o cliente, já que a indústria não consegue estar presente fisicamente em todos os municípios brasileiros para oferecer essa assistência.

Fonte: Exame Abril 



Como comprar e não se arrepender depois

8 de julho de 2016 | Por admin

5 passos para você seguir antes de comprar, economizar e aproveitar a sua aquisição

 Controle financeiro pessoal 

Como comprar e não se arrepender depois?

Você já comprou um produto e depois se arrependeu? Já encontrou no dia seguinte o mesmíssimo artigo por um preço menor? É uma sensação horrível não é?

Quando contamos isto pros amigos eles vêm com o velho clichê “Pesquise antes de comprar”. Mas acontece que fazer pesquisa não é uma atividade muito simples e raramente encontramos instruções, técnicas para realizar esta atividade tão importante nestes tempos de dinheiro curto. Os lojistas também costumam complicar a tarefa oferecendo dezenas de opções de pagamento, com taxas de juros variadas, o que normalmente confunde o consumidor.

Para não se arrepender depois e para garantir que sua pesquisa de preços seja eficaz, tome nota de alguns conselhos úteis:

1º. Pesquise mesmo! A pesquisa de preços é fator de grande economia. Estudo realizado em São Paulo mostrou uma variação de 63% nos preços dos eletrodomésticos à venda nas lojas da cidade. Eu tenho certeza de que comprar qualquer coisa 60% mais barato é um excelente negócio. O que você acha?

2º. Escolha com antecedência a marca e modelo do bem que você quer adquirir. Como você deve saber existem mil preços de geladeira. Você precisa mencionar algo mais específico, como por exemplo: Refrigerador Pólo Norte, modelo Esquimó 3, de 260 litros. Não adianta comparar a geladeirinha Slim com a Duplex que faz gelo instantâneo, concorda?

3º. Exija apenas duas modalidades de preço: à vista e no prazo que você pretende pagar. Por exemplo: peça ao vendedor de todas as lojas para calcular como ficaria o preço à vista no caso de financiar em 12 pagamentos. Pedindo o mesmo prazo de pagamento em todas as lojas que pesquisar, o menor valor de prestação será o menor preço. Independente de qualquer detalhe técnico-financeiro, taxa de juros ou mal humor do gerente.

4º. Use a Internet e o telefone. Economize a famosa sola de sapato pesquisando pelo menos 7 lojas sem sair de casa. Mesmo que você não queira comprar pela internet, use-a para pesquisa de preços. Esta dica é especialmente útil para quem não gosta do assédio de vendedores.

5º. Faça da compra um evento. Envolva a família toda. Fale de matemática com os filhos pequenos, de economia com os adolescentes, discuta as opções com o maridão ou a esposa. Comprar significa desfazer-se de recursos que foram ganhos com muito suor. Será que na sua casa todo mundo sabe disto?

Eu chamo esta atividade de ritual de compra: avise a todos a intenção de comprar o bem, peça a opinião de cada um sobre a necessidade ou não da compra, discuta qual o modelo que se encaixa no gosto e no bolso da família, pesquise os preços e só então compre. Isto vai diminuir bastante as chances de comprar um bem pelo preço mais caro e se arrepender depois.
Agora, se você quiser fazer tudo isto sem um pingo de trabalho, peça para o seu filho adolescente fazer a pesquisa e prometa repassar em dinheiro pra ele, a diferença entre o maior e o menor preço encontrado.

Garanto que ele vai pesquisar até na China comunista.

Fonte – Organize sua Vida



COMO ESCOLHER TAPETES

1 de julho de 2016 | Por admin

Além de decorar, o tapete dá conforto, divide ambiente, aquece pisos frios e deixa o espaço mais acolhedor e aconchegante. Na hora de escolher a melhor opção para os ambientes da sua casa leve em consideração algumas dicas.

Tapete para sala de estar

Sala de estar

Shutterstock/MR.INTERIOR

  • Para delimitar um espaço coloque um tapete grande para que todos os móveis do living fiquem sobre o tapete;
  • O tapete deve ser disposto no centro da sala;
  • Meça o rack e o sofá. A largura do tapete deve ser, no mínimo, a mesma que a dos dois móveis;
  • Normalmente, o tapete avança, no máximo, até a metade da profundidade do sofá e deixa-se uma sobra de, pelo menos, 30 cm para fora nas laterais;
  • Os tapetes podem encostar ou não na parede. Caso você opte pelo recuo, deixe uma distância de 5 a 10 cm;
  • Mesas de centro e poltronas devem ser acomodadas no tapete;
  • Se for usado com muita frequência, é recomendado tapete com pelo mais baixo. Se for mais uma área de descanso, prefira os mais fofos;
  • Tapetes nobres, com texturas e cores variadas (de acordo com a decoração), e de forma retangular ficam bem nesse ambiente.

Tapete na sala de jantar

Sala de jantar

Rogério Maranhão

Use tapetes de fibras de náilon, pois são antialérgicos, resistentes ao amassamento e possuem fácil manutenção.
—- Érica Salguero, arquiteta
  • Considere um espaço de sobra em volta da mesa para não enganchar o pé da cadeira ao levantar ou sentar à mesa, que deve ser no mínimo de 80 cm para cada lado, contando a partir do tampo da mesa;
  • Preferencialmente, os tapetes devem ter pelo baixo, tons mais escuros, ser resistentes e de fácil manutenção;
  • Em geral, os retangulares são mais usados.

Tapete no quarto

quarto

Alexandre Rielo

Tapetes com pelo médio ou longo, com densidade mais alta (como shaggy) ou de matéria-prima de toque suave (como seda, lã ou viscose) são bem-vindos, pois dão maior conforto. Cores neutras também são indicadas.

Eles podem ser usados de diversas maneiras:

  • Por baixo da cama, com sobra ao redor de 50 centímetros.
  • Tapetes pequenos nos três lados da cama (laterais e pé da cama).
  • Passadeiras nas laterais da cama.
  • Tapete ou passadeira nos pés da cama.

Tapetes na cozinha e banheiro

banheiro

Shutterstock/Tom Baker

Para ambos os cômodos, os ideais são os de pelo baixo, de alta durabilidade, que secam rápido e de fácil manutenção, pois tendem a molhar ou sujar com frequência.

Tapetes em ambientes integrados

Sala integrada

Adriana Barbosa

  • Use, em pelo menos um dos tapetes, cores ou texturas neutras.
  • Se a opção for por dois tapetes básicos resultará em uma decoração mais clean.
  • Use tapetes com tons, desenhos ou materiais parecidos.

Material, cor e estampa

decoração clássica

Shutterstock/Iriana Shiyan

  • Quanto ao material e textura do tapete, há mais influência dos móveis já existentes se for uma área externa.
  • Em ambientes com muitas estampas ou carregados de móveis e objetos, deve-se optar por tapetes mais lisos, de cores únicas, geométricos ou com nuances.
  • Ambientes sóbrios, amplos e mais vazios pedem tapetes mais elaborados, com mais detalhes e coloridos. Tapetes com medalhões, como os persas, por exemplo, ficam ótimos em passagens e em grandes salas.
  • Estampas podem ser mescladas, desde que elas estejam dentro do mesmo tom e sejam dosadas com móveis de cores mais neutras.
  • Tapetes lisos, com desenhos de cor única, com textura uniforme ou de cor clara ampliam visualmente o ambiente.
  • Os de cores e estampas mais escuras dão a sensação de diminuição do espaço, mas também podem dar mais aconchego a um local grandioso. Se o tapete escuro for ambientado em um espaço claro e amplo, não há problema.

Estilos de decoração

Listras e tons neutros são boas opções para quem gosta do estilo contemporâneo.
Desenho oriental, patchwork, entre outros, ficam bem no estilo clássico.
Os lúdicos e coloridos são mais usados na decoração retrô. Mas, é claro que você pode misturar estilos, desde que mantenha a harmonia no ambiente. Boa sorte!



DICAS PARA MONTAR UM CANTINHO DE ESTUDOS FUNCIONAL E ATRATIVO

27 de maio de 2016 | Por admin
Quarto com cantinho de estudo

Marcelo Stammer / Projeto: Cristiane Costa Maciel e Sony Luczyszyn

Estimular a criatividade, o hábito de estudar e melhorar o desempenho escolar são algumas vantagens de ter um cantinho de estudos em casa. Mas atenção: a desordem e a bagunça podem influenciar negativamente na capacidade de aprendizado, por isso é sempre importante manter o espaço organizado.

Confira algumas dicas de como preparar uma área funcional e bem atrativa.

Cantinho de estudos no quarto

Quarto com cantinho de estudo

Osvaldo Castro

Nem sempre tem um cômodo inteiro disponível para projetar um cantinho de estudos, mas vale utilizar um espacinho em outro ambiente, como o quarto. Neste caso, o ideal é setorizar os espaços quando a realidade arquitetônica do cômodo permitir, por exemplo, separar a área de descanso, área de brincar e área de estudar.

Dica esperta

Uma maneira de demarcar os ambientes é usar papel de parede. Além de fácil aplicação e custo/ benefício acessível, o revestimento ajuda a delimitar os espaços de forma harmônica, além de agregar mais charme à decoração.

Iluminação

Cantinho de estudo

Douglas Daniel/ Projeto: Andréia Gonzaga

  • É importante que seja um espaço iluminado e arejado;
  • A luz natural deve ser aproveitada. Então, posicionar a bancada embaixo ou ao lado da janela é o ideal;
  • A luz artificial pode suprir bem as necessidades da prática de leitura e escrita. O uso de luminárias de pé ou de mesa direcionadas na bancada resolvem esta questão.

A escolha dos móveis

Cantinho de estudos

J.Vilhora / Projeto: Evelin Sayar

Para o cantinho de estudos se tornar uma fonte de inspiração, uma boa ideia é caprichar no estilo e diversificar tanto nos móveis quanto nos itens. Vale tudo: uma escrivaninha com toque vintage, um gaveteiro bem colorido, uma luminária moderninha e, até, um papel de parede criativo.

  • Seja no quarto ou num outro cômodo da casa, a área de estudos deve ser planejada considerando o conforto. Por isso, os móveis devem ser ergonômicos, ou seja, planejados para a estatura de cada pessoa;
  • A começar pela bancada: O móvel deve ter no máximo 50 cm de altura para crianças até 10 anos e, depois disso, 78 cm. Sendo assim, a peça já pode ser projetada com regulagem de altura para atender essa mudança futura;
  • A profundidade sugerida para a bancada é de 60 cm e a largura de 1 m;
  • Móveis planejados são indicados, pois aproveitam ao máximo o ambiente disponível;
  • Mesmo em espaços que serão usados por crianças, a dica é planejar móveis não tão baixos, porque elas crescem rápido. As cadeiras com opções de regulagem são indicadas para longos períodos de uso.

Cores

Cantinho de estudos

Divulgação/ Projeto: Barbara Purchio

  • Não existe uma regra sobre quais cores usar, mas é melhor evitar os tons de cinza, preto, vermelho e roxo, pois costumam tirar o foco;
  • A dica é segmentar um pequeno espaço com cor. Para quem precisa montar um home office ou ambiente de estudo em casa, mas não tem um cômodo sobrando, esta é uma excelente alternativa;
  • O home office ou cantinho de estudos pode ser criado em uma pequena parcela da parede da sala ou do quarto, delimitada por uma cor de destaque na largura da mesa de trabalho, que pode ser simplesmente uma prateleira na parede.

Organização do cantinho de estudos

Cantinho de estudos

Divulgação/ Projeto: Guardini Stancati

  • Nichos e gavetas são essenciais para organizar e guardar os materiais;
  • Escolha móvel versáteis, com gavetas e prateleiras em diferentes tamanhos para usar e abusar na hora de organizar o espaço;
  • Uma coisa que não funciona é poluir o espaço com muitos itens, principalmente em cima da bancada. Quanto menos coisas para desviar a atenção, melhor.

Fontes: Suvinil; Mobly; Rocha Andrade Arquitetura & Interiores; Fabiana Visacro, designer de interiores; Michele Salvador, proprietária da loja Objeto Design; Maria Cristina Bahia, proprietária da loja Villa Maria; e Bruno Garcia Athayde, arquiteto da Simonetto.



COMO APROVEITAR UMA PAREDE PEQUENA NA DECORAÇÃO

17 de maio de 2016 | Por admin

Olá, pessoal! Hoje eu trouxe ideias criativas de como aproveitar uma parede pequena para decorar ou organizar um ambiente. Por menor que seja, ela pode fazer a diferença. Inspirem-se!

Aplicar cor ou textura ajuda a destacá-la

alvhemmakleri.se via Apartment Therapy

Aplicar cor ou textura ajuda a destacá-la

stephaniewhite.style

Várias ideias em duas imagens: pintar a parede de uma cor marcante ou aplicar uma textura ou revestimento diferente, e usá-la para pendurar alguns quadros ou até fazer uma galeria compacta. Na parede pequena também dá para encostar um pequeno móvel, como no ambiente da esquerda.

Revestir com material de lousa para recados

Andie Powers/ Apartment Therapy

Revestir com material de lousa para recados

Marco Ricca/Apartment Therapy

Uma ideia legal é revestir a parede com material de lousa para recados (ideal para cozinhas e home offices) ou desenhos (especialmente para quartos infantis). Existem tintas especiais que permitem escrita com giz, imitando o revestimento de lousa. #ficaadica

Faça um jardim vertical

husohem.se via Apartment Therapy

Faça um jardim vertical

Tinus Archuletta/egiserve.com

Um jardim vertical só precisa de uma parede pequena para decorar um ambiente, como mostra a foto da esquerda. Outra opção é revestir a parede com espelho. Fica chique e aumenta a sensação de espaço.

Aproveite o espaço com uma estante para livros e outros objetos

myhomeideas.com

Aproveite o espaço com uma estante para livros e outros objetos

hgtv.com

Mesmo que a parede seja minúscula, como no ambiente da esquerda, dá para aproveitar o espaço com uma estante para livros e outros objetos.

Criar um cantinho de trabalho ou estudo é uma opção

hgtv.com

Criar um cantinho de trabalho ou estudo é uma opção

E por que não criar um cantinho de trabalho ou estudo na parede compacta? É uma das formas mais úteis de aproveitar esse tipo espaço.

Bom, depois desse post, deixar uma parede sem função só porque é muito pequena virou coisa do passado, né, gente?

Fonte: BBEL



Economize! Dicas de como reduzir as despesas

13 de maio de 2016 | Por admin

Dicas para economizar e reduzir as despesas com roupas, casa, mobília, telefone, carro e muito mais

Há momentos em que nos vemos com a necessidade de apertar o cinto, e é justo nessas horas que percebemos a dificuldade de controlar certos impulsos e gastos do nosso dia-a-dia. Por isso fizemos uma lista com algumas dicas importantes para a hora em que é preciso fazer o seu dinheiro durar mais.

Considerando que cada um de nós tem estilos e ritmos diferentes de vida, escolha apenas aquelas dicas que se apliquem a você, pois apesar do esforço ser necessário, ninguém precisa fazer sacrifícios impossíveis para economizar.

Dicas Gerais

1. Se achar um item de necessidade constante em oferta ou por um preço excelente e tem local para estocar o produto, compre uma boa quantidade.
2. Procure ofertas em saldões/liquidações de lojas, outlets e lojas da fábrica.
3. Evite compras por impulso (não planejadas).
4. Evite parcelamentos longos, preferindo descontos à vista ou poucas parcelas.
5. Antes de comprar algo, pesquise junto a colegas ou familiares que têm e utilizam o produto.
6. Antecipe necessidades de datas temáticas, como Natal, Dia das Mães etc., e compre na baixa dos preços.
7. Guarde garantias e recibos para o caso de um produto precisar de reparos e ainda estar coberto pelo fabricante.

Roupas

1. Compre roupas que possam ser usadas em diversas ocasiões.
2. Estabeleça um esquema básico de cores para seu guarda-roupa, para aumentar as possibilidades de combinação.
3. Faça uma lista de suas prioridades de vestuário.
4. Pense no teste do tempo: avalie a costura, tecido, botões, zíperes, e compre itens que durem.
5. Evite trocar todo o guarda-roupa de uma vez: além de concentrar seus gastosdesnecessariamente no mês, você provavelmente vai desgastar todas as peças ao mesmo tempo.
6. Leia as etiquetas das roupas e antecipe possíveis gastos com tratamentos ou lavagens especiais exigidos pela peça.
7. Procure peças complementares ou acessórios para incrementar seu guarda-roupa, sem necessariamente mudá-lo.

Comida

1. Não faça compras quando estiver doente, com fome, deprimido ou aborrecido.
2. As marcas próprias de supermercado têm uma vantagem de custo e de qualidade, uma vez quesão fabricadas pelos seus principais fornecedores.
3. Evite levar crianças às compras com você: boa parte da compra de itens supérfluos vem delas.
4. Evite lojas de conveniência: elas servem somente para emergências, e ainda assim, existem supermercados 24 horas disponíveis em boa quantidade.
5. Não torne almoçar e jantar fora uma rotina: faça você mesmo suas refeições em casa e guarde restaurantes para ocasiões especiais ou necessidades de última hora.
6. Fique de olho nos cadernos de oferta dos principais supermercados (encartados em jornais, entregues na sua casa…); compare e aproveite ofertas se você sabe que vai ter necessidadedaquele produto.
7. Planeje seu cardápio antes de fazer compras.

Casa

1. Cheque sua mobília, aquecedor, ar condicionado e outros itens da casa, e antecipe necessidades como troca de filtros, lubrificação e outros; é melhor arcar com manutenção que com a compra de novo produto.
2. Tente poupar uma pequena quantia por mês, que será destinada a consertos da casa quando necessários.
3. Ao fazer a pintura da casa, considere a possibilidade de fazê-la você mesmo. Se você fizer a pintura em períodos regulares e não muito distantes, você reduz a dificuldade da tarefa e anecessidade de contratar um pintor.
4. Não se esqueça de checar mensalmente calhas, portas, piso, azulejos, carpete, janelas etc.; émais fácil fazer pequenos investimentos em manutenções periódicas do que um grande investimento para emergências.
5. Ao contratar um serviço de pedreiro, pintor, eletricista e afins tente fazer você a compra de material, de acordo com as especificações do profissional: assim, você tem chance de pesquisar e economizar na matéria-prima.
6. Tente sempre fazer os serviços da casa com o mesmo profissional: isso facilita futuras negociações de valor e parcelamento do serviço.
7. Tente agendar regularmente a visita de um eletricista e encanador (de confiança) para avaliar sua casa: como canos e fios elétricos não estão à vista, acabamos esquecendo deles até que eles dêem problema, e conseqüentemente grandes gastos.

Mobília

1. Faça sempre um plano antes de comprar, definindo quais as necessidades daquele espaço, ao invés de comprar antes e ir arrumando depois.
2. Prefira estilos clássicos de mobília, que não ficarão desatualizados tão rapidamente quanto estilos modernos.
3. Cheque a qualidade, não apenas a beleza do móvel.
4. Sobre o móvel, pergunte-se: como posso limpar? Quanto tempo vai levar para deteriorar? Vai quebrar fácil? Pode ser consertado? O tecido vai se desgastar em quanto tempo? Os padrões ou listras combinam com o resto do meu espaço?
5. Mantenha seus móveis polidos e limpos, para manterem o aspecto de novo e demorarem mais para depreciar.
6. Capas de sofá podem ser trocadas sem a necessidade da troca do móvel. Experimente combinações novas de tecido quando a capa mostrar desgaste.
7. Aproveite feiras e lojas de móveis antigos, que guardam grandes ofertas.

Eletrodomésticos

1. Sempre que possível, compre eletrodomésticos com mais de um uso, como liquidificadores multiuso.
2. Sempre descubra se o preço anunciado inclui entrega, instalação e outros custos que podem estar associados ao uso e colocação do produto.
3. Compare o consumo de diferentes marcas de chuveiro elétrico, máquinas de lavar prato e roupa e outros.
4. Cheque sempre seu freezer e geladeira, principalmente nas portas; se uma nota de R$1 conseguir deslizar pela porta fechada, o isolamento não está funcionando mais, e precisa ser trocado.
5. Evite deixar eletrodomésticos ligados quando não precisa deles.
6. Não esfrie o freezer ou geladeira mais que o necessário; além de consumir energia, pode lhe dar o trabalho de descongelar tudo depois.
7. Pergunte-se: qual o tempo de garantia? Ela pode ser estendida a um preço razoável? Estas perguntas evitam custos altos de manutenção no futuro.

Entretenimento
1. Aproveite ao máximo os descontos para filmes e espetáculos oferecidos por seu provedor de Internet, pelo jornal que você assina, por sua operadora de cartão de crédito e afins.
2. Algumas vezes, uma reunião em casa e mais descontraída e econômica que uma noite no restaurante.
3. Jornais sempre anunciam eventos gratuitos, como concertos, filmes, peças. Programe-se.
4. Assine as revistas que você lê regularmente e economize em cima do valor de banca.
5. Alugar filmes custa quase 50% menos do que vê-los no cinema.
6. Promova churrascos e festas comunitárias, com amigos e família contribuindo.
7. Aproveite dias de desconto em cinemas e eventos esportivos.

Telefone
1. Examine mensalmente sua conta de telefone para detectar possíveis erros na cobrança, que são mais comuns do que parece.
2. Aproveite pacotes de operadoras, assim como linhas econômicas, que oferecem valores menores de assinatura e restrições a ligações de alto custo.
3. Prefira fazer ligações DDD ou DDI em horários de preço reduzido.
4. Planeje suas ligações de longa distância antes de fazê-las. Salve tempo e dinheiro sendo mais direto.
5. Antes de fazer uma ligação de longa distância, pense: não existe outra maneira de me comunicar com esta pessoa ou empresa sem ser o telefone? Com os recursos de Internet disponíveis hoje em dia, muitas pessoas têm acesso a comunicadores instantâneos ou e-mail, que servem quase tão bem quanto o telefone.
6. Evite fazer a primeira ligação para celular. Tente localizar a pessoa em um telefone fixo e deixe recado, usando o celular apenas para urgências.
7. Cuidado com as promoções de companhias telefônicas: você precisa mesmo de um detector de chamadas, mesmo que o aparelho saia de graça? O custo da assinatura às vezes torna o serviço caro demais para a pouca necessidade.

Carro
1. Elimine do seu carro todo o peso desnecessário, pois ele só aumenta o consumo; leve carga somente quando necessário.
2. Se o carro puder ser substituído por transporte público ou uma caminhada, faça-o.
3. Fique sempre alerta ao consumo de combustível para antecipar problemas.
4. Faça todas as revisões periódicas de seu carro, e poupe o dinheiro de grandes consertos, amortizando-o em pequenos.
5. Ao comprar um carro, cheque o consumo de combustível e aditivos; muitas revistas de carro publicam avaliações completas, especialmente no quesito economia.
6. Fique atento às oportunidades e compre óleo em promoções; não espere a necessidadeaparecer.
7. Mantenha seu carro sempre limpo e encerado, evitando assim a ferrugem.

Seguros
1. Cheque sempre mais de uma seguradora e mais de um corretor; diferentes corretores têm diferentes vantagens em diferentes seguradoras.
2. Pague sempre as parcelas em dia para evitar problemas quando precisar acionar o seguro.
3. Atenção às coberturas: muitas vezes um preço atraente esconde armadilhas na proposta.
4. Evite acúmulos de lixo, papéis e inflamáveis em casa.
5. Invista em alarmes e trancas para casa e carro; o custo gerado por sinistro é maior que esses investimentos.
6. Os serviços gratuitos da seguradora são realmente gratuitos; cuidado com cobranças indevidas de profissionais terceirizados.
7. Mantenha extintores em locais de fácil acesso e sempre em ordem.

Fonte: Organize 

 



Páginas:«12345678910...50»

Certificados e Prêmios



Realizações Cemara
Realizações Cemara
Realizações Cemara
Realizações Cemara